Cidadeverde.com

Advogada diz que reforma não resolve problema da Previdência

Em entrevista nesta sexta-feira (9) no Cidade Verde Notícias, da Rádio Cidade Verde, a advogada Aparecida Pagliarini, consultora de entidades fechadas de Previdência Complementar, declarou que a reforma proposta pelo Governo Federal não resolve o problema da Previdência do Brasil. 

Fotos: Roberta Aline/Cidade Verde

"Não resolve porque, na minha visão, isso não é uma reforma da Previdência. Isso é mais um remendo num sistema que nós já temos, que já sofreu outros remendos", disse a advogada, que integra a Comissão Mista de Autorregulação – ABRAPP, ICSS, SINDAPP –, a Comissão Técnica Nacional de Assuntos Jurídicos e da Comissão Regional Sudoeste de Assuntos Jurídicos da ABRAPP.

A especialista afirmou ainda que o Brasil, mesmo que aprovada a proposta atual, pode precisar de uma nova reforma em breve. "Não vejo isso como uma solução de longo prazo. É uma solução para curto prazo. Provavelmente, daqui a alguns anos, nós estaremos falando novamente da necessidade da Reforma da Previdência", acrescentou. 

Sobre os problemas da Previdência no Brasil, Aparecida Pagliarini disse não acreditar na falta de recursos para pagamento "nem na previdência pública e nem na previdência complementar. É um regime no qual eu acredito". Mas sustentou ser imprescíndivel que se promova mudanças no modelo atual, em razão do menor número de contribuições pela baixa natalidade e aumento da demanda por aposentadorias, por conta da maior expectativa de vida. 

Aparecida Pagliarini defendeu ser necessário desenvolver no Brasil uma cultura de poupança, para que se economize recursos para a aposentadoria, além de estruturas fortes, boa governança, e capacitação dos gestores para tratar do assunto. A advogada defendeu a legislação atual como excelente e compatível com níveis internacionais, mas lamentou a falta de pessoas preparadas e de ética e boa fé para fazer as leis serem cumpridas.

Previdência complementar
Aparecida Pagliarini explicou como deve funcionar o plano de previdência complementar a ser executado pelos estados do Nordeste em parceria com o instituto já existente na Bahia. A proposta deve atingir apenas quem ultrapassar um teto de aproximadamente R$ 5 mil. 

O projeto não está estruturado, mas Paglarini afirmou que a previdência complementar não resolve o problema do déficit da previdência. Ela auxilia a poupança de recursos para os servidores que estiverem no teto limite. 

Ouça a entrevista na íntegra:

 

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com