Cidadeverde.com

Nostalgia, surpresas e um conto clássico - Algumas das 1000 coisas pra fazer no final da semana

Esses dias não pude me adiantar em assistir as estreias nos streamings, mas não por isso, ficarão sem uma lista de sugestões pra esse final de semana.

Vamos apostar num clássico nostálgico, pérolas escondidas e uma releitura. Vamos Nessa?

Inesquecível gosto de sessão da tarde com pão e Ki-Suco (que na verdade era Q-Suco). Capa: Divulgação

“Jasão e os Argonautas” (Onde ver: Netflix). Não precisa mencionar qual sua classificação nessa lista, né? Mitologia, lenda e fantasia são boas pedidas quando se busca aquela aventura que dá prazer de ouvir sendo contada por um velho e sábio contador de histórias.

O gênio Ray Harryhousen e sua técnica stop-motion que encantava as crianças. Foto: Divulgação

Traição, trono roubado e o amor empurram Jasão e seus guerreiros a enfrentar as mais temíveis criaturas em busca do velocino de ouro. Zeus e Hera mexendo no tabuleiro da vida dos mortais e as inesquecíveis criaturas do genial Ray Harryhousen. Classificação indicativa: Livre. Assistir com a família ou com a namorada contando como eram as coisas na rua da sua casa.

Não pára, não pára, não pára!: um supiro de criatividade narrativa e muita agonia. Cartaz: divulgação

“Black Summer” (Onde ver: Netflix). Essa é uma pérola. Depois do sucesso estrondoso de The Walking Dead, as criaturas dos novos tempos (zumbis) receberam atenção dos mais variados realizadores nos mais diferentes gêneros. Esse seriado tem duas temporadas, oito episódios com 30 minutos em média cada capítulo. O lance aqui é sobreviver ao apocalipse zumbi num ritmo tão frenético que dá taquicardia. Bons atores, boa maquiagem e tome aperreio. Destaco a SENSACIONAL forma narrativa de contar a história. Classificação indicativa: 16 anos. Assistir pra fazer pulsar aquela adrenalina ou como sempre digo, por à prova seu companheiro ou companheira de tela. Infalível.

A violenta sutileza da arte de atuar de Eisenberg. Se ela/ele não rir... Vaaaaza!!! Cartaz: Divulgação

“The Art Of Self-Defense” (Onde ver: Netflix). Outra pérola. Comédia da vida privada feita por pessoas que gostam do humor sutil com toques de modernidade. Um rapaz cansado de ser saco de pancada busca as artes marciais para uma mudança de comportamento. Masculinidade tóxica discutida através da comédia. Classificação indicativa: 14 anos. Assistir com alguém que você duvida de seu senso de humor. Se não rir... não case!

Seriado homenageia o vampiro clássico da Hammer. Pra lembrar aquelas madrugadas 'vendo filme de terror em casa só'. Cartaz: Divulgação 

“Drácula" da BBC (Onde ver: Netflix). Bram Stoker não foi o primeiro a escrever sobre vampiros, mas certamente é o mais lembrado e quem mais colaborou para popularidade dessa criatura nas telas. Baseado em sua obra, o seriado em 3 capítulos apresenta uma ambientação que remete aos clássicos da Hammer (produtora inglesa famosa por filmes de terror) que vai te fazer lembrar do Christopher Lee que você assistiu ou no Cine Royal ou no Cine Rex ou até mesmo na Sessão de Gala.

Ao final nos deparamos com um pedido de licença literária que desagradou alguns, mas achei a reviravolta interessante e curiosa. Classificação indicativa: 18 anos. Assistir com alguém que você quer convercer que filmes de terror são sempre substimados.

Boa diversão. (HD)