Cidadeverde.com

'Carro Rei'. Melhor filme em Gramado tem exibição gratuita em festival do cinema fantástico

Poster (Divulgação)

Levanta o traseiro da cadeira e veja um filme nacional... Ops... Precisa não.... Levantar. Ver, sim!

No sofá ou a cama, basta fazer uma rápida (e fácil) inscrição no site do Cinefantasy - Festival Internacional de Cinema Fantástico – evento que está apresentando muitas exibições online gratuitas. Tudo isso vai até o dia 19 de setembro.

O Cinefantasy é um festival brasileiro voltado para o cinema fantástico, realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e um dos mais importantes do gênero no mundo.

E a surpresa é que além do audiovisual nacional, você poderá assistir a filmes, documentários e curtas de outros países. São 119 filmes de 34 nacionalidades.

Cinefantasy 2021. (Divulgação)

Mas gostaria de indicar o sensacional “Carro Rei”.

Sei que recentemente tivemos outro filme sensacional, mas passava da hora de falarmos de algo além de ‘Bacurau’, né?

O filme é uma baita ficção científica e conta a história de um jovem que possui o dom de ouvir e falar com carros.

Tudo isso intercalado pelas relações entre homem e tecnologia, evolução e o meio ambiente. Juntos apresentam um conflito no tecido social da cidade de Caruaru.

A escolha do tratamento estético kitch futurista aposta no conceito do “futuro usado” da ficção científica. Acima de tudo é uma distopia muito criativa e ameaçadora. Cinema Novo também manda um alô via SMS.

A criatividade artística mistura no caldeirão brasileiro, Frankenstein, Planeta dos Macacos, 2001: Uma Odisseia no Espaço e a estranheza dos filmes de David Cronenberg.

'Zé Macaco' e a marcante atuação de Nachtrgaele

A performance símia de Matheus Nachtergaele me lembrou o êxtase totalitário dos macacos dominadores do clássico de 1968.

Muita críticos tem destacado alguns diálogos – outra grande qualidade - mas ninguém citou (até agora, né?) o que melhor traduz o filme. Zé Macaco diz a certa altura: “Eu detesto quem me rouba a solidão, sem em troca, oferecer verdadeira companhia”.

Estamos tão perto e tão longe.(HD)