Cidadeverde.com

Passageiros são feitos reféns e obrigados a arrombar banco em tentativa de assalto

  • content_Agencia_do_Bradesco_do_Pimenteiras__Piau_1.jpg Portal V1
  • bancopimenta.jpg Portal V1
  • banco_piemnta1.jpg Portal V1
  • bancopimenta1.jpg Portal V1

Bandidos que tentaram explodir o posto de atendimento do Bradesco, na cidade de Pimenteiras, a 252 km de Teresina, foram surpreendidos por policiais militares que conseguiram abortar o assalto ao banco. Durante a ação criminosa, que ocorreu por volta das 2h30, desta quarta-feira (18), os bandidos fizeram cerca de 10 pessoas reféns. As vítimas foram obrigadas a ajudar o grupo a arrombar a porta e o caixa eletrônico bancários. 

Cerca de cinco homens participaram da tentativa de assalto. Os reféns eram passageiros de um microonibus, que estavam em frente ao Bradesco, prestes a embarcar para Teresina. 

"Como o caixa eletrônico tinha sido abastecido durante o dia, a PM estava fazendo o que chama de operação "Corujão", que é o policiamento reforçado de meia-noite às 5h. Os bandidos não contavam com isso e acabaram sendo surpreendidos pelos policiais. O ponto de ônibus onde estava as pessoas que foram feitas reféns, fica na frente do banco. Então, eles foram lá, pegaram todo mundo e deram alavanca e marreta e outras ferramentas para os próprios réfens ajudarem a arrombar o portão de ferro e a porta de vidro do banco. O motorista do microonibus foi obrigado a estacionar o veículo na porta do Bradesco para dificultar a visualização da PM", disse o capitão Aantonio dos Santos Neto, comandante da 2ª Cia do 4º BPM. 

A ação dos bandidos durou cerca de 30 minutos. Ao perceber a a aproximação dos policiais, um dos reféns foi mantido como 'escudo humano'. Os suspeitos entraram em confronto com a PM e efetuaram vários disparos, alguns atingiram a sede do GPM.

"A gente não revidou porque eles estavam com reféns, então, eles pediram para os policiais se renderem e entregarem as armas, mas a equipe não cedeu, mas também não revidou os disparos. Como eles estavam em situação desfavorável, disseram para a polícia recuar e isso foi feito, pois nossa missão era preservar a vida dos reféns", acrescenta o comandante. 

O capitão disse ainda que os criminosos se dividiram na fuga: alguns foram com reféns no microonibus e outros em duas motocicletas. "Na fuga deixaram mochilas e explosivos que não foram acionados porque não deu tempo. Os reféns foram liberados na saída da cidade, no povoado Curral de Pedra. Todos estão bem", acrecenta.

As polícias Militar e Civil do Piauí e da cidade de Parambu-CE estão em diligência na região. Equipes do Greco e o Bope também foram acionadas. A perícia está sendo aguardada no local. 

A investida contra o posto de atendimento do Bradesco ocorre oito meses após ação criminosa no mesmo local. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com