Cidadeverde.com

Jornalismo, coragem e corrupção contam a história da morte de milhões na URSS de Stalin

Holodomor: Pessoas morrendo nas ruas pela fome. O governo de Stalin e a verdade inconveniente descoberta por um jornalista. Foto: Divulgação

Pesquisar, estudar, ler e reconhecer alguns momentos históricos são de um sofrimento intelectual que só pode ser considerado à luz da própria razão do conhecimento.

Aguardei passarmos do quarto sábado do mês de novembro para junto com outros tantos lembramos do “Holodomor”. A mortandade pela fome promovida por Stalin foi um momento devastador para a humanidade.

Sinceramente, perante a história e aos fatos, não sei quais os motivos que afastaram do conhecimento de uma maioria, esse massacre perpetrado durante o governo stalinista.

Literatura: Um dos trabalhos mais importantes sobre o tema. Leitura que desafia nossos sentidos. Fonte: Divulgação

O ditador promoveu uma política de coletivização da agricultura que causou a morte de milhões de pessoas, principalmente na Ucrânia. Muitas vítimas de uma fome exterminadora num grau de maldade inominável.

Como dito antes sobre o quarto sábado de novembro, em 1998 foi instituído o "Dia da Memória das Vítimas da Fome e das Repressões Políticas".

E um detahe que segue incomodando é que em boa parte do ocidente houve uma espécie de indiferença sobre esse acontecimento histórico, e ouso fazer um paralelo em que arrisco que o caso “Walter Duranty” tem muito a dizer sobre isso.

Duranty era jornalista correspondente do New York Times em Moscou e simplesmente de forma servil, gananciosa e vilanesca, omitiu todas as mazelas e moléstias que ocorriam no país com reportagens que negavam absolutamente o profundo agravamento que verdadeiramente estava ocorrendo.

Walter Duranty: Apologista do terror, mentiu por Stalin e enganou boa parte do ocidente. Foto: International Network

Pasmem, mas ele ainda ganhou um ‘Pulitzer’ – uma das maiores distinções internacionais dadas a um jornalista – por essa passagem na sua carreira.

Por fim, quero convida-los a assistir “A Sombra de Stalin” em cartaz na Netflix.

Mr. Jones: Em busca da verdade, a história da viagem clandestina de um jornalista e a descoberta que chocou o mundo. Cartaz: Divulgação

O filme narra a extraordinária história de Gareth Jones, esse que se mostra responsável jornalista e que viajou para a União Soviética no início da década de 1930 e – de forma clandestina - descobriu a chocante verdade por trás do regime de Josef Stalin.

O Holodomor, junto com outras tragédias humanas como o genocídio em Ruanda (1994), o massacre armênio (1915-1923), o genocídio congolês (1885-1908), o holocausto judeu (1939-1945) e a fome de Mao-Tsé-Tung (1958-1976) são momentos desoladores do século passado.

"A fome guia a Rússia": Gareth Jones e um dos artigos que revelou ao mundo o assassinato em massa pela fome. Imagem: Jornal Daily Mirror

E é duro encarrar nossa realidade e saber que histórias como essas podem se repetir.

“Deus! Ó Deus! Onde estás que não respondes?”. (Castro Alves) (HD)