Cidadeverde.com

Bolsa só pode ter 5% do peso da mulher

Essa publicação foi sugerida pela jornalista Cláudia Brandão, que nos brinda com o seu prestígio. O assunto é sempre atual e é direcionado diretamente para a mulherada. Que homem nunca se surpreendeu ao ver o que tem dentro da bolsa de uma mulher? Para muitas, ali está parte da vida delas. Tem de tudo! O que ela precisa e até o que não precisa: Perfume, maquiagem, carteira, escova, revista, celulares, carregador, absorventes, esmaltes, lenços umedecidos, bloqueadores solares, prendedores de cabelo e até lanches, como barrinhas de cereal. Enfim... Com tanta coisa fica inevitável a bolsa não ficar pesada e acaba sobrando para a coluna. Os problemas atingem a lombar, a torácica e cervical.

Para os ortopedistas, essa bolsa deve "emagrecer". O ideal é que o acessório, com tudo dentro, pese até 5% do peso da mulher. Ou seja, se a mulher tiver 60 quilos, a bolsa deve ter, no máximo, 3 quilos. Usar a bolsa sempre no mesmo ombro pode trazer complicações. Inclusive a principal queixa nos consultórios é justamente as dores nos ombros, embora essa seja a melhor forma de carregar a bolsa. Já que o cotovelo e o punho são menos protegidos por músculos. 

A bolsa pesada causa dores e fadiga na musculatura do pescoço. A postura inadequada e a alteração do equilíbrio que a mulher faz para segurar a bolsa no ombro, leva a uma sobrecarga na região lombar e ainda pode gerar um quadro crônico de dor e inflamação. Os especialistas da área também recomendam usar bolsas de alças largas, por serem mais confortáveis. 

Distribuição da insulina Lantus para diabéticos começa dia 6

A Associação dos Diabéticos do Piauí - Adipi, divulgou em sua rede social uma ótima notícia. É que a Secretaria Estadual de Saúde informou que a insulina Lantus, que atende 616 pacientes com diabetes, estará disponível à partir de segunda-feira, dia 6, na Assistência Farmacêutica. Alguns internautas responderam a postagem desacreditados que essa medicação seja disitribuída gratuitamente, devido as autoridades de saúde já terem marcado várias datas para isso acontecer. Mas a presidente da Adipi, Jeane Melo, diz que aguarda esse grande feito com bastante entusiasmo. "Não podemos perder a esperança. Nos confirmaram que as caixas da insulina Lantus já chegaram e que à partir de segunda-feira começa a distribuição. Vamos aguardar", disse Jeane Melo.

Entenda o que é a insulina Lantus, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa:

Lantus é um remédio para diabetes injetável que contém insulina glargina, uma insulina de longa duração, produzida por tecnologia de DNA-recombinante e análoga à insulina humana. A Lantus está indicado para uso adulto e em crianças acima de 6 anos para o tratamento do diabetes. 

 

Indicações:

A Lantus está indicada no tratamento de diabetes mellitus tipo 2 em adultos e no tratamento de diabetes mellitus tipo 1 em adultos e crianças com mais de 6 anos de idade que necessitam de insulina basal, ou de longa-duração, para controlo da hiperglicemia. 

 

O preço:

O preço da Lantus varia entre os 84 e os 325 reais, de acordo com o volume de solução do medicamento. 

 

Efeitos colaterais:

Os efeitos colaterais da Lantus inclui hipoglicemia, distúrbios visuais temporários, lipodistrofia e reações alérgicas no local de aplicação da injeção. 

 

Contraindicações:

A Lantus é contraindicada para pacientes com hipersensibilidade à insulina glargina ou a qualquer um dos componentes da fórmula, e para crianças menores de 6 anos de idade.

Vai exagerar na Semana Santa? Veja que alimentos ajudam a desintoxicar

O normal seria fazer jejum na Semana Santa, mas muita gente aproveita o feriadão prolongado para degustar as guloseimas dessa época. Tortas, tapiocas de coco, panelada, sarapatel, churrasco, cerveja, etc. Além de serem alimentos altamente calóricos, existem os excessos que provocam vários problemas intestinais. Por isso, o blog VIDA mostra para você dicas de alimentos que auxiliam na desintoxicação intestinal.

O recomendado pelos nutricionistas é uma dieta leve, com fibras e muito líquido. Os alimentos que podem lhe ajudar nesse processo são: Laranja, abacaxi, tomate, água de coco e água mineral, melancia, goiaba, cenoura, manga, batata doce, chá verde, suco de uva integral e chocolate amargo. As hortaliças e frutas de cores amarelo e laranja também auxiliam na desintoxicação do organismo, bem como folhas verdes, leite e gema de ovo.

Essa alimentação deve ser organizada de acordo com o horário das refeições, em pouca quantidade, e deve ser seguida por pelo menos três dias. O ideal é que esses alimentos sejam consumidos a cada três horas. Esse mix de opções que sugerimos possui alto valor nutricional, como vitaminas A, C, Licopeno, Betacaroteno e Flavonoides. Para evitar problemas, o melhor mesmo é saber ter controle do que vai consumir. Assim não precisa se privar de tudo.

ENTREVISTA: Suicídio é problema de saúde pública e pode ser evitado

Hoje vamos abordar um assunto que geralmente é evitado nos veículos de comunicação. Mas, como jornalista e futuro profissional de saúde, entendo que não devemos deixar de divulgar esse problema que é de saúde pública e tem como ser evitado. Para essa entrevista especial, convidamos Djacira de Macedo Vieira, que é Psicóloga Clínica com abordagem psicanalítica. Ela reside no município de Altos e lançou um lindo movimento em favor da vida que tem gerado muita repercussão positiva.

Psicóloga Djacira Vieira

MARCELO FONTENELE - O que diz uma pesquisa realizada por você sobre o suicídio?

DRA. DJACIRA VIEIRA - A primeira pesquisa que realizamos foi em 2008 e descobrimos o alto índice de suicídio em Altos. À partir de então, partiu-se o interesse em pesquisar com mais profundidade o assunto até constatarmos que realmente o índice é assustador.

 
MARCELO FONTENELE - Esses números são alarmantes? Motivo de alerta para as autoridades de saúde?

DRA. DJACIRA VIEIRA - Sim! No ano passado (2014) tivemos 6 suicídios. A cidade tem 38 mil habitantes (IBGE), o que representa 15 suicídios para cada 100.000 habitantes.  Acima, portanto da média nacional que é de 4,8 e da média da capital piauiense que representa 6,5 suicídios para cada 100.000 habitantes.

 

MARCELO FONTENELE - Por que esse grave problema é pouco divulgado na mídia?

DRA. DJACIRA VIEIRA - Existem alguns mitos que permeiam o suicídio, um deles é sobre a abordagem.  Durkhein (1977) em seu livro Grifos Meus aponta a possível relação de  notícias sobre suicídios como fator de colaboração para novos casos, porém enfatiza que não é o fato de se noticiar, mas como o fazer.
[...] Na realidade, o que pode contribuir para o desenvolvimento do suicídio ou do crime, não é o fato de se falar deles, é a maneira como se fala.  ”Onde essas práticas são abominadas, os sentimentos que despertam traduzem-se através dos relatos que se fazem delas e, por conseguinte, neutralizam mais do que excitam as predisposições individuais” (Durkheim, op. cit.: 143, grifos meus).
A imprensa precisa discutir o tema, mas de maneira profissional e ética. Existe um manual da OMS que orienta a veiculação do suicídio disponível na internet. Creio que ao abordar o assunto daremos oportunidade para que as pessoas possam expor seus medos, angústias e dúvidas e, ao contrário do que se pensa, podem ser dissuadidos da idéia.

MARCELO FONTENELE - Tem como as pessoas próximas identificarem comportamentos suicidas?

DRA. DJACIRA VIEIRA - Sim.  Mudanças bruscas de comportamento são as principais pistas que o suicida dá. A pessoa, normalmente, fica deprimida, fala muito em morte, se isola socialmente, tem insônia, demonstra uma mudança acentuada de comportamento, atitudes e aparência, , automutilação, etc. É importante ficar em alerta ao notar grande alteração alimentar ou de sono, sentimento de desvalor e desesperança em pessoas próximas.  A maioria dos suicidas dá sinais claros de que vai se matar. Algumas vezes os mais jovens são mais diretos. São praticamente anúncios. Eles verbalizam de maneira clara a intenção, ou avisam pelas redes sociais, por cartas, por email. Os mais idosos são mais sutis. Normalmente calam, se isolam e, algumas vezes, dividem as posses entre os familiares.

 

MARCELO FONTENELE - Qual a importância do atendimento psicológico no acompanhamento dessas pessoas?

DRA. DJACIRA VIEIRA - Levando em conta de que 90% das pessoas que cometem suicídios, possuem algum tipo de transtorno mental, dentre eles estão: depressão, abusos de substâncias psicoativas, transtorno de humor e até esquizofrenia, entendemos que o atendimento imediato, psicológico e psiquiátrico é de grande importância para prevenção. Na maioria dos casos, podemos fazer com que o cliente ressignifique seu desespero existencial e descubra perspectivas de manejo de seus conflitos.

 

MARCELO FONTENELE - Quais os motivos que levam uma pessoa atentar contra a própria vida?

DRA. DJACIRA VIEIRA - O suicídio não ocorre apenas por uma causa, mas por uma combinação de fatores biológicos, emocionais, psicológicos, genéticos, culturais, sociais e ambientais.  Trata-se de um fenômeno multideterminado.

 

MARCELO FONTENELE - Você criou um movimento “ Altos à  favor da vida". No que consiste esse movimento?

DRA. DJACIRA VIEIRA - O movimento nasceu através das redes sociais. Não podíamos, como psicóloga, ficar de braços cruzados. Lançamos a campanha “Altos a favor da vida” e juntamos um grupo de voluntários para trabalharmos com a prevenção e acolhimentos dos familiares. Temos o objetivo de informar, orientar, acolher e atender as pessoas que passam ou passaram por este problema. Na Europa, as taxas de suicídio estão diminuindo porque a prevenção funciona. Já nos Estados Unidos foi lançada a campanha “Amigo bravo é melhor que amigo morto”, para incentivar os jovens a não manterem segredo e contarem o que sabem sobre as intenções dos colegas. No Brasil, simplesmente não se fala no assunto.

MARCELO FONTENELE - Que atividades já foram realizadas?

DRA. DJACIRA VIEIRA - O primeiro passo foi uma caminhada com intuito de mobilizar a sociedade altoense. Centenas de pessoas de todos os segmentos sociais participaram. Após isso tivemos treinamento com um profissional da área para os voluntários e cursos que abordam o tema. Estamos atendendo na clínica os acasos que nos chegam, além de fazermos visitas domiciliares. Faremos ainda palestras nas Igrejas, escola e presídios.  Atualmente estamos fazendo o estatuto para institucionalizarmos o movimento e assim atendermos mais pessoas.

 

MARCELO FONTENELE - Como a população está recebendo as atividades?

DRA. DJACIRA VIEIRA - Desde o início percebemos a disponibilidade dos altoenses. Andamos em escolas, comércios e residências e percebemos o apoio e a solidariedade da população. Quem tem amigos, vizinhos ou familiares que passaram por esse problema sabe que o apoio é importante. É importante destacar que cada suicídio tem um sério impacto em, pelo menos, 6 pessoas próximas. O impacto psicológico, social, financeiro para a família e comunidade é imensurável.

MARCELO FONTENELE - Qual a sua mensagem para as pessoas depressivas ou que se encontram desestimuladas com a situação de vida?

DRA. DJACIRA VIEIRA - Acreditamos que o primeiro passo é buscar ajuda dos familiares e de profissionais para amenizar o sofrimento.  Saibam que vocês não estão sozinhos nesta luta. Estamos traçando metas, trocando experiências e informações para buscarmos assistir os envolvidos e seus familiares de forma ética e compromissada para amenizar o sofrimento  dos que passaram ou passam por essa terrível experiência. O caminho é longo, mas entendemos que o suicídio é um problema de saúde publica que pode e deve ser evitado.

Saiba escolher Ovos de Páscoa saudáveis

Nesse período do ano, além de Jesus, outro personagem invade o imaginário das pessoas: Ovo de Páscoa, que simboliza a ressureição de Cristo. A criatividade dos fabricantes se supera a cada ano, quando nos referimos aos recheios e à estática visual das guloseimas. Fica difícil resistir à tentação! Mas, é preciso ter cuidado na hora de escolher e consumir um ovo de chocolate menos agressivo para a saúde. Numa conversa informal, iniciei um pequeno debate sobre o assunto com três nutricionistas. E todas foram enfáticas ao falar que o ideal é consumir chocolates com, no mínimo, 50% de cacau na composição. Pois ele tem nutrientes que possuem função anti-inflamatória, previnem contra o envelhecimento precoce e ainda são menos calóricos.

Outra opção para quem busca comer Ovo de Páscoa sem culpa é aquele produzido organicamente, que contém menos quantidade de gorduras que os ovos tradicionais. Também estrelam no mercado os Ovos de Páscoa sem glúten na composição, chamados de alfarroba. Esse ovo é rico em vitaminas do complexo B, cálcio e magnésio. Observar o rótulo dos ovos de Páscoa é outra recomendação dos especialistas, assim você pode saber a quantidade de calorias que existe em determinada porção ou peso consumido.

ALERTA: Os ovos diet devem ser evitados. Pois eles possuem menos açúcar, porém, a quantidade de gordura é maior. O chocolate branco não possui antioxidante e, portanto, deve ser a última opção. Geralmente, os ovos caseiros possuem muita gordura nitrogenada, altamente calórica e prejudicial. O consumo deve ser moderado, mesmo com os "Ovos do Bem".

 

Posts anteriores