Cidadeverde.com
Suzane Jales

Como a rotina afeta sua vida?

Todo domingo pela manhã, eu aqueço a alma num bom cinema de arte que tem na minha cidade. OK, antes que alguém torça o nariz para esses filmes “autorais”, preciso concordar que eles não são mesmo de leitura fácil: divertem, mas nos deixam com a cabeça cheia de questionamentos.

E é exatamente isso o que eu gosto!

Ontem, foi ainda um pouco mais complexo. Além de difícil, Um Pombo Pousou num Galho Refletindo sobre a Existência é um filme estranho… e bota estranho nisso!

Mas a matéria-prima desse longa-metragem pode nos ajudar numa reflexão fantástica: a rotina do dia a dia que nos leva a falar e agir como robôs (no caso do filme, a maquiagem deixa os personagens quase mortos-vivos).

Este artigo é sobre como a rotina pode afetar a nossa vida. E eu descobri dados preocupantes!

Em 2007, um estudo de pesquisadores da universidade King’s College, de Londres, chegou à conclusão de que a rotina de trabalho pode causar depressão. Isso mesmo: Quem vive atribulado com longas jornadas de trabalho e prazos curtos para entregar o serviço, é um grande candidato a sofrer de depressão.

E, mesmo sabendo que nenhuma carreira está isenta do risco do estresse em excesso, a pesquisa revela que alguns profissionais são mais propensos à doença do século: professores de escolas primárias e secundárias, advogados, jornalistas e corretores da bolsa. É seu caso ou de alguma pessoa amiga?

Vários estudos tentaram chegar às causas biológicas e químicas por trás disso. Em 2012, um deles, desenvolvido na Universidade de Washington, nos Estados Unidos, e publicado na revista científica Nature, apresentou uma explicação do por que rotinas estressantes podem causar depressão em alguns casos: o problema está no mecanismo de liberação de um hormônio cerebral chamado fator liberador de corticotrofina (CRF, na sigla em inglês).

Não vou entrar em detalhe, mas, em resumo, é como se o corpo entregasse os pontos e desistisse do combate, tamanha a fadiga frente às situações de tensão fortes e constantes. É nesse momento que a depressão aparece.

A questão é que temos uma vida extremamente agitada: o trabalho e as demandas levam-nos a ter horários certos para tudo (a fim de não deixar nada por fazer!). Isso nos cria uma rotina… que pode nos colocar no piloto automático

E o que fazer?

Não existe uma resposta única e cada pessoa vai ter que achar a sua!

Mas eu posso dar sugestões dos primeiros passos que partem da importância de estarmos sempre atentos ao momento em que estamos vivendo: observe-se, conheça-se mais, analise se as suas rotinas estão lhe deixando no piloto automático e reconheça traços de depressão em você.

Se já houver depressão, procure ajuda médica!

Agora, se ainda não chegou nesse ponto, cuide de encontrar formas de “desestressar”

É aqui que cada um escolhe a que lhe parecer melhor: cultivar a meditação, ter um hobby, praticar esporte, fazer sessões de Coaching, consultar terapeutas e tantas outras coisas… Teste algumas e encontre a sua! 

Faça isso o mais rápido possível, antes de se ver com ansiedade e a um passo da depressão.

No filme que assisti, em alguns momentos, os personagens “olham para nós” como se perguntassem o que estamos achando do que está na tela, deixando nítida a intenção do diretor de “cutucar a plateia com vara curta”.

Eu também espero ter conseguido fazer isso com você aqui!

Se gostou, deixe seu comentário: eu vou adorar saber quais são as formas que você encontrou para desestressar.

Ah, e não esqueça de compartilhar com os amigos! Tenho certeza que você conhece alguém que está precisando ler isso…

Beijos mil e até o próximo!