Versão para Impressão - Matéria publicada em 03/02/14, 20:24
IML divulga fotos para tentar identificar mulher esquartejada
Partes do corpo de uma mulher foram achadas dentro de uma bolsa jogada no rio. Caso continua um mistério.

O Instituto M√©dico Legal de Teresina (PI) divulgou nesta segunda-feira (3) fotos da mulher achada morta esquartejada no rio Poti h√° duas semanas. Na tentativa de identificar a v√≠tima, o IML pede a ajuda da popula√ß√£o para desvendar o caso. 


Entre os detalhes que chamam a aten√ß√£o, a per√≠cia no corpo revela que a v√≠tima pode ter sido morta entre os dias 11 e 13 de janeiro. Partes da pelve e membros superiores e inferiores da mulher foram achados em uma bolsa, que tamb√©m contava com tr√™s cadeados azuis e 10 chaves prateadas. 

No punho esquerdo, há uma tatuagem com desenho semelhante ao de uma borboleta. Cabeça e tronco nunca foram achados.

Para os peritos, a v√≠tima √© branca, de aproximadamente 25 e 30 anos, com cabelos lisos e originalmente pretos (que podem ter sido pintados). Sua estatura aproximada √© de 1,60m e 1,65m. M√£os e pernas s√£o bem cuidadas, sem calos ou varizes. A mulher tamb√©m j√° teve um parto normal ou perdeu um beb√™ na gesta√ß√£o. 

Lençol que envolvia partes do corpo achadas no rio

Tatuagem no corpo da vítima pode ajudar na identificação

"Solicitamos a quem tiver amigas, parentes ou outras pessoas conhecidas com essas caracter√≠sticas, que compare√ßa ao IML de Teresina, PI, onde deve procurar o Coordenador ou algum dos Delegados da Delegacia de homic√≠dios desta capital", diz a nota, assinada pelo perito Ant√īnio Nunes, coordenador em exerc√≠cio do IML. 

A mulher ainda trajava blusa marrom e preta da marca Higstil, com etiqueta vermelha e letras brancas e parte preta. Os peda√ßos do corpo estavam em uma bolsa Puma vermelho e preta, envolvidas por uma toalha azul claro. 


"Frisamos o quanto é importante a colaboração da população piauiense e de estados vizinhos para que se possa fazer a identificação cadavérica", completa o perito médico.


Mistério
A Delegacia de Homic√≠dios chegou a divulgar uma identifica√ß√£o no dia 22, mas Jaciara Nascimento Brasil, conhecida como "Barbie", apareceu com o pai para prestar depoimento no dia 28 de janeiro e provou estar viva. 

Desde ent√£o, a Pol√≠cia Civil n√£o se pronunciou sobre o caso. Especula-se que uma pessoa ligada a ela teria rela√ß√£o com o crime. 

F√°bio Lima
fabiolima@cidadeverde.com