Cidadeverde.com

No Dia Nacional do Glaucoma, saiba mais sobre a doença

Hoje, 26 de maio, é o Dia Nacional do Glaucoma. O blog VIDA traz para você algumas informações a respeito da doença. O glaucoma acomete 900 mil pessoas no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Glaucoma. Dessas, 720 mil não apresentam sintomas. Daí a importância da prevenção precoce. O não cumprimento das recomendações médicas pode acarretar na antecipação da cegueira. A doença é o aumento da pressão dentro do olho, o que acaba comprimindo vasos sanguíneos e comprometendo estruturas visuais importantes, como a retina e o nervo óptico.

Quando os principais sintomas aparecem, a pessoa sente dor de cabeça, visão embaçada, perda de visão lateral, dificuldade de adaptação em ambientes escuros e passa a ver um arco-íris ao redor das luzes. A medicina não tem uma causa definida para o acometimento da doença, mas a idade é um dos fatores de risco, já que quanto mais idade a pessoa tem, maior é o número de incidência e prevalência.

Para a identificação do glaucoma, o médico examina o interior do olho, observando através da pupila dilatada. Uma série de exames é solicitado, pois somente por meio da averiguação da pressão intraocular, não é  o suficiente para dar o diagnóstico. Para conviver com o glaucoma, o paciente deverá mudar alguns hábitos de vida, como:
- Ingerir uma dieta saudável
- Realizar atividades físicas específicas (recomendadas pelo educador físico)
- Diminuir a ingestão de cafeína
- Ingerir bastante líquido

Conselho Regional de Medicina realiza campanha de resgate às crianças desaparecidas

No dia 24 de setembro de 2012, o menino Fabrício José Siqueira Mendes desapareceu ao sair de casa em direção a uma lan house. Quase três anos depois, a incerteza atormenta a família da criança. Pois, infelizmente, Fabrício nunca apareceu. Mas, é a esperança que fortalece a família. Esse caso aconteceu em Teresina, mas não é raro. No Brasil existem 50 mil crianças ou adolescentes desaparecidos. Aqui em Teresina, 36 desapareceram somente de janeiro e maio desse ano. O levantamento foi feito pela polícia civil, que ainda mostra que 31 dessas crianças são do sexo feminino (86% dos casos). Diante dessa triste realidade, os Conselhos Federal e Regionais de Medicina abraçaram a causa e realizam uma campanha denominada "Vamos resgatar nossas crianças". A mobilização será realizada na segunda-feira, 25 de maio, que é o Dia da Criança Desaparecida. O presidente do Conselho Regional de Medicina do Piauí, Emmanuel Fontes, disse que a campanha consiste em deixar a população informada sobre atitudes suspeitas e como reagir diante de desconhecidos. As informações também serão repassadas às crianças e aos adolescentes de forma didática com o bojetivo de prevenir novos desaparecimentos.

Dr. Emmanuel Fontes - presidente do CRM Piauí

Para isso foi confeccionado um folheto informativo e uma comitiva do Conselho Regional de Medicina vai visitar hospitais da rede pública para repassar as orientações. A visita começará às 7:30h, no Hospital Infantil Lucídio Portella. De lá, o grupo seguirá para a maternidade Dona Evangelina Rosa, maternidade Wall Ferraz e o CIAMCA.

Congresso de Fisioterapia em Teresina vai receber palestrantes internacionais

Fisioterapeutas e a comunidade acadêmica estão em contagem regressiva para a realização do maior congresso de fisioterapia do Brasil, realizado por estudantes. É o ConaFisio, que chega à xI edição, prometendo vir maior e melhor. O evento vai acontecer durante quatro dias: 08, 09, 10 e 11 de outubro, no Grand Hotel Arrey, em Teresina. Os participantes poderão participar de palestras, apresentar trabalhos, mini-cursos e mesa redonda.

Auditório lotado na edição do ConaFisio do ano passado

A programação é vasta e está recheada de muito conhecimento. Um dos palestrantes confirmados é o Dr. Helder Montenegro, que é presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna, considerado um dos maiores especialistas do país nessa área. Além dele e de outros profissionais reconhecidos no Brasil, o ConaFisio confirmou a presença de dois palestrantes internacionais. O primeiro é o Dr. Juan vicente López Diaz, que vem da Espanha. Ele é o criador do método POLD (Pulsação Ondulatória de Longa Duração) e vai justamente realizar um minicurso sobre essa formação. A outra palestrate confirmada é a Dra. Alejandra Aros, também da Espanha. Ela vai proferir o minicurso com o tema "Massagem aplicada no tratamento de cólicas em lactantes".

Dr. Helder Montenegro, um dos maiores especialistas em coluna do Brasil

As inscrições para o XI ConaFisio estão abertas à partir de segunda-feira, dia 25, e podem ser feitas por meio de representantes do congresso, em cada instituição de ensino superior. 

Por que os homens cuidam menos da saúde que as mulheres?

Ao fazer uma pesquisa na plataforma Scielo, encontrei um artigo científico de autoria de Romeu Gomes, Elaine Ferreira do Nascimento e Fábio Carvalho de Araújo. Achei o tema bastante interessante e atual: "Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres?". Para esse trabalho, os autores fizeram pesquisas em outros artigos e realizaram entrevista com 28 homens. E o blog VIDA divulga os principais resultados que respondem a esse questionamento.

De início, a maioria dos entrevistados deixou clara a definição de ser homem, citando várias características opostas à mulher. Palavras do tipo "forte", "bruto" e "agressivo" não foram poupadas. Não procurar o médico habitualmente tornou-se cultural com a justificativa de que as mulheres são que se cuidam mais e que o homem não foi criado para se cuidar. Além disso, o emprego também foi colocado como barreira. Pois, segundo os homens entrevistados, fica complicado sair do expediente para ir ao médico, que geralmente exige um turno do dia entre espera e atendimento. Outro empecilho citado pelo público pesquisado foi a precariedade do sistema público de saúde, que quando não tem o especialista, faz com que se perca muito tempo na fila de espera por atendimento.

Mas, outra informação interessante foi revelada pelos entrevistados. Um dos motivos dos homens evitarem a ida ao médico é a possibilidade de descobrir algo ruim. É o típico "Quem procura acha". A vergonha de ficar exposto a um outro homem ou a uma mulher também é explicação para a não busca de cuidados médicos por parte dos homens. 

Veja as 10 profissões menos estressantes de 2015

O site norte-americano, Career Cast, divulgou a nova lista das dez profissões menos estressante para esse ano. Como critérios de avaliação, os pesquisadores analisaram a competitividade, esforço físico, prazos apertados e riscos de vida. Em toda profissão o estresse é inevitável e cada pessoa apresenta algum nível do problema. É preciso saber idar com as emoções e ter controle e organização para desenvolver os afazeres, sem prejudicar a saúde. Confira a lista da pesquisa:

1) Cabeleireiro
Pode render dores de cabeça adminsitrar um salão de beleza, mas o fato de deixarem os clientes "mais bonitos", a tarefa causa a sensação de dever cumprido, como se fosse um lazer.

2) Fonoaudiólogo
Esse profissional, no geral, não tem muita preocupação com prazos ou cobrança por resultados imediatos.

3) Professor universitário titular
Até chegar a essa função, ele passa por muitas cobranças. No entando, segundo a pesquisa, ao chegar a esse patamar de professor universitário titular, o profissional pode flexibilizar seus horários e o fluxo de trabalho.

4) Técnico de registros e informações em saúde
Geralmente esse profissional trabalha em ambiente calmo e com pouca pressão de superiores.

5) Joalheiro
Mesmo que precise interagir com as pessoas, ele passa a maior parte do tempo num ambiente fechado, trabalhando sozinho.

6) Técnico de laboratório médico
Trabalha em hospitais ou centros de diagnóstico analisando amostras em seu próprio tempo.

7) Nutricionista
O nutricionista trabalha em diversos lugares. Mas, no geral, não é pressionado por prazos e resultados.

8) Costureira
O local de trabalho pode variar. Assim como o horário de trabalho, que pode ser organizado pela própria profissional.

9) Bibliotecário
A tecnologia tem contribuído para deixar o bibliotecário mais tranquilo na sua atividade. Ficou mais fácil localizar livros por meio de sistemas nos computadores. 

10) Operador de empilhadeira
Ele trabalha em certa reclusão, o que  ajuda a manter baixos os níveis de estresse.

Posts anteriores