Cidadeverde.com

ENTREVISTA: Urologista diz que a cada 7 minutos surge novo caso de câncer na próstata

Eles se acham fortes e resistentes a ponto de relaxarem nos cuidados com a saúde. Dificilmente você ver ou ouve falar que seu pai, irmão, namorado ou amigo marcou uma consulta médica. Convencer que os homens precisam visitar o especialista regularmente ainda é um desafio. E para falar sobre esse assunto, convidamos o médico mestre em urologia Giuliano Aita, altamente conceituado nessa especialidade. Ele é presidente da Sociedade Brasileira de Urologia no Piauí, Membro  Titular da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro da Associação Americana de Urologia. Essa brincadeira ou machismo ou mesmo desatenção pode trazer sérias complicações para a saúde da ala masculina. Veja:

 

 

MARCELO FONTENELE - Os homens passam boa parte da vida livres de incômodos que a mulher tem. Talvez isso deixe eles mais relaxados com a saúde. Mas, de acordo com sua experiência, quais são os maiores assombros dos homens quando eles procuram o médico?

DR. GIULIANO AITA - Os homens de fato são mais arredios quando o assunto é a visita ao médico.  Dados do SUS mostram que o número de consultas médicas a urologistas é bem menor quando comparado às consultas ginecológicas. Mas, à medida que amadurecem os homens passam a ver na próstata uma ameaça à vida, o que faz com que muitos deles visitem o urologista. Além disso, eu diria que a falha em obter a ereção é a segunda causa da consulta ao especialista, em ordem de prevalência, seguida pela popular andropausa, ou, como preferimos chamar, pelos distúrbios hormonais associados ao envelhecimento masculino.

 

MARCELO FONTENELE - Nenhum homem pode deixar de se preocupar com a próstata. Por que o alerta é mais direcionado aos que possuem idade a partir dos 40 anos? Tem algo a ver com mudanças fisiológicas?

DR. GIULIANO AITA - De fato, os problemas que envolvem a próstata são mais comuns após os 40 anos. Isto porque após esta idade ocorre a hiperplasia (aumento) da próstata,  cujos sintomas são aumento na frequência das micções e esforço para urinar. Interessante ressaltar que nem todos os homens com aumento da próstata vão apresentar estes sintomas. Felizmente, apenas um terço tem sintomas mais significativos que exigem tratamento clínico ou cirúrgico. Este crescimento está relacionado às mudanças hormonais que acompanham o envelhecimento masculino. Nos casos de câncer, surgem nódulos que podem ser sentidos no exame de toque retal ou que causam alteração no exame de sangue, o PSA. Diferentemente do crescimento benigno, o tumor pode não ficar restrito à glândula e invadir os tecidos vizinhos e até mesmo causar a morte.

 

MARCELO FONTENELE - Muitos não fazem o exame da próstata por puro machismo, mesmo sabendo do risco que correm. Como é feito o exame? É rápido? Doloroso?

DR. GIULIANO AITA - Muito interessante esta sua colocação. Realmente, o medo do exame do toque ainda afasta alguns homens do consultório do urologista. Este medo é infundado, tendo em vista que é um exame rápido, com duração inferior a um minuto, indolor e de grande importância para o diagnóstico precoce do câncer de próstata. Os homens que já se submeteram ao exame não hesitam em fazê-lo novamente.

 

 

MARCELO FONTENELE - Quais as consequências que os homens podem sofrer, caso não façam o exame da próstata?

DR. GIULIANO AITA - O câncer de próstata é o tumor mais prevalente do homem. Um em cada seis homens vai manifestar a doença. Entretanto, se diagnosticado em fase inicial, os índices de cura atingem 90%. Quando o tumor extrapola os limites da próstata, estas chances caem para 30%. Portanto, o exame da próstata é uma importante ferramenta para o diagnóstico precoce do câncer e pode salvar vidas.

 

MARCELO FONTENELE - Quais os dados mais recentes com relação ao câncer da próstata?

DR. GIULIANO AITA - A estimativa do INCA é de que mais de 70 mil novos casos sejam diagnosticados neste ano no Brasil, ou seja, um caso a cada 7 minutos aproximadamente. Isto ocasionará um óbito a cada 40 minutos por câncer de próstata. Muitas destas mortes poderiam ter sido evitadas caso o diagnóstico fosse feito em fase inicial.

 

MARCELO FONTENELE - O tratamento da doença é complicado?

DR. GIULIANO AITA - O tratamento do câncer de próstata deve ser individualizado para cada paciente, levando-se em conta a idade, o estadiamento do tumor, o grau histológico, o tamanho da próstata, as comorbidades, a expectativa de vida, os anseios do paciente e os recursos técnicos disponíveis. O câncer de próstata pode ser localizado (limitado à próstata), localmente avançado ou avançado (o câncer já se moveu para além dos limites da próstata). Cada uma destas situações exigirá um determinado tratamento. Houve um enorme avanço no tratamento do câncer da próstata, em todas as suas fases nos últimos anos. A técnica cirúrgica evoluiu, permitindo um menor índice de complicações com bons resultados funcionais; a radioterapia evoluiu, surgiram técnicas mais precisas e eficazes e o tratamento clínico também experimentou um enorme avanço. Dispomos hoje de novas opções terapêuticas para o tratamento clínico do câncer de próstata. 

 

MARCELO FONTENELE - A família pode ajudar os homens da casa a buscarem o auxílio dos médicos? Como?

DR. GIULIANO AITA - Certamente. O núcleo familiar é a base estrutural do indivíduo. As mulheres já recebem orientações desde a infância de como se cuidar, hábito via de regra não cultivado entre os homens. Na nossa experiência quase a metade das consultas são agendada pelas parceiras.

 

 

MARCELO FONTENELE - Sabemos que o câncer de próstata não é o único dilema dos homens, principalmente para aqueles que abusam do sobrepeso e do cigarro. Quais as suas recomendações para que se tenha mais qualidade na saúde?

DR. GIULIANO AITA - O tabagismo e a obesidade já foram apontados como fatores de risco para o câncer de próstata. Além disso, quando um obeso têm um câncer de próstata, o tumor costuma ter comportamento mais agressivo. A influência da alimentação sobre a gênese do câncer ainda é incerta, não são conhecidos os exatos componentes ou mecanismos pelos quais ela pode influenciar o desenvolvimento da doença. As evidências apontam que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e pobres em gordura, principalmente as de origem animal, não só ajuda a diminuir o risco de câncer, como também o risco de outras doenças crônicas como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares. Também tem sido apontada uma relação positiva entre o alto consumo energético total e ingestão de carne vermelha, gorduras e leite e maior risco de câncer da próstata. 

 

Campanha de vacinação encerra e apenas 78,56% foram vacinados contra a gripe

A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí reforça a importância da população procurar um posto de saúde para tomar a vacina contra a gripe. Encerrada a campanha de vacinação, na última sexta-feira (19), apenas 504.217 pessoas foram vacinadas, o que equivale a 78,56% do público prioritário. Após atingir a meta de 80% por público prioritário nos municípios, a vacinação será aberta a todos os públicos.

“A vacinação continua nos postos de saúde para os grupos prioritários e será disponibilizada para o público em geral quando os municípios atingirem 80% da meta por grupo prioritário. Então, quem fizer parte dos grupos prioritários para receber a vacina, e que por algum motivo não se vacinou durante o período da campanha, pode procurar qualquer posto de vacinação”, comenta Jurema Chaves, coordenadora Estadual de Imunização.

Vale ressaltar que, após os municípios atingirem a meta, não haverá reposição do estoque. Serão disponibilizadas ao público em geral apenas as doses que ainda se encontram nos postos de saúde.

 

 

A vacina tem como objetivo imunizar a população contra três tipos do vírus causadores da gripe, o influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B. Ela é destinada às crianças de seis meses a menores de cinco anos; gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); pessoas com mais de 60 anos; trabalhadores da saúde; funcionários do sistema prisional; população privada de liberdade; bem como doentes crônicos com recomendação médica; pessoas com problemas respiratórios, cardíacos, com baixa imunidade, dentre outros. 

A população deve procurar uma unidade de saúde do seu município para ser vacinada e ficar imune contra a doença. Para isso, é importante levar o cartão de vacinação e um documento de identificação.

 

Fonte: Governo do Piauí

Crianças com câncer ganham aniversário em ritmo de festa junina

Para quem é portador de câncer a tristeza é uma constante. Mas ainda existem pessoas que são como anjos e levam momentos de alegria para muita gente. É o caso dos voluntários da Rede Feminina de Combate ao Câncer, que comemoraram os aniversariantes do mês em ritmo de festa junina. O espaço recebeu decoração especial para dar o clima de festa de São João e até as crianças foram caracterizadas com roupas caipiras. Não deu outra! Muita alegria e selfies que registraram a alegria da criançada.

O momento de confraternização teve forró com o trio Gonzaga Lú e comida típica. Os aniversariantes de junho são os pequenos Maria Luiza, Maria Eduarda, Vitor Gabriel, Ikaro Luan, Jéssica Vitória, Davi Lucas, Ítalo Kawan, Marlon Sousa, Lucas Vinicius, Emyly Geovana, Alysson Wendell.

Conselho de Fisioterapia do Piauí notifica hospitais

Pouca gente conhece a importância do fisioterapeuta numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Mas o assunto passou a gerar curiosidade depois que o Conselho Regional de Fisioterapia notificou unidades de saúde de Teresina que não possuem o profissional no plantão de 24 horas nas UTIs. A medida é obrigatória e determinada por meio de uma portaria do Ministério da Saúde desde o ano de 2010. Como o conselho da categoria foi criado no Piauí há seis meses, somente agora existe um órgão fiscalizador. Esses hospitais têm um prazo de 15 dias para regularizar a situação. Caso contrário, o Conselho Regional de Fisioterapia vai acionar os Ministérios Públicos Estadual e Federal.

O presidente do Conselho de Fisioterapia, Marcelino Martins, explica que os pacientes internados nas UTIs devem ser acompanhados por fisioterapeutas 24h por dia. Durante visita do conselho, foi constatado que apenas três hospitais obedecem a portaria: Hospital de Doenças Tropicais Nathan Portela, Hospital de Urgência de Teresina e Hospital Getúlio Vargas. Atualmente, os profissionais de outros hospitais só trabalham numa escala de 18 horas. "Nesse intervalo de 6 horas algum paciente pode apresentar intercorrências, piorar o estado de saúde e até mesmo vir a óbito", diz Marcelino Martins.

 


Qual o papel do fisioterapeuta na UTI?
A fisioterapia aplicada na UTI tem uma visão geral do paciente, pois atua de maneira complexa no amplo gerenciamento do funcionamento do sistema respiratório e de todas as atividades correlacionadas com a otimização da função ventilatória. É fundamental que as vias aéreas estejam sem secreção e os músculos respiratórios funcionem adequadamente. A fisioterapia auxilia na manutenção das funções vitais de diversos sistemas corporais, pois atua na prevenção e/ou no tratamento das doenças cardiopulmonares, circulatórias e musculares, reduzindo assim a chance de possíveis complicações clínicas. Ela também atua na otimização (melhora) do suporte ventilatório, através da monitorização contínua dos gases que entram e saem dos pulmões e dos aparelhos que são utilizados para que os pacientes respirem melhor. O fisioterapeuta também possui o objetivo de trabalhar a força dos músculos, diminuir a retração de tendões e evitar os vícios posturais que podem provocar contraturas e úlceras de pressão.

Criança que mora no Hospital Infantil ganha festa de aniversário

A paciente Keylane Soares Nunes da Silva, de 10 anos, ficou pequena para tanto carinho. Há dois anos internada no Hospital Infantil Lucídio Portela, ela ganhou festa de aniversário organizada pelos funcionários do hospital. A menina deu entrada na UTI no dia 26 de agosto de 2013 com graves complicações neurológicas. Devido às orações da família e ao carinho e ao tratamento recebido pelos funcionários do Hospital Infantil, Keylane progrediu positivamente e saiu da UTI, no dia 5 de setembro de 2014. Logo ela transferida para um leito na ala de neurologia.

 

Posts anteriores