Cidadeverde.com

Teresina sediará o I Simpósio de Fisioterapia nas Disfunções Posturais

Adquirir conhecimento nunca é demais! Para quem é profissional ou estudante de fisioterapia, a dica do blog VIDA é ficar ligado nas inscrições do I Simpósio de Fisioterapia nas Disfunções Posturais. Pois a procura está grande e a qualquer momento as vagas podem ser encerradas. Durante o evento serão abordados os temas RPG, Pilates, Osteopatia, quiropraxia, Estabilização Segmentar, Treinamento Funcional, Palmilhas Proprioceptivas, dentre outros. O simpósio vai acontecer entre os dias 12 e 14 de junho, no Blue Tree Towers, com 180 vagas disponíveis para workshops. Trabalhos acadêmicos serão apresentados e os melhores receberão premiações. Todos os inscritos ainda participarão do sorteio de vários brindes. Os palestrantes convidados são profissionais com profissionalismo reconhecido no mercado. As inscrições podem ser feitas na avenida Miguel Rosa, 2842, Centro/N. Ou com os representantes do evento em cada faculdade. Informações pelos telefones 3303 6007 e 99940 4047.

 


CURIOSIDADE
No Brasil, a Fisioterapia iniciou-se dentro da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, em 1929, mas foi só em 1951 que foi criado o primeiro curso para formação de fisioterapeutas, na época denominados técnicos, com duração de um ano. 

Em 1959 foi criada a Associação Brasileira de Fisioterapeutas (ABF), que se filiou a WCPT (World Confederation for Physical Therapy), cujo objetivo era buscar o amparo técnico-científico e sócio-cultural para o desenvolvimento da profissão. Somente no dia 13 de outubro de 1969, a profissão adquiriu seus direitos, por meio do Decreto-lei nº 938/69, no qual a Fisioterapia foi reconhecida como um curso de nível superior e definitivamente regulamentada.

Vacina contra o HIV será testada em 2016

A vacina que deverá revolucionar a medicina no mundo está sendo testada em Barcelona, na Espanha. Ela foi desenvolvida por pesquisadores do IrsiCaixa e se mostrou eficaz em testes com animais. Mas, agora, é a primeira vez que o produto foi desenvolvido com base na resposta imunológica apresentada por um grupo reduzido de pessoas capazes de controlar a infecção por HIV sem tratamento antirretroviral. Os testes clínicos para humanos começaram a ser preparados e deverão utilizar um grupo formado por 200 voluntários já em 2016.

 

O atual momento é de produção dos lotes que serão administrados por esses voluntários e dar entrada para aprovação da vacina pela Agência Espanhola de Remédios e Produtos Sanitários. A pesquisadora Beatrix Mothe explicou, durante entrevista coletiva, que os tratamentos antirretrovirais atuais conseguem conter a progressão da infecção por HIV, mas não podem eliminar o vírus em sua totalidade. Segundo a pesquisadora, a estratégia mais realista para terminar com o HIV e a Aids passa pelo desenvolvimento de uma vacina efetiva. “Os testes de fase I e II serão iniciados graças aos bons resultados obtidos com ratos e macacos. Estudamos em profundidade como se comporta o HIV em milhares de pessoas infectadas e aprendemos qual é a resposta imunológica necessária para controlar a replicação do vírus à revelia de tratamento antirretroviral. Essa resposta é a que incorporamos ao projeto de nossa vacina HTI", detalhou Beatrix.

Os testes da vacina contra o HIV em humanos acontecerá durante todo o ano de 2016. A primeira fase durará um ano e terá como objetivo deixar em experimentação a segurança e a capacidade do candidato a ser vacinado de induzir uma resposta imunológica forte e duradoura. Já a segunda fase terá uma duração de entre um ano e um ano e meio e avaliará a eficácia das vacinas para conseguir uma cura funcional, que consiste na capacidade da vacina de impedir que o vírus atue após a retirada da medicação antirretroviral. EFE

 

IBGE: Gripe fez 14 milhões de pessoas faltarem o trabalho

A pesquisa foi realizada em 2013, mas somente agora os dados foram divulgados. Segundo o IBGE, a gripe foi a principal causa da ausência das pessoas no local de trabalho. O percentual foi de 7% da população brasileira, o que representa 14 milhões de pessoas. Os entrevistados relataram que os sintomas da gripe (dor de cabeça, mal estar, dor no corpo) os deixaram sem condições de trabalhar.

 

 

Outras causas mais frequentes de falta ao trabalho citadas na pesquisa foram: Artrite, reumatismo, dor nos braços, além de acidentes, hipertensão e problemas cardíacos. Ainda de acordo com a pesquisa do IBGE, mais de 30 milhões de pessoas procuraram serviços médicos em 2013, quase a metade delas faltou ao trabalho. Os demais entrevistados afirmaram que precisaram continuar trabalhando, mesmo doente.

 

Nem sempre o atraso da menstruação está ligado à gravidez

Não é novidade que menstruação atrasada é o sinal precoce de uma gravidez. Mas, outros fatores podem contribuir para que a menstruação não desça no dia esperado. Até mesmo nas mulheres com ciclo menstrual regular podem ocorrer o atraso. Ainda pode acontecer da menstruação não aparecer em determinado mês, o que não representa nada grave. Entretanto, se a menstruação atrasa por 3 meses seguidos, a mulher tem amenorreia. Nesses casos, tendo excluída a possibilidade de gravidez, algumas patologias podem ser o motivo da menstruação ter cessado. O blog VIDA elencou, por meio de especialistas, outros motivos que podem atrasar a mentruação:

 

 

1) Estresse e ansiedade
O estresse ou ansiedade excessiva podem afetar negativamente a produção hormonal, que é regulada pelo hipotálamo, uma parte do cérebro. O estresse pode, inclusive, fazer com que a mulher não ovule em um determinado ciclo, causando ausência de menstruação neste mês.

 

2) Interrupção da pílula anticoncepcional
Depois de alguns anos de uso da pílula, a suspensão do uso da mesma pode fazer com que o ciclo natural demore algum tempo para se normalizar. Há mulheres que entram em amenorreia e ficam meses sem ovular após a interrupção do anticoncepcional. 

 

3) Infecções ou doenças
Viroses comuns, como gripe, ou infecções simples, como cistite ou amigdalites podem ser suficientes para desarranjar o seu ciclo menstrual.

 

4) Medicamentos
Alguns medicamentos podem influenciar o ciclo hormonal, desregulando a menstruação. É o caso de corticóides, quimioterapia, anti-hipertensivos, antidepressivos, antipsicóticos, etc.

 

 

5) Mudanças recentes no peso corporal
Alterações bruscas na composição de gordura do corpo alteram agudamente os níveis de estrogênio, podendo interferir na ovulação e, consequentemente, na data da menstruação.

 

6) Excesso de atividade física
O gasto calórico elevado, o estresse dos treinos intensos e a baixa taxa de gordura corporal parecem ser os responsáveis pelas alterações do ciclo menstrual

 

7) Menopausa
Um dos sintomas da falência iminente dos ovários é a desregulação do ciclo menstrual e a ausência de ovulação em determinados meses. Se você tem mais de 35 anos e sua menstruação começa a atrasar e a falhar com frequência, procure o seu ginecologista.

A planta Moringa trata pacientes com osteoporose, anemia, gripe e problemas visuais

O blog VIDA foi até o Núcleo de Plantas Aromáticas e Medicinais, que fica no Centro de Ciências Agrárias da UFPI. Lá, nós fomos recebidos pelo coordenador do núcleo, professor Francisco Rodrigues Leal, que é pós-doutor em Horticultura e doutor em Agronomia. Foi quando nos foi apresentada a planta Moringa, conhecida como "planta milagrosa".

 

Fotos: Marcelo Fontenele

Moringa, a "planta milagrosa"

 

O uso desse termo não é exagerado, se levarmos em consideração os benefícios que ela oferece. A Moringa Oleífera (Moringaceae) é riquíssima em vitaminas e sais minerais. Segundo o professor Francisco Leal, ela é sete vezes mais vitamina C que a laranja; quatro vezes mais cálcio que o leite; duas vezes a proteina do iogurte; quatro vezes mais vitamina A que a cenoura;três vezes mais potássio que a banana;27% de proteína, equivalente à carne do boi;mais ferro que o espinafre;vitaminas presentes: A, B (tiamina, riboflavina, niacina), C, E, e beta caroteno. “Essa planta é multiuso. Pode ser utilizada tanto nos humanos, como nos animais e até na indústria. Alguns médicos também procuram a Moringa para se tratarem de algumas enfermidades. Entre várias outras coisas, ela é recomendada para quem sofre de problemas visuais, osteoporose, anemia e ainda previne gripes e resfriados”, explica o Dr. Francisco Leal.

Pós-Doutor em Horticultura, Francisco Leal

 

O cultivo da Moringa é fácil. Pode ser por meio de sementes ou pedaços de galhos da planta. A pessoa consome a Moringa em forma de suco, salada crua ou farinha (seca e tritura). Mas, a quantidade e a frequência do consumo da planta deve ser orientado por um profissional, devido à grande riqueza de nutrientes que, em excesso, pode provocar complicações na saúde. Segundo o Dr. Francisco Leal, a Moringa é uma forte aliada no tratamento de água. “Dentro da semente dela tem o cotiledoni, o qual a cada 2 gramas do pó são colocados em 10ml de água para fazer a emulsão. Daí, usa-se 10ml dessa emulsão para cada litro de água suja. Depois de duas horas, a água fica 100% potável e o líquido precisa ser transferido para outro local”, detalha o professor, que ainda sugere: “A Agespisa poderia fazer o tratamento da água do Estado por meio de um grande projeto gerando renda para as comunidades. A população iria plantar e o governo também poderia comprar o produto para utilizá-lo na alimentação de hospitais e até como suplemento na merenda escolar”, diz.

Posts anteriores