Geral

SUS oferece tratamento para casais que não conseguem engravidar

Imprimir

Muitos desconhecem, mas o Serviço Único de Saúde oferece tratamento de inseminação a casais que têm dificuldades para ter filhos. Segundo a especialista em reprodução Márcia Visgueira, no Piauí o centro de tratamentos é o Hospital Lineu Araújo.


O tratamento público é oferecido a casais que tentam a pelo menos dois anos terem filhos naturalmente. O procedimento é procurar um médico para a realização de exames e investigação das possíveis causas. "O urologista vai indicar um espermograma, para saber a contagem dos espermatozóides no homem, ultrasom e exame de sangue do casal", afirmou em entrevista ao vivo no Notícia da Manhã.





O SUS oferece dois tipos de inseminação. Em um dos tipos, os espermatozóides são retirados e passam por um procedimento e depois recolocados para fertilizar o óvulo dentro do ovário. Em outro tipo, quando os óvulos não têm resistência, são retirados óvulos e espermatozóides e a fecundação ocorre fora do corpo. Depois o ovo já fecundado é recolocado no ovário e a gestação ocorre normalmente.


Segundo o médico Anatole Gomes, podem ser diversas as causas de infertilidade humana. Pode ocorrer desde a ansiedade até doenças. Nas mulheres, as mais comuns são ovários policísticos, endometriose, bloqueio das trompas, aumento da prolactina e alterações na tireóide. Em homens o mais comum são a varicocele, bloqueio dos dutos ejaculatórios, redução da motilidade dos espermatozóides e falência testicular, provocada por caxumba, quimioterapia e uso de anabolizantes.





O médico explica ainda que muitos casos realmente são provocados por ansiedade, mas não existe um estudo que comprove como isso ocorre. Nos casos em que o homem não produz espermatozóides de forma alguma a solução é procurar um banco de sémem.


Há casos em que as mulheres menstruam normalmente mas não ovulam. Ele afirma que existem medicamentos usados para regular a ovulação e existem indutores ovulatórios, usados na reprodução assistida.


Casos de abortos devem ser investigados pelo médico. Segundo ele, antes de engravidar novamente o médico precisa avaliar as causas.


Leilane Nunes
leilanenunes@cidadeverde.com

Imprimir