Cidadeverde.com

'Tem muita coisa prometida, mas nada chegou', diz Niède sobre recursos para Serra da Capivara

A arqueóloga Niède Guidon disse, em entrevista ao O Estado de São Paulo, neste domingo (28) que, caso os recursos financeiros para o Parque Nacional Serra da Capivara não forem repassados até a próxima quarta-feira (31), ela irá em setembro para Paris avisar, pessoalmente, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) que "não há mais condições de manter o Parque funcionando".

“Se os recursos não chegarem até o dia 31, irei a Paris em setembro avisar a Unesco que não há mais condições de manter o Parque em funcionamento”, disse Niède. 

Ao Cidadeverde.com, Niède declarou que "está aguardando vê o que o Brasil vai decidir porque assim continuar. O Parque está sem nenhum funcionário, completamente abandonado. Tem muita coisa prometida, mas até hoje nada chegou. Vamos ver. Se chegar a gente volta ao trabalho se não, não tem outro jeito", disse.  

Quanto a liberação do dinheiro emergencial, ela falou ao Estado de S. Paulo que "se chegar até o dia 31, continua com os funcionários que estão no parque, que são poucos". Atualmente, o Parque conta com apenas 30 dos 270 funcionários.  "Hoje nós estamos com as contas zeradas. E agora, até o dia 1º, todos os funcionários, não estão nem trabalhando no Parque porque não temos dinheiro nem para combustível, para nada, estão todos em suas casas, com aviso prévio. No dia 1º nós teríamos de pagar a indenização de todos eles", disse ao jornal.

"O parque é muito grande. É um patrimônio da humanidade, tem mais de 700 sítios com pinturas, 450 km de estradas para poder ir a todos esses sítios para proteger as pinturas, tirar ninhos de abelhas, cupins, água que escorre por cima das pinturas. É uma obrigação do governo federal manter esse patrimônio da humanidade. É uma exigência da Unesco. Sempre fizemos isso. Mas atualmente não estamos podendo fazer", acrescentou. 

Em reunião emergencial com o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, o governador Wellington Dias (PT) e a vice Margarete Coelho (PP) foi acordado o anunciou de medidas para evitar que o parque Nacional Serra da Capivara seja fechado. A reunião aconteceu em Brasília no dia 23 de agosto.

A  reportagem também destacou um protestos realizado na última sexta-feira (26) pelos funcionários do Parque contra o fechamento, as constantes demissões e o possível afastamento da professora Niède frente ao Parque, que é administrado pelo Fundação Homem Americano (Fumdham), da qual faz parte. 

Em entrevista, um guia de visitas relatou que a situação é preocupante. Das 27 guaritas de controle de acesso, só em três há vigilantes. “E isso é um perigo, porque há caçadores que entram para abater animais na área”, relatou.

 


 

Carlienne Carpaso
Com informações do O Estado de S.Paulo
carliene@cidadeverde.com 

São Raimundo Nonato: todos os candidatos a prefeito são impugnados

O Ministério Público Eleitoral pediu a impugnação dos quatro candidatos à prefeitura de São Raimundo Nonato, a 517 km de Teresina. O promotor eleitoral Vando da Silva Marques explica que as ações foram protocoladas pela ausência de documentação. Avelar Ferreira (PSD), Carmelita Castro (PP), Elizete Souza (PRP) e Gemir Dias (Pros) tem até sete dias para regularizar a situação. 

"Vamos aguardar o prazo estabelecido por lei para que eles apresentam documentação que será avaliada e caso haja algo errado haverá o indeferimento do registro de candidatura. O prazo limite para os candidatos varia porque depende do dia em que cada um foi notificado", disse o representante do MP. 

Carmelita Castro (PP)

O promotor ressalta que não apenas os candidatos a prefeito da cidade foram impugnados, mas também vereadores de São Raimundo Nonato e mais três cidades Dom Inocêncio, Coronel José Dias e São Lourenço. "Somando as quatro municípios foram 148 impugnações", reitera. 

A medida não impede o candidato de fazer campanha e ainda vai ser julgada pelo juiz eleitoral Fabrício Novaz. Quando o candidato for inelegível ou não atender às condições de elegibilidade, o registro será indeferido, independentemente da existência de impugnação. Porém, o candidato com registro "sub judice" poderá manter todos os atos relativos à campanha eleitoral e o direito de ter seu nome inserido na urna, enquanto a decisão final dos recursos estiver pendente.

Avelar Ferreira (PSD)

Gemir Dias (Pros)

Elizete Souza (PRP)

 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Governo busca parceria para construção de hotel escola em SRN

Em meio a crise pela falta de recursos para a manutenção do Parque Nacional da Serra da Capivara o governador Wellington Dias aproveita sua viagem para Brasília para buscar parcerias para projetos de desenvolvimento do turismo como a construção de um hotel na região, e também de aeroponia, um dos sistemas de hidroponia, que é o cultivo de vegetais sem o uso de solo.

De acordo com Dias, a ideia é construir, em parceria com o Sesi, um hotel escola na região de São Raimundo Nonato. A ideia é que se possa, além de preparar e qualificar a mão de obra, aumentar o número de leitos de hospedagem na região, onde fica a Serra da Capivara.

“Tivemos uma posição favorável por parte do presidente do Sesi que ficou de examinar a proposta junto ao Conselho Deliberativo. Ele registrou os limites de dotação orçamentária e vamos aguardar uma resposta positiva”, explica Wellington.

Aeroponia

Na reunião, também foi tratada sobre a parceira para um projeto piloto na área de aeroponia de verduras e flores no município de Pedro II para um cultivo otimizado, permitindo um melhor aproveitamento de áreas e a instalação de um número maior de plantas por metro quadrado de superfície da estufa, obtendo-se, assim, um aumento direto de produtividade. O governador apresentou ainda o projeto de uma escola de formação de mão de obra no município de Oeiras. 

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Ministro e governador garantem a liberação de R$ 900 mil ao Parque Serra da Capivara

Em reunião emergencial com o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, o governador Wellington Dias (PT) e a vice Margarete Coelho (PP) foi acordado o anunciou de medidas para evitar que o parque Nacional Serra da Capivara seja fechado. A reunião aconteceu em Brasília na manhã desta terça-feira (23).   

Entre as medidas está a liberação - até o final do ano - de R$ 900 mil. O governo do Estado acertou também um pacote de medidas para a ajuda financeira, já que o parque é administrado pelo governo federal.

A arqueóloga Niède Guidon defendeu a criação de um fundo para evitar que o parque sofra com a falta de recursos para pagamento de salários dos servidores que ajudam na conservação e segurança do parque. Segundo ela, é necessária uma ajuda de R$ 400 mil ao mês.

“O ideal é que tivéssemos recursos fixos, mas a criação de um fundo também ajudará na manutenção do parque”, disse Niède Guidon que não acompanhou a reunião em Brasília, mas foi avisada por telefone das decisões pela vice Margarete Coelho

No encontro, o governador Wellington Dias firmou uma parceria com o Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, na qual o parque da Serra da Capivara receberá um pacote de medidas emergenciais para a sua manutenção. 

No acordo, o Ministério do Meio Ambiente, numa parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), realizará aplicação dos recursos necessários, para que, através de um convênio entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Fundação Museu do Homem Americano (Fundham) as atividades do parque sejam restabelecidas. Neste, serão feitos repasses imediatos de R$ 900 ao Parque até o final do ano.

“Ficamos acertados de que haverá uma gestão do Ministério, através do ICMBio e do Iphan, e do Estado, além da Fundham, o que vai permitir termos as condições para a criação de um fundo que garantirá a segurança permanente para a gestão e funcionamento do parque. Podendo haver a captação de recursos de outras fontes”, destaca Wellington Dias.

A arqueóloga Niede Guidon, diretora do Parque, destacou que a ação vai ajudar muito na manutenção do parque e nas despesas urgentes, mas que prefere cautela, pois por enquanto ainda não tem nada em caixa. “A Margarete [vice-governadora] me ligou hoje informando. Parece que estão vendo como vão arranjar esse recurso. Mas ainda não chegou nada e só vamos dizer algo quando chegar”, destaca.

Para a presidente da FUMDHAM, Niede Guidon, é preciso de um montante ainda maior para que o parque tenha mais estabilidade financeira. “Eu precisava era de algo em torno de R$ 400 por mês, mas compreendo que a situação está difícil, em crise, mas o que nos resta é aguardar”, finaliza.

Segundo Niede, o maior problema do local é o pagamento dos trabalhadores do Parque, o que acarretou em um processo de demissão em massa no início do mês. Com isso, o espaço sofre com problemas na segurança, já que das 28 guaritas existentes, somente 12 estavam ocupadas, o que desencadeou na ação de vândalos e placas solares e privadas roubadas.

Diego Iglesias
redacao@cidadeverde.com

Promoção do Parque nas Olimpíadas reforça pedido de ajuda, diz Fumdham

O Parque Nacional Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, ainda agoniza a espera de recursos e pode ganhar um reforço com a Olimpíada do Rio de Janeiro. Isso porque a homenagem que o evento esportivo fará ao patrimônio cultural da humanidade pode ajudar pressionar politicamente a chegada de verbas para a sua sustentação no encontro que acontece na próxima terça-feira (23) entre o governador Wellington Dias e o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho.

A responsável pela gestão dos convênios e recursos da Fumdham -Fundação Museu do Homem Americano-, Rosa Trakalo relata que as expectativas são boas por enquanto, já que há um clima de agitação em torno da chegada de novos recursos para o Parque. “Há muito interesse sobre o parque, interesse político inclusive. É um parque conhecido internacionalmente e inclusive vai ser homenageado nas Olimpíadas. Não acredito que vão deixar o parque ser esquecido. Existe vontade política e quando se tem isso acontecem as coisas boas”, destaca.

Segundo a gestora, ao ser “promovido” com a homenagem nas Olimpíadas, certamente as pessoas vão querer conhecer por “ser um patrimônio tão rico”, o que deve ajudar os argumentos do governador Wellington Dias, que vai à Brasília se reunir com o Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho. O encontro é para buscar uma solução financeira para o Parque Nacional Serra da Capivara. Em entrevista ao cidadeverde.com, o chefe do executivo estadual adiantou que vai propor uma gestão tripla para o Parque. 

“Vou apresentar ao ministro do meio ambiente uma proposta para a gestão tripartite do parque. Ou seja, a gestão ter participação do governo federal através do ICMmil , a participação do estado, através da secretaria do meio ambiente e a participação da Fundham. Eu creio que essa parceira tripartite que vai dar qualidade à  gestão do parque e o Estado, inclusive, se dispõe a trabalhar no convênio uma participação financeira”. 

O Governo do Estado lançou ainda uma medida emergencial com convênio no qual serão pagos R$734 mil divididos mensamente, além de um repasse de R$ 100 mil para as despesas urgentes do Parque e para que ele possa se manter até setembro. 

Para Rosa Trakalo, a “solução emergencial” ameniza, mas não tira o parque do vermelho. “Sentimos a boa vontade de ajudar. Temos esse convênio, não são os valores necessários, mas ajudam. O que temos ali é um problema cíclico de um grande patrimônio da humanidade e com uma enorme possibilidade de crescimento”, acrescenta.

 

Diego Iglesias
Redacao@cidadeverde.com

 

Camila Pitanga protesta em face pela ameaça de fechamento do Parque Serra da Capivara

A atriz Camila Pitanga usou sua conta pessoal no Facebook para protestar contra a falta de recursos para o Parque Serra da Capivara e consequente fechamento do local. A atriz global esteve há exatamente três anos em São Raimundo Nonato na apresentação de sua peça “O Duelo” que teve no palco Pedra Furada, dentro do Parque Nacional.

Em seu post nesta quarta-feira(17), Camila afirma que tem uma história com a Serra, por ter sido um dos primeiros lugares que esteve quando viajou com sua peça. Ela destaca o trabalho da arqueóloga Niède Guidon e que os brasileiros não têm dimensão da representatividade das pesquisas realizadas no local que indicam a origem do primeiro homem americano. 

Ela encerra a mensagem criticando a falta de apoio do poder público e pedindo que todos peçam providências, protestem e compartilhem o #SalveASerraDaCapivara. 

Veja texto na íntegra:

Eu tenho uma história com a Serra da Capivara. Uma das primeiras apresentações viajando pelo Brasil da minha peça “O Duelo” foi lá, no anfiteatro que fica dentro do Parque Nacional Serra Da Capivara, em São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí. Eu tive a oportunidade de conhecer parte da reserva, e é impressionante a magnitude do trabalho da arqueóloga e pesquisadora Nièden Guidon, que até ontem presidia a Fundação Museu do Homem Americano, responsável pela manutenção do local.

Hoje tomei conhecimento que, por falta de transferência de recursos do Estado, o Parque Nacional da Serra da Capivara fechou suas portas. Mais do que movimentar a economia local, o local é Patrimônio Cultural da Humanidade reconhecido pela UNESCO. Muitos no Brasil ainda não têm a dimensão da representatividade das pesquisas que vêm sendo conduzidas no Parque que indicam ser ali a origem do primeiro homem americano. É um espaço que precisa ser preservado, louvado, visitado. E está aí, sem nenhum amparo do Poder Público. Precisamos cobrar providências. Proteste. Compartilhe. #SalveASerraDaCapivara

 

Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com

Juiz mantém bloqueio mas obriga indenização ao Parque Nacional Serra da Capivara

O juiz federal Pablo Enrique Carneiro Baldivieso, da Vara Única da Subseção Judiciária de São Raimundo Nonato (517 km de Teresina), condenou a União, o IBAMA, o IPHAN e o ICMBIO a indenizar o Parque Nacional Serra da Capivara no valor de R$ 440 mil. A decisão foi publicada na última segunda-feira (15) e ocorreu após pedido de desbloqueio de recursos por parte do Ministério Público Federal do Piauí, por meio do procurador federal Kelston Lages, e da OAB/PI. 

Na decisão, o juiz julgou o pedido parcialmente procedente. O magistrado havia bloqueado R$ 3.814.664,46 há alguns meses, depois que os réus no processo - União, IBAMA, IPHAN e ICMBIO - não fizeram o repasse no valor de R$ 4.493.145,00 também determinado judicialmente. 

Devido à situação do Parque, o MPF e a OAB do Piauí solicitaram desbloqueio parcial de recursos - no valor de R$ 782.485,00. Contudo, o juiz não autorizou o desbloqueio por não haver parceria entre o órgão gestor e a Fundação, que é ente privado, o que desautoriza o recebimento do dinheiro. 

"Sucede que (...) não existe termo de parceria para gestão compartilhada em vigor entre o ICMBio e a Fundham. (...) Não se questiona a importância da mencionada entidade, inteiramente voltada a zelar pela conservação do PARNA Serra da Capivara, (...). Ocorre que a destinação de recursos públicos deve obedecer estritamente os ditames legais", diz o juiz. 

Ainda assim, considerando a situação do PARNA e o fato de as entidades terem descumprido determinações judiciais anteriores, o juiz condenou os réus ao pagamento de 500 salários mínimos (R$ 880), totalizando R$ 440 mil em caráter emergencial. O ministério do Meio Ambiente já havia informado que faria o repasse no valor de R$ 969 mil, oriundos de ações de compensação ambiental. 

Quem receberá o valor será o "Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, determinando a sua utilização somente com a preservação, manutenção e funcionamento do Parque Nacional da Serra da Capivara-PNSC, devendo comprovar em juízo a efetiva utilização com o PNSC", enfatiza o juiz na decisão. 

Há ainda a obrigatoriedade de realização de intervenções de conservação, proteção e ações de socialização em sítio arqueológicos, pertencentes ao patrimônio cultural do Parque. Além disso, o juiz esclarece que, sendo firmada a parceria entre o ICMBIO e a Fundham, o desbloqueio de valores pode acontecer. Em caso de descumprimento das decisões, está fixada multa diária no valor de R$ 10 mil. 

Crise

Em crise financeira desde o ano passado, o Parque chegou a precisar fechar completamente suas portas ao atendimento do público. Dos 270 funcionários presentes anteriormente, o número reduziu para 60 no ano passado e agora não há mais nenhum contratado para atender os visitantes. 

Presidente da Fundham, Niède Guidón anunciou a total paralisação dos serviços no parque a partir de ontem (17). Em contato com o Cidadeverde.com, Niède garantiu ainda que caso a situação não fosse resolvida nos próximos dias, ela comunicará a UNESCO a sua saída do parque, que é atualmente Patrimônio da Humanidade.

O Parque

O Parque Nacional da Serra da Capivara foi criado através do Decreto de nº 83.548 de 5 de junho de 1979, com área de 100 mil hectares. A proteção ao Parque foi ampliada pelo Decreto de nº 99.143 de 12 de março de 1990 com a criação de Áreas de Preservação Permanentes adjacentes com total de 35 000 hectares. Em 1991 ele foi declarado Patrimônio da Humanidade.

Localizado no semi-árido nordestino, fronteira entre duas formações geológicas, com serras, vales e planície, o local abriga fauna e flora específicas da Caatinga. O Parque abriga ainda a maior concentração de sítios arqueológicos das Américas e possui os primeiros vestígios de presença do homem no continente americano. 

 

Maria Romero
redacao@cidadeverde.com

Em caráter emergencial, Parque Serra da Capivara irá receber cerca de R$1,5 milhão

A vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho. 

A vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho, disse, em entrevista ao Notícia da Manhã nesta quinta-feira (18), que o Governo do Estado e o Ministério do Meio Ambiente irá destinar recursos emergências para manter o Parque Nacional Serra da Capivara aberto para visitações. Inicialmente, os recursos serão destinados para o pagamento dos funcionários. 

Sobre o montante dos recursos, Margarete informou que o governador Wellington Dias autorizou ontem (17) a liberação emergencial dos recursos. “Serão cerca de R$100 mil reais a fim de que se mantenha o Parque até o final deste mês de agosto porque, no mês de setembro, nós temos promessas de outras verbas, os recursos já estão assegurados pela Petrobrás, cerca de R$900 mil. Além de um novo convênio com o Estado do Piauí de R$734 mil”. Os valores serão divididos e repassados mensalmente. 

“O Parque possui uma folha de pagamento bastante atrasada; esse dinheiro irá emergencialmente para isso, mas, de toda forma, é um dinheiro novo que entra, possibilitando a renegociação com esses empregados. O Governo do Estado também irá liberar emergencialmente valores a fim de possibilitar a manutenção do Parque porque o local guarda fauna e flora riquíssima que estão ameaçados pelo problema da estiagem”, disse a vice-governadora.

Margarete ressaltou que tudo isso é um “S.O.S para o Parque”.  Ela disse ainda que o Parque Nacional necessita de um fundo perene que sirva para sua manutenção. Assim, a arqueóloga e presidente da Fundação do Museu do Homem Americano, Niède Guidón, que administra o Parque, possa programar os desembolsos; para que possa programar a equipe e o funcionamento. “Se não, da forma que o Parque está, vamos viver sempre nesse sobressalto”.  

Com relação ao fundo, uma nova reunião será realizada entre o Governo do Estado e o Ministério do Meio Ambiente para estudar que tipo de fundo será esse. 

“A gente tem as mais diversas modalidades de fundo, cada um com suas possibilidades e limites. Nós vamos estudar aquele que melhor atenda o Parque de forma que o Governo do Estado, que não administra o espaço financeiramente, possa repassar os recursos da Câmara de Compensação. Esse fundo servirá para receber, administrar e planejar os recursos”, comentou Margarete, acrescentando que uma equipe de cientistas de um Instituto Alemão também se comprometeu a ajudar. 

Pelo telefone, a pesquisadora Niéde Guidón declarou que o Parque possui uma estrutura fantástica e que pode movimentar economicamente a região por meio do turismo. Além disso, falou sobre a ajuda do governo estadual e do Ministério do Meio Ambiente. 

“O Governo do Piauí já nos ajudou por diversas vezes e, agora, o ministro Sarney Filho também disse que iria enviar recursos. Vamos ver o que irá acontecer. Porque, realmente, esse Parque tem uma estrutura fantástica, é uma coisa única e. É triste para o Piauí perder tudo isso que foi feito. Aqui, inclusive pode trazer muitos turistas, é a única possibilidade de desenvolvimento dessa região”, afirmou a arqueóloga. 

Quase três meses após a visita do ministro do meio ambiente, Sarney Filho ao Parque Nacional da Serra da Capivara, Niède Guidón anunciou que a total paralisação dos serviços no parque iria ocorrer a partir de ontem por falta de recursos. 

 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Governo e Fumdhan se reúnem para evitar fechamento do Parque Serra da Capivara

  • capivara7.jpg Yala Sena
  • capivara6.jpg Yala Sena
  • capivara5.jpg Yala Sena
  • capivara4.jpg Yala Sena
  • capivara2.jpg Yala Sena
  • capivara1.jpg Yala Sena
  • serra12.jpg Yala Sena
  • serra11.jpg Yala Sena
  • serra10.jpg Yala Sena
  • serra9.jpg Yala Sena
  • serra8.jpg Yala Sena
  • serra6.jpg Yala Sena
  • serra5.jpg Yala Sena
  • serra4.jpg Yala Sena
  • serra3.jpg Yala Sena
  • serra2.jpg Yala Sena
  • serra1.jpg Yala Sena

Em caráter emergencial, o governo do Estado  irá se reunir com dirigentes da Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham) para buscar soluções para a grave crise financeira no Parque Nacional Serra da Capivara.

A vice-governadora, Margarete Coelho, disse que a reunião ocorrerá na tarde desta quarta-feira (17), um dia após a presidente da Fundham, a arqueóloga Niède Guidón anunciar a demissão dos 30 funcionários que ainda trabalhavam no local e a total paralisação dos serviços no Parque Nacional a partir de hoje.

“Realmente nos surpreendeu essa nova crise. Nós vínhamos de diálogos com o ICMBIO através do ministro do meio ambiente Sarney Filho, tratando dos nossos convênios, para que o Parque não passasse novamente por essa situação vexatória”, disse a vice-governadora.

Sobre o fechamento do Parque, apenas as visitações estariam suspensas. A vice-governadora ressaltou que o ICMBIO é responsável independente de qualquer recurso pela manutenção e as pesquisas no local.

Niéde também anunciou que comunicará a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) a sua saída do Parque, considerado pelo órgão Patrimônio da Cultural da Humanidade, caso a situação não seja resolvida. Ela disse ainda que chegou a pagar do próprio dinheiro os salários dos funcionários para manter o Parque aberto para visitações.

Ontem, uma decisão do juiz federal, que tinha bloqueado R$ 4 milhões da União para a manutenção do Parque Nacional, acabou dando uma decisão contrária à liberação dos recursos em função do ICMBIO não ter assinado a co-gestão com a FUNDHAM, o que havia sido prometido durante uma série de reuniões durante a Semana do Meio Ambiente.

Sobre essa decisão, a vice-governadora disse que no momento de repassar os recursos para o Parque foi descoberto a expiração do convênio que autoriza a Fumdham a administrar o espaço. O convênio é entre a Fundação e o ICMBIO.

“Na ausência desse convênio, os recursos não poderão ser repassados. Então, neste momento nós estamos tentando contornar essa situação, refazer esse convênio o mais rápido possível para que o Parque não perca esses recursos. A professora Niède entende é que sem o convênio, a Fumdham não tem sequer autorização legal para tomar decisões”, destacou Margarete.

Niède anuncia que 100% dos funcionários deixam Parque Nacional da Serra da Capivara

 

Sobre a possível demissão da pesquisadora Niède, a vice-governadora destacou que a antropóloga dedicou a sua vida ao local.

“A professora Niède Guidóm é apaixonada pelo Parque. Aquele Parque é a vida dela. Ela se dedicou todos os seus esforços, toda a juventude e, agora, a sua velhice ao Parque. Então, é natural que ela, diante dessas situações, em que o Parque se vê sem recursos, sem manutenção mínima, inclusive tendo que estar constantemente dando aviso prévio aos funcionários. Creio que sem paciência, há de esperar isso, mas tudo isso é por amor ao Parque. Ela faz uma defesa muito aguerrida pelo Parque”, acrescentou.


Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com

Niède anuncia que 100% dos funcionários deixam Parque Nacional da Serra da Capivara

Quase três meses após a visita do ministro do meio ambiente, Sarney Filho ao Parque Nacional da Serra da Capivara, a aerqueóloga e presidente da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM), Niède Guidón anuncia a total paralisação dos serviços no parque a partir desta quarta-feira (17).

Em contato com o Cidadeverde.com, Niède afirmou que ainda nesta terça-feira (16) todos os 30 funcionários que restaram dos 270 que trabalhavam no local deverão deixar seus postos e a partir de amanhã o parque não abre mais para o público. Niède garantiu ainda que caso a situação não seja resolvida nos próximos dias, ela comunicará a UNESCO a sua saída do parque, que é atualmente Patrimônio da Humanidade.

"Nós tínhamos 270 funcionários e os últimos 30 estão deixando o parque hoje. Como o ICMBIO disse que não pode dar o dinheiro e nem sequer a cogestão foi renovada ficamos totalmente sem dinheiro. Eu não ganho nada de ninguém e depois um Patrimônio da Humanidade tem regras bem rígidas a serem seguidas. Se não tiver dinheiro eu não tenho mais nenhuma razão para ficar aqui", declarou Niéde.

Turistas, pesquisadores e visitantes que estiverem no município já não terão mais guias turísticos, ou qualquer tipo de apoio para a visitação do parque. "Já tivemos várias situações de falta de dinheiro mas sempre conseguíamos algum. Eu mesma paguei dois meses os funcionários com dinheiro meu, mas agora não tenho mais como manter", completou.

Na manhã desta terça-feira, uma decisão do juiz federal que tinha bloqueado R$ 4 milhões da União para a manutenção do parque acabou dando uma decisão contrária a liberação dos recursos em função do ICMBIO não ter assinado a cogertão com a FUNDHAM, o que havia sido prometido durante uma série de reuniões durante a Semana do Meio Ambiente.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Posts anteriores