Cidadeverde.com

'Marighella' - Ver ou ver, eis a questão

Marighella nos cinemas: Ver ou não ver, eis a questão. Cartaz: Divulgação

Marighella não era negro! Veja Marighella.

Marighella lutou pelas liberdades! Veja Marighella.

Marighella foi terrorista! Veja Marighella.

Marighella é herói! Veja Marighella.

Marighella escreveu um manual do terrorista! Veja Marighella.

Marighella foi morto de forma covarde! Veja Marighella.

Bem... Existem muitas razões pra ver o filme de Wagner Moura que estreou nos cinemas locais depois de uma longa polêmica. Razões que são mais objetivas do que ficar na arquibancada nesse Fla-Flu ideológico gritando de um lado para o outro.

Wagner Moura tem feito uma campanha forte para exibição de seu longa. Foto: International Network

Eu vi e não irei me intrometer expondo aqui algumas impressões sobre aspectos do filme. Mas posso contar qual foi minha trajetória mental em direção ao filme --- >

A história do Brasil muito me interessa e tenho (muitos) retalhos espalhados por minha massa cinzenta (como se refere Hercule Poirot àquele trocinho que muitos tem preguiça de usar) sobre vários períodos históricos de diversas óticas e pontos de vista. Ponto 1.

Se negar a fazer algo tem suas razões. Porém acho extremo se negar a conhecer algo antes de discuti-lo. Use o Youtube pelo menos. Veja vídeos dedicados a essa matéria. Veja lados. Ponto 2.

Até dou dicas... Se por um lado você pode ver um vídeo no canal Meteoro Brasil, veja pelo outro no Brasil Paralelo. Ir pra guerra necessita munição, concordam? (Não vou dar mais dicas – juro que tô rindo aqui das possibilidades que eu tinha pra vocês!)

Marighella capa de revista depois da emboscada no cinema. Olha o cinema aê. Foto: International Network

Mas sei que alguns não concordam em se dar esse trabalho, porque é mais fácil se apoiar em achismos ou fazer coro com sua própria bolha reforçando aquela mensagem do zap zap do tiozão que cai como um corpo cansado num colchão Onix.

“A história não é bem assim”; “Isso nunca aconteceu”; “Essa passagem não corresponde com os fatos”. Tudo isso também não faz sentido – ou pelo menos é incompleto - se você não reforçar a afirmação com suas razões e explicações.

Leia o livro e veja o filme. Aí poderemos discutir. Foto: Acervo

Não sou professor de história (um dia posso sê-lo e estou me construindo para tal), e também não é minha intenção propor desafios ou enjaular motivos e desejos de ver ou não ver o filme.

Só defendo o cinema e suas razões de divertir, refletir, provocar e discutir.

E o primeiro passo pra tudo isso é assistir. (HD)