Cidadeverde.com

Saiba mais sobre o vírus Mayaro, transmitido pelo Aedes Aegypti

O ano começou cheio de notícias ruins para os piauiense e ela parecem não querer dar trégua. A novidade é com relação a saúde. A Fundação Municipal de Saúde de Teresina fez o alerta sobre a possibilidade de contaminação de um novo vírus pelo mesmo mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, o Aedes Aegypti. É o Mayaro, que causa sintomas parecidos com as dessas doenças. A febre do Mayaro é uma patologia infecciosa febril aguda, causada por um arbovírus (vírus transmitido por artrópodes), que pode causa uma doença de curso benigno semelhante a dengue. Normalmente, após uma ou duas semanas o paciente se recupera completamente. Entretanto, parte dos pacientes pode apresentar queixa de artralgia intensa, acompanhada ou não de edema nas articulações. A lesão pode ser limitante ou incapacitante e durar por meses, quando a recuperação é mais prolongada.

 
Mais recentemente no Brasil, entre dezembro de 2014 e janeiro de 2016 (semana epidemiológica 01), foram registrados 343 casos humanos suspeitos de doença pelo vírus Mayaro. Os casos suspeitos foram identificados em onze estados distribuídos nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com destaque para o estado de Goiás com a maior frequência 183 (53,3%), seguido do Pará com 68 (19,8%) e Tocantins, com 25 (7,2%) casos suspeitos. Entre os casos notificados, 70 (20,4%) foram confirmados, 29 (8,4%) foram descartados e 244 (71,3%) permanecem em investigação, aguardando os resultados laboratoriais.

Tratamento

Não existe terapia específica ou vacina. Os pacientes devem permanecer em repouso, acompanhado de tratamento sintomático, com analgésicos e/ou drogas anti-inflamatórias, que podem proporcionar alívio da dor e febre. Estudos para desenvolvimento de vacina têm sido realizados, no entanto ainda é um desafio, pois seria necessária uma vacina de baixo custo uma vez que a maioria dos surtos ocorre em países em desenvolvimento. 

 

Como evitar

A Fundação Municipal de Saúde pede que a comunidade seja vigilante com relação a limpeza. Que não deixe água suja ou limpa acumulada em recipientes. Os cuidados são os mesmos de combate à dengue.

 

Mulher precisa de doadores de sangue AB+

Familiares de Francisca Maria de Freitas iniciaram uma campanha na rede social em busca de solidariedade. Ela precisa de doadores de sangue do tipo AB+. A paciente está internada numa clínica particular, especializada em câncer. Para fazer a doação, basta se dirigir ao Hemopi e comunicar que pretende fazer doação em nome dela, informando o número do CPF de Francisca Maria de Freitas, que é o 065.544.403-30. O estoque do hemocentro para este tipo sanguíneo está zerado.

Educação alimentar prolonga a vida dos idosos

Um dos principais cuidados que devemos ter na terceira idade é com a alimentação. A nutricionista Larissa Valéria, especializada em nutrição de idosos, explica para os leitores do blog VIDA que manter bons hábitos alimentares é consumir alimentos que ajudam a prolongar a longevidade e a prevenir o aparecimento de doenças como o colesterol alto, diabetes, hipertensão e o sobrepeso. “No caso dos idosos, a maior demanda é por proteínas. Em geral, eles apresentam perda muscular e pode haver redução da capacidade de mastigação, deglutição e digestão”, enfatiza a nutricionista. Para Larissa, é importante valorizar a preparação dos alimentos. Estes devem ser cortados em pequenos pedaços, moídos, ralados e até desfiados. Para facilitar a digestão é interessante incluir na dieta alimentos ricos em fibras como mamão papaia, abacaxi, maçã, as frutas de modo geral, por serem ricas em fibras e vitaminas.

Nutricionista Larissa Valéria, especialista em nutrição de idosos

Outra dica para quem cuida da alimentação de idosos é fracionar o cardápio em cinco a seis refeições por dia. Devem fazer parte os alimentos que ajudam a manter reações cerebrais saudáveis como peixe, gema de ovo, abacate e sementes oleaginosas. O leite também é necessário, pois é rico em cálcio, mas não deve ser incentivado nos casos em que o idoso tenha problemas gastrointestinais. “Se houver tais problemas, ele pode ser substituído por outros alimentos ricos em cálcio como, brócolis, couve, espinafre, sardinha, linhaça, aveia, chia, entre outros”, diz Larissa Valéria. A alimentação rica em ferro deve estar presente na dieta do idoso. É o caso de feijão, rúcula, agrião e carne vermelha. A vitamina C também é aliada na absorção do ferro e pode ser encontrada na laranja, limão e acerola. 


O visual do prato aguça o paladar!

A nutricionista, experiente em dieta para idosos, sugere que o cuidador mude a forma de apresentação do prato, para que o idoso ache mais atrativo. 

 

Como garantir mais qualidade de vida

O idoso deve ir ao médico com frequência e fazer algum tipo de atividade física, de acordo com a necessidade e limitações. 

Hospitais mantêm suspensos atendimentos do PLAMTA

Depois de uma reunião com o secretário estadual da Fazenda, Rafael Fonteles, os dirigentes do Sindicato dos Hospitais e representantes da rede clínico-hospitalar e laboratorial de Teresina decidiram manter suspenso o atendimento a segurados do PLAMTA e IAPEP-Saúde. A suspensão segue pelo menos até 31 de janeiro, quando o governo assegurou que fará o desembolso de R$ 14 milhões devidos a hospitais, clínicas e laboratórios. Na conversa que tiveram com o secretário da Fazenda, os representantes da rede clínico-hospitalar e laboratorial de Teresina explicaram que não há como manter o atendimento a procedimentos eletivos. Isso resultaria em pagar para prestar o serviço, uma vez que já existe um passivo muito elevado por parte do IAPEP, obrigando as empresas a financiar uma série de atividades (consultas, exames, cirurgias e internações) pelas quais já recebem uma remuneração aquém de seus custos.

O secretário pediu compreensão, explicando que o Estado atravessa um momento de grande dificuldade financeira, que reduziu a entrada de recursos no Tesouro estadual, seja através de impostos e taxas, seja por transferências feitas pelo governo federal. Os dirigentes da rede clínico-hospitalar e laboratorial de Teresina disseram compreender as dificuldades financeiras, mas alertaram que, do mesmo modo como o Estado tem problemas em seu fluxo de caixa, também clínicas, hospitais e laboratórios enfrentam problemas financeiros se não lhe são pagos valores devidos desde setembro do ano passado. Segundo explicou o secretário da Fazenda, o fluxo financeiro do Estado está sujeito a um sistema que somente será aberto no dia 31 de janeiro. Até lá, haveria dificuldades até mesmo para as despesas do dia-a-dia na administração pública. 

Mesmo diante disso, a rede clínico-hospitalar e laboratorial de Teresina não tem como manter os atendimentos eletivos, porque se assim fizer somente aumentará seus custos, com risco para um desequilíbrio financeiro que pode ser ainda mais danoso, com risco para a qualidade do atendimento e até mesmo para o desligamento de colaboradores. Desse modo, no tempo que resta para a abertura do sistema e o desembolso dos valores devidos, ficam suspensos os procedimentos eletivos a segurados do Iapep, até que se regularizem os pagamentos, reduzindo as perdas para hospitais, clínicas e laboratórios conveniados.


Fonte: Assessoria de Imprensa

Ejaculação não é necessidade de saúde

Fazendo pesquisas em sites especializados de saúde, encontramos esta curiosidade na Uol: Alguns homens dizem que ficar muito tempo sem ejacular pode ser prejudicial, "pesa" o saco escrotal e outros tantos argumentos. Tudo mito. Segundo os especialistas, não existe nenhuma razão fisiológica para colocar o sêmen para fora do corpo. "Se você não ejacular, vai eliminar na urina. Essa necessidade é algo cultural, puramente pelo prazer que o orgasmo causa, com sexo a dois ou masturbação. A ejaculação não é fundamental para a saúde sexual, não existe nenhum estudo científico quanto a isso", declara Sidney Glina, urologista do Hospital Albert Einstein.

Posts anteriores