Cidadeverde.com

Tempo seco exige cuidados com a saúde

O período mais seco do ano chegou em Teresina, o B-R-O Bró. O nome faz referência aos meses com altas temperaturas no Piauí e que, por coincidência, terminam em “bro” (setembro a dezembro). De acordo com especialistas, o tempo seco pode provocar diversas reações no corpo, como irritação nos olhos, nariz e garganta seca, mal-estar e pele ressecada. Para o otorrinolaringologista, Erick Barros, a baixa umidade afeta as mucosas dos olhos, da boca e do nariz, que ficam ressecadas, favorecendo a atuação de agentes externos, como vírus e bactérias. “O tempo seco prejudica a saúde porque existem níveis mínimos de umidade relativa do ar, onde abaixo de 30% já é considerado nível crítico, ocasionando efeitos na saúde”, explica.

Otorrinolaringologista, Dr. Erick Barros

 
Para reduzir as consequências do clima seco, o Dr. Erick Barros ressalta a utilização do protetor solar, ingestão de líquidos, além de hidratar a pele. “É salutar também usar colírio para hidratar os olhos, assim como lavar o nariz com soro fisiológico várias vezes ao dia”, destaca o otorrinolaringologista. Existem mais algumas recomendações para esse período, como usar o umidificador de ar nos ambientes de trabalho e domiciliares, aumentando artificialmente a umidade do ar, bem como não direcionar o ventilador ou o ar condicionado para o rosto. A última dica do especialista é evitar atividades ao ar livre nos períodos em que o ar está mais quente, entre 10h e 15h.

Parto humanizado respeita os desejos e as necessidades da mulher

A hora do parto é um momento de muita preocupação e dúvidas na maioria das mulheres. O medo da dor é uma das principais angústias das gestantes, mas, será que a hora do nascimento do bebê aguardado por nove meses deve ser realmente uma experiência ruim? Para o ginecologista e obstetra Jailson Costa Lima, a resposta é não. Com uma vasta experiência na área de ginecologia e obstetrícia, o médico é defensor do parto natural humanizado e diz que com este método a mulher pode ter total controle do momento do nascimento. “O parto natural ou humanizado é a retomada do método antigo de dar à luz quando a mulher dita o ritmo do parto, ela escolhe como terá o bebê”, diz Jailson.

Existe uma diferença entre parto natural humanizado e o parto normal e é justamente a maneira como o processo é conduzido. As intervenções de medicamento, aceleração do parto ou mesmo o tradicional corte vaginal acontece somente quando é estritamente necessário, pois no parto humanizado o atendimento é concentrado na mulher. “A mãe é tratada de forma carinhosa, podendo desfrutar da companhia da família, caminhar, tomar banho de chuveiro ou banheira para aliviar as dores”, conta o médico. O maior medo da mulher é sentir muita dor. Sobre isso, Jailson explica que varia muito de mulher para mulher e que ela pode ser aliviada de forma natural, com massagens nas costas, banhos de chuveiro ou de banheira. “A mulher que opta pelo parto natural deve estar disposta e consciente de que terá papel ativo na hora do parto. O tempo em que a gestante fica em trabalho de parto também pode variar. Em geral a primeira gestação leva em torno de 16 horas, já as demais o tempo chega até 12 horas”.

Existem também procedimentos para os casos de intervenção sejam minimizados e que podem ser feitos antes de se optar pela cesariana. “Estimulamos a gestante ficar livre, caminhar,  fazer alguns exercícios em bola de parto que estimulam as contrações e facilitam o trabalho de parto, além de tecnicas para aliviar a dor. O monitoramento da equipe deve existir para garantir a normalidade do processo e, em casos pontuais, iremos intervir com medicamentos ou parto cesariana”, diz o obstetra. Além do fator sentimental o parto natural também oferece uma recuperação mais rápida para a mãe e menos risco para o bebê, isso por que ao nascer de parto natural ele corre menos risco de aspirar líquido e também de contrair infecções.

Isso foi fundamental para escolha de Priscilla Khrisna, que em nenhuma hipótese pensou em fazer o parto de outra forma. “Eu acompanhei uma amiga em uma cesariana e vi quanta violência obstétrica a mulher sobre nesses tipos de parto, mas na época eu nem conhecia esse tipo de atitude. As cenas ficaram marcadas na minha mente e a partir daí eu determinei se um dia eu fosse mãe, traria meu filho por parto normal. Busquei informações sobre o parto humanizado com um médico especializado e fiz minha escolha.”, disse.  
Priscilla fez o relato do seu parto em uma rede social onde ela denomina a “Saga do parto Normal”, onde conta as dificuldades e emoções para realização do seu desejo por um parto mais humanizado. “Tive uma equipe maravilhosa, que me trouxeram muita segurança. Tive apoio da família e dos médicos e isso começa a ser a humanização do parto, além de todo carinho e amor, emocionalmente também me senti amparada, também tem as vantagens físicas que contam bastante.”, conta.

Ela conclui. “Devemos levantar a bandeira do respeito não só com a mãe, mas com o bebê também, pois é seu primeiro contato com o mundo, até porque a criança é a protagonista da história, tudo é feito pensando em seu bem estar. Dizer que parto humanizado pode ser feito em qualquer situação de nascimento (cesariana, normal, natural).

(Foto: Amana Dias)


Dados

O Brasil é o país campeão de cirurgias cesarianas no mundo. Na rede particular de saúde, 82% dos bebês nascem assim. Na pública, 37%. Mais que o dobro da estimativa aceita pela Organização Mundial de Saúde, que é de 15%. Além dos riscos da cirurgia, os procedimentos considerados padrão para os partos feitos nos centros cirúrgicos acabam impedindo medidas que fazem bem para o binômio mãe-bebê, como amamentação na primeira hora e clampeamento tardio do cordão umbilical.

ENTENDA A DIFERENÇA:

Parto cesariana: cirurgia em que o bebê nasce por meio de uma incisão no abdôme e no útero da mãe.

Parto normal: é o parto por via vaginal.

Parto natural: ocorre quando não há intervenções externas ao trabalho de parto normal, sem induções ou administração de medicamentos.

Parto humanizado: acontece independente da via de nascimento, quando a equipe segue a política nacional do Ministério da Saúde e a parturiente é protagonista e tem seus direitos e escolhas plenamente respeitados.

5 dicas para aliviar o estresse no trabalho

1) QUANDO ESTIVER SE SENTINDO AGITADO

Livre-se da tensão e agitação da seguinte forma: escolha um local com mais espaço aonde você possa se movimentar. Dê quatro passos largos enquanto inspira o ar lentamente, depois expire todo o ar enquanto dá outros quatro passos. Repita isso por pelo menos três minutos, quanto mais tempo melhores os resultados.
 
2) QUANDO VOCÊ PRECISA DE UM MOMENTO SOZINHO..

Depois de uma reunião ou telefonema estressante tudo o que você precisa é de um momento sozinho para equilibrar novamente sua mente e corpo. Sente-se no chão em uma posição confortável e alinhe a coluna corretamente. Olhe para o ponteiro dos segundos de um relógio; inspire por três segundo e expire lentamente durante outros três. Repita essa atividade por pelo menos três minutos.
 
3) O EXERCÍCIO DO GATO

Sente-se de forma ereta em uma cadeira e coloque as duas plantas dos pés no chão. Depois, coloque as duas mãos do joelho e "dobre" as costas com a barriga para dentro, formando uma forma côncava com a coluna. Expire enquanto acha a posição. Solte todo o ar e depois, lentamente, inspire colocando a coluna na direção oposta, ainda com as mãos no joelho. Repita cinco vezes.
 
4) DE UM LADO PARA O OUTRO

Ainda sentado, inspire o ar e levante os braços, esticando-os o máximo que conseguir. Mova-se para a direita enquanto expira. Para voltar ao centro, inspire novamente. Depois, expire enquanto move-se para a esquerda. Repita cinco vezes.
 
5) TWIST

Sentado e com os braços flexionados na altura na cintura, expire e gire o tronco para a direita. Inspire novamente para voltar ao centro e depois gire expirando para a esquerda. Repita cinco vezes.

Enxaqueca pode provocar AVC

1. A doença é a segunda causa mais comum de dor de cabeça no mundo. Entre a adolescência e os 40 anos, as mulheres são três vezes mais propensas a desenvolver a patologia, graças à genética e aos hormônios.

2. A dor característica é latejante, o paciente sente ânsia de vômito e há casos com manifestações visuais, como pontos enegrecidos, bolas coloridas, manchas, linhas brilhantes e perdas visuais temporárias.

3. Como a patologia acomete os vasos da cabeça, se não for não tratada pode levar ao acidente vascular cerebral (AVC). Obesidade, fumo, hipertensão e diabetes contribuem para o mesmo quadro.

4. Em alguns pacientes a ingestão de alimentos gordurosos, chocolate, frituras, molhos condimentados e embutidos desencadeia a dor.

5. A automedicação pode levar à cefaleia por abuso de medicação. Para tratar a enxaqueca procure um neurologista.

Fonte: Revista Viva Saúde

Câncer ocular afeta mais piauienses por causa da luz do sol

Por: Katya D'Angeles (especial para o blog VIDA)

A região Nordeste, devido à alta incidência de luz solar, tem mais casos de câncer de superfície ocular. Publicação da revista científica Internacional Journal of Cancer mostrou que a incidência do retinoblastoma no Brasil é o dobro da registrada nos Estados Unidos e na Europa. Enquanto algumas cidades brasileiras registram entre 21,5 e 27 casos desse câncer por milhão, nos EUA, esse valor varia entre 10 e 12 casos por milhão. As pesquisas sobre o tema ainda são iniciais, mas os estudiosos do Inca (Instituto Nacional do Câncer) acreditam que fatores geográficos e ambientais também estejam envolvidos. Segundo a oftalmologista Mônica Muller a falta de conhecimento em relação ao retinoblastoma, câncer ocular, ainda é um grande problema enfrentado.

Em relação ao Piauí, segundo Mônica Müller há ainda outro fator que é a muito burocratização para o acesso ao tratamento especializado. "O que observamos, em relação a todos os tipos de lesões oculares oncológicas, é a existência de doentes com tumores muito avançados, algumas vezes já com metástases disseminadas. Isso se dá por uma série de problemas sociais, como o desconhecimento da sociedade em geral sobre o assunto; a dificuldade de diagnóstico dos tumores iniciais por médicos generalistas, além da demora e burocratização que existe ao encaminhar pacientes oncológicos aos serviços de alta complexidade".

O câncer ocular é uma doença de prognóstico desfavorável quando detectado em fases avançadas, mas a detecção precoce e o progresso da Medicina têm possibilitado tratamentos com resultados cada vez melhores.  "A incidência de lesões oncológicas da superfície ocular na região Nordeste como um todo é elevada, principalmente por conta da alta taxa de incidência de luz solar nesta região. O segundo principal fator de predisposição é a infecção pelo vírus HPV (Papiloma Vírus Humano), que, infelizmente, tem alta taxa de prevalência entre as classes sociais menos prevalecidas.", explica. Porém muitas vidas têm sido salvas com o diagnóstico precoce.

Dra. Mônica Müller, médica oftalmologista

O retinoblastoma é originado das células da retina, que é a camada neural do olho sensível a luz. Em 90% dos casos não apresenta causas conhecidas e caracteriza-se pelo desenvolvimento anormal das células da retina na infância, acometendo, de forma mais comum, apenas um olho. Cerca de 10% dos casos é transmitido por hereditariedade, podendo comprometer ambos os olhos. Quando não diagnosticado e tratado precocemente, pode levar à perda de visão e até mesmo ao óbito, devido à disseminação de lesões neoplásicas para outros órgãos (metástases). A retirada do globo ocular é necessária em alguns casos como tratamento, evitando-se assim, que a doença se espalhe para órgãos vitais. 

A melhor prevenção ao câncer ocular ainda é a realização de consultas e exames oftalmológicos periódicos, aumentando as chances de um diagnóstico precoce e de cura. "Alguns tipos de tumores estão sendo constantemente estudados na tentativa de melhorar a taxa de cura e sobrevida dos doentes, como é o caso do melanoma de coróide. O objetivo maior do tratamento dos pacientes oncológicos com tumores oculares será sempre preservar a vida em primeiro lugar. Porém devemos também tentar preservar o globo ocular, como órgão, evitando ao máximo as deformidades faciais e poupar a visão, que é o mais difícil devido às próprias sequelas ocasionadas pela patologia", reforça a especialista, orientando a população sobre a importância do diagnóstico precoce.

Posts anteriores