Cidadeverde.com

Fapepi leva proposta de realização de Seminário Internacional em Oeiras

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi) levou para o município de Oeiras uma proposta para a realização do Seminário Internacional Oeiras +300. Trata-se de um evento cultural e acadêmico, paralelo aos tradicionais Festival Cultural de Oeiras e Feira de Literatura de Oeiras (Flor), com previsão de realização entre 13 e 18 de novembro de 2017. O objetivo é promover um intercâmbio de informações pautadas na história de Oeiras em seus 300 anos com a contribuição de portugueses, africanos e o povo nativo da cidade.

O presidente da Fapepi, Francisco Guedes, ressalta a importância de valorizar a história de Oeiras como um dos pontos mais fortes do município e que a programação deve ser construída junto à população através da oficina de planejamento realizada na cidade.

“A proposta é justamente a troca de experiências. É promover um seminário internacional sobre os 300 anos de Oeiras. Um dos pontos mais importantes da cidade é sua história e nós temos que valorizá-la. Vamos trazer professores, intelectuais e adidos culturais dos países de origem desse pessoal que construiu Oeiras, tanto de Portugal como da África, especialmente do Congo e da Argélia, que foram de onde vieram o maior número de escravos para o Piauí. Então, é essa troca de experiência que a gente tem que valorizar aqui nesse momento. Estamos numa oficina de planejamento com a direção do Instituto Histórico de Oeiras, dirigentes da Prefeitura de Oeiras e professores e alunos das Universidades Federais e estadual e da Secretaria de Educação, além de várias entidades e instituições de Oeiras construir a programação e realizarmos mais um belo evento ao lado dos tradicionais que são o Festival de Cultura e a Feira de Literatura de Oeiras”, explica.

O bispo de Oeiras, Dom Edilson Soares, parabenizou a iniciativa da Fapepi e diz que a Igreja Católica recebe, com entusiasmo, a proposta. “A gente vê que é uma forma inteligente de pensar, de fazer a memória. De pensar qual a perspectiva que a cidade pode ter. Estão buscando as pessoas que estudam essas questões e colocando em torno da mesa essas pessoas que podem colaborar culturalmente com a nossa cidade. Eu acredito que a gente pode trazer perspectiva novas através dessas discussões. Eu elogio e parabenizo todos os envolvidos e, sobretudo, a forma que está sendo construída, buscando opinião de diversas instituições para a melhor forma de realizar o seminário. Parabéns! ”, congratulou.

O secretário municipal de Cultura e Turismo, Stefano Ferreira, afirmou que a Prefeitura será parceira na construção da programação do seminário. “Nós recebemos com muita alegria a proposta da Fapepi, na pessoa do Guedes, que é um oeirense, e a Prefeitura vai ser uma parceira dentro desse evento. Queremos, realmente, promover um intercâmbio cultural e acadêmico, onde o povo de Oeiras possa ser protagonista, os estudantes, os poetas, os produtores de conhecimento. É com muita satisfação que o município recebe esse evento, nos colocando à disposição para a construção de uma programação que possa abrilhantar ainda mais dois eventos que já existem, o Festival de Cultura de Oeiras e a Feira de Literatura. “

Após a realização da oficina de planejamento, coube ao Instituto Histórico de Oeiras (IHO) a organização do evento. Para o presidente do IHO, Júnior Vianna, a inciativa da Fapepi traz um olhar diferenciado nas comemorações típicas de aniversários municipais. “Olha, essa iniciativa da Fapepi é louvável porque, normalmente, na comemoração de aniversário das cidades é comum que as gestões se preocuparem em fazer algo mais do ponto de vista de festas populares. A proposta de trabalhar com a história, a memória e a identidade do município provoca uma reflexão do ponto de vista de que aquilo que não se conhece, possivelmente, não se ame e o povo de Oeiras tem um sentimento muito afetuoso por sua terra, sentimento esse que a gente costuma chamar de ‘oeirensidade’. Então, a Fapepi ombreada a outras instituições como a municipalidade por meio da secretaria de cultura e o próprio IHO, isso viabiliza que a população vivencie muito mais intensamente sua história, memória e tradições por meio de um evento que vai dar visibilidade não somente local, mas internacional. É um momento oportuno para que possamos discutir e compartilhar informações, histórias e tradições que as vezes estão adormecidas e por meio desse evento voltam a ser afloradas”, pontua.

Em janeiro desse ano, o Governo do Estado transferiu a sede do executivo para Oeiras nos dias 23 e 24 de janeiro em comemoração aos 194 anos de adesão do município à Independência do Brasil e marcando o início das comemorações pelos 300 anos da primeira capital do Piauí, ocasião em que o governador Wellington Dias orientou a realização deste grande evento.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com