Cidadeverde.com

Mais um 'chaveco' do Chaves!

Capa da edição brasileira lançada pela editora Pipoca e Nanquim (arquivo pessoal) 

Criados no México no início dos anos 1970 e fenômeno popular no Brasil a partir do começo de 1980, não há quem não conheça Chaves e Chapolin.

E os fãs desse grande sucesso popular acabaram de receber uma publicação originalmente escrita em 1995 e que recebe esse tratamento pela editora Pipoca e Nanquim.

E não há duvidas sobre o gigantesco sucesso que os personagens da vila do Chaves tiveram pelas Américas Latina e Central. Venezuela, Argentina Peru, Panamá, Honduras, Guatemala, Nicarágua, El Salvador e até os Estados Unidos foram testemunha do sucesso dessa turma.

Roberto Bolaños nasceu na Cidade do México, foi redator publicitário no início de sua carreira, logo seria roteirista e daí surgem seus personagens icônicos.
 
O livro utiliza de licença poética pra ser exatamente o que diz seu título: O Diário de Chaves. Bolaños propõe sua relação com seu principal personagem durante um encontro casual. Depois de engraxar seus sapatos, Chaves esquece seu diário, e seus escritos inspiram a ideia do que seria o grande sucesso de sua carreira.

Um grande presente aos fãs. Aqui entram minhas impressões pessoais.

O livro é pra fãs e nada mais. (Sei que são muitos)

A premissa do encontro com o pequeno e abandonado Chaves, sua passagem por um orfanato até sua chegada ao espaço da vila, deixa a primeira parte muito interessante, mas daí em diante é um extenso roteiro de um episódio do seriado e não apresenta nada original.

A impressão que fica é de que o livro foi escrito em busca de dividendos diante do desgaste criativo à época. Sendo sincero, foi uma baita decepção.

A escolha editorial de mudar a compreensão histórica do México (país de origem dos personagens) com o Brasil, certamente foi uma armadilha inevitável e entrega uma mistura incomum e estranha entre Dom Porfírio, touradas, D. Pedro I, José Bonifácio e Princesa Isabel.

A última parte do livro com um caderno de extras feitos pelos especialistas do Fórum Chaves se apresenta bem mais interessante.
 
Indiscutível o sucesso, o fenômeno e a importância de um dos maiores programas humorísticos da TV. Mas isso não basta pra um bom livro. (HD)