Cidadeverde.com

Sobrevivente de tragédia em riacho de Altos: "me segurei firme em um galho"

A jovem Cristina Lopes de Melo, 19 anos, única sobrevivente do acidente que matou cinco pessoas de sua família em um povoado na zona Rural de Altos, no dia 1º de janeiro, relatou à TV Cidade Verde os momentos de aflição até conseguir se salvar. Ela e mais cinco pessoas (pai, mãe e três irmãos) estavam em um carro que foi arrastado pelas águas de um riacho no momento em que o veículo passava por uma passagem molhada.

A família tinha ido passar a virada de ano em um sítio no povoado Berlim. Abalada, a jovem conta que já estavam retornando para casa quando tudo aconteceu. No local não há iluminação pública.

“A gente estava indo pra casa e meu pai viu que a estrada estava cheia de água. Ele ainda chegou a parar, mas continuou. Para ele, dava para ir. Minha mãe ainda falou para ele voltar, mas o carro já tinha parado. Aí começou a entrar água no carro. Eu não lembro como eu consegui sair”, disse Cristina.

Segundo a sobrevivente, que não sabe nadar, um galho de árvore salvou a sua vida. “Eu estava me afogando, aí senti um galho e segurei firme. Fiquei puxando o galho e consegui segurar numa árvore e fiquei atrepada (sic)”, relatou.

Cristina e a família estavam no Piauí há 4 anos, desde que deixaram São Paulo. José Maria Galdino de Melo (58 anos), pai da jovem, era metalúrgico. Morreram também Maria Lucilene Lopes de Melo (54 anos), Paloma Lopes de Melo (20 anos), Fernando Lopes de Melo (14 anos) e Fernanda Lopes de Melo (8 anos).

Só o corpo do pai foi encontrado fora do carro. Os demais foram resgatados junto com o veículo, que ficou totalmente submerso. A família morava no bairro Bacurizeiro, em Altos.

A jovem relatou à reportagem que vai embora do Piauí e voltar para São Paulo, onde deve morar com um tio.

Foto: Polícia Militar

Hérlon Moraes
[email protected]