Cidadeverde.com

Turistas vandalizam cadáver de baleia e geram revolta nas redes sociais

 Foto: Reprodução/Twitter(Rodrigo Saavedra - @rodrigo_sm)


Pela primeira vez nos último 50 anos, uma baleia azul foi avistada em Punta Delgada, no Estreito de Magalhães, entre o Chile e a Argentina. Infelizmente, o grande mamífero acabou morrendo e o cadáver foi parar na areia de uma praia.

A presença da carcaça atraiu a atenção de muitas pessoas. Uma dupla em especial virou notícia mais do que a baleia morta. As duas turistas subiram no animal morto para fotos e, com uma pedra pontiaguda, vandalizaram o seu corpo. Escreveram mensagens, entre elas "ANA TE AMO".

A atitude da mulheres, contou o "La Nación", gerou revolta nas redes sociais.

"Tão estúpidas, a cada dia ficamos piores. Como será que essas pessoas reagiriam se tivessem os seus corpos rabiscados? Elas não respeitam nada!", escreveu Xieman Hernández.

"Fiquei chocada com a situação de descontrole. Senti muita raiva, muita impotência", desabafou Gabriela Garrido, investigadora do Museu de História Natural Río Seco, acrescentando ter visto pessoas dando chutes no cadáver.

Especialistas acreditam que a baleia tenha morrido de inanição.

Foto: Reprodução/Twitter(Rodrigo Saavedra - @rodrigo_sm)

Fonte: Extra

Cadela reconhece túmulo da dona e emociona família em cemitério

FOTOS: Arquivo pessoal da família

A história de amor entre Belinha e sua dona, Telma Pereira, não tem fim. Na semana passada, o blog mostrou que o amor que uniu as duas em vida não acabou, apesar da morte de Telma: Belinha acompanhou todo o velório da dona e fez questão de ficar pertinho do caixão para dar o último adeus.

Ontem (14), no Sétimo Dia, a família fez questão de levá-la para o cemitério, em Nazária, a 30 quilômetros de Teresina. "Quando soltamos a coleira, ela foi direto para o túmulo da minha mãe, mesmo não tendo ido ao enterro. Ficou o tempo todo com a gente, mesmo que às vezes ficasse inquieta", conta o filho de Telma, Dionísio Neto.

Ao Bicharada, Dionísio diz que considerou o momento emocionante.

"Essa história, depois da matéria feita pelo Cidadeverde.com, circulou todo o país e isso é muito comovente. A mamãe, mesmo depois de morta, ensina que o amor vai além da morte", declara o filho.

Febre amarela não atinge cães e gatos

Crédito: reprodução

O surto de febre amarela registrado nas regiões central e sudeste do país ainda preocupa os brasileiros. Causada por um vírus, a doença é transmitida por mosquitos infectados e os principais hospedeiros são os macacos, o que tem gerado muitas dúvidas entre donos de pets quanto a possibilidade de transmissão também entre animais de estimação como cães e gatos.

A médica veterinária da Esalpet de Curitiba, Jueli Berger, esclarece que embora muito agressiva para os humanos, a febre amarela não atinge cães e gatos.

“Os proprietários podem ficar tranquilos, pois cães e os gatos não são hospedeiros da doença e não ficam doentes pelo vírus”, explica.

Comum nas Américas Central e do Sul, a febre amarela possui dois ciclos: o urbano e o silvestre, e, segundo Jueli Berger nenhum deles representa uma ameaça aos pets.

A veterinária destaca a importância de estar atento a outras doenças que realmente podem atingir os pets principalmente no verão, “É fundamental estar atento a doenças que podem levar os bichinhos a óbito,  como a dirofilariose transmitida pela picada do Aedes Aegypti; a leishmaniose, transmitida pela picada do mosquito palha, e as Erlichiose, Babesiose e Anaplasmose, transmitidas por carrapatos. Entre outras doenças virais como Cinomose, Parvovirose, Leptospirose que também merecem atenção nesta época”.

A profissional ainda lembra a importância de prestar atenção no comportamento dos animais e buscar orientação veterinária aos primeiros sinais incomuns.

“Sempre que notar seu pet fora da rotina habitual ou apresentando sintomas como vômito, diarreia, falta de apetite ou falta de disposição procure um veterinário. Além disso é interessante fazer consultas preventivas anualmente e manter a vacinação do animal em dia”, completa a veterinária.


Fonte: Correio Braziliense

Cadela participa do velório de dona em Teresina e causa comoção

Fotos: Dionísio Neto

Belinha acompanhou todo o velório de sua dona

Um amor além da vida. A frase pode resumir a história de Belinha com sua dona, Telma Maria Pereira de Andrade, 53 anos, que faleceu vítima de um câncer, na semana passada, em Teresina. 

Uma foto tirada durante velório representa muito bem o afeto entre as duas que parece permanecer mesmo após a morte. Belinha tem quatro anos de idade e também acompanhou a maior parte do tratamento de sua dona que durou seis anos. 

"A doença atacou o pâncreas, pulmão e outros órgãos até atingir a coluna e chegar nos últimos oito meses em um grau mais delicado. O tratamento durou seis anos e a cadela foi uma companheira a quem minha mãe chamava de 'sua enfermeira'. Todo dia a Belinha ficava sentada com ela e quando ia para fora de casa, a Belinha acompanhava. As duas 'conversavam' e brincavam", relembra o ambientalista Dionísio Neto, filho de Telma. 

Dionísio conta que Belinha acompanhou o velório por toda a noite como se estivesse velando sua mãe.

"A Belinha acompanhou o velório por toda noite. Em alguns momentos ficava em pé ao lado do caixão; em outros, deitava embaixo. A gente viu ali o amor incondicional que acredito ser um anjo. Agora, ela sempre acompanha as rezas em casa e todo dia senta na cadeira durante o terço", conta o ambientalista. 

Fotos: Dionísio Neto

Belinha acompanha os terços em memória de sua dona

Assim como família que chora pela perda de Telma, Belinha também sente saudades de sua dona. "Ela todo dia chora no quarto e vamos levá-la na visita de túmulo", reitera o filho. 

Fotos da família imortalizaram o amor de Belinha e Telma. Em muitas imagens, as duas aparecem sempre juntas. 

Fotos: Arquivo Pessoal

Fotos: Arquivo Pessoal

 

"E como um anjo ela passou a noite toda ao seu lado. Mamãe dizia que era a sua enfermeira. A Belinha... mostrou ser a companheira mais que fiel. Amor, vida, morte e ensinamentos", postou Dionísio Neto em sua rede social. Nos comentários, internautas enalteceram o gesto de amor da cadelinha por sua dona. 

 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Design de moda monta ateliê e fatura com roupas de Carnaval para pets

  • Roupas_para_Pets_(48)1.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • au1.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • roupinha.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • Roupas_para_Pets_(68).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • Roupas_para_Pets_(46).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • Roupas_para_Pets_(27).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • Roupas_para_Pets_(58).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • Roupas_para_Pets_(53).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com

Há três anos, ela trocou fábricas de roupas em Teresina para trabalhar em casa. Assim, começou a história da  design de moda, Esmeralda Santana,  com a moda pet. Ela montou seu próprio ateliê e, desde então, seus clientes passaram a ser cães, gatos e até papagaios. Só para o Carnaval, ela confeccionou mais de 100 peças sob medidas.

"Sempre trabalhei como estilista em fábrica, mas me vi em uma situação muito estressante...estava trabalhando para cinco fábricas e tinha que correr muito. Então, resolvi mudar. Sabia modelar, pesquisar, fazer a primeira peça e resolvi montar o ateliê. Queria algo diferente e já gostava muito de fazer roupinhas para os meus animais. Por isso, abandonei tudo e vim fazer moda pet", conta Esmeralda. 

Para o Carnaval deste ano, ela conta que as fastasias mais procuradas foram únicórnio, sereia e super-heróis.

Foto: Reprodução/Mabellefashionmodapet

"O que for de tendência para os humanos, trago para os animais. Tenho feito muitas roupinhas de unicórnio, tanto vestidinho como só o adereço. Me preocupo muito com o conforto dos animais. Só uso material de criança. Para os gatos, uso tecidos de malhas e muitos acessórios. Para os cães dá pra fazer  jardineiras, macacões, sapatinhos e até capas de chuvas. Eu pego o que é tema de Carnaval e transformo para a moda pet", conta Esmeralda. 

Por mês, ela confecciona cerca 400 peças para pets. Em média, cada fantasia fica pronta em um dia e custam a partir de R$ 35. 

Para atrair, cada vez mais a clientela, ela lançou uma coleção de Moda Praia e está prestes a lançar uma linha especial de Verão. 

A Design de moda relembra que, para trabalhar só com moda pet, teve que reapreender sobre moda. 

"Vi uma oportunidade de mercado, fiz cursos, pesquisei muito, aprendi a modelagem de cachorro que é totalmente diferente da modelagem para humanos...enfim, aprendi tudo de novo", relembra. 

"Hoje vivo do meu ateliê de moda pet, que é um ateliê-fábrica. Valeu muito a pena ter mudado. Estou fazendo o que gosto e que é minha. Revendo para lojistas, vendo para todo o Brasil sob medida e tenho minha loja móvel. Me descobri na moda pet".

Além do atelier, ela também tem uma loja móvel, no estilo de um Food Truck, só que no lugar de comida, vende roupas para os bichinhos. Aos finais de semana, ela vai com o carrinho para os parques e praças de Teresina

"Vi essa ideia da loja móvel em outros Estados e coincidiu com o que eu queria, que era ir até meu cliente. Onde tem cachorro, chego e posso montar a loja. É uma boutique pet. Quando a pessoa não encontra do tamanho do seu animal, já tiro ali mesmo as medidas e entrego a encomenda durante a semana", disse Esmeralda que já está com a loja móvel há cerca de um ano. 

Outra ferramenta que incrementa a venda de roupa pet é o Instagram @ mabellefashionmodapet. Pelas redes sociais, ela conta que já vendeu roupinhas para vários Estados. 

Foto: Reprodução/Mabellefashionmodapet

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Cantora no Piauí fará show para ajudar animais resgatados

Por Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

A situação de dois animais resgatados em situação de extremo risco sensibilizou a cantora Dandinha que fará um show beneficente em prol da causa animal nesta sexta-feira (09). Branquinho e Lady foram resgatados a cerca de um mês pela ONG Protetores de Patinhas. Os dois foram hospitalizados e a conta ultrapassa R$ 3 mil. 

Fotos: ONG Protetores de Patinhas

Lady e Branquinho

Dandinha conta que este não é o primeiro show beneficente e além de ajudar ONGs também faz resgates individuais. 

"Abraço a causa há mais de 10 anos e faço shows beneficentes. Cada show desses tem uma causa imediata. Os dois resgates têm cerca de um mês. Um deles é um cachorro [Branquinho] que foi encontrado com a face toda desfeita...ele estava praticamente sem rosto que foi comido por larvas. A outra é uma pastora [Lady] que foi encontrada na rua com tumores expostos. Esse show vai ser para ajudá-los porque estão em situação extrema", disse a cantora da Dandinha. 

A cadelinha Lady foi resgatada no bairro Matadouro, na zona Norte de Teresina. O animal foi abandonado, provavelmente, devido ao problema de saúde. 

O show beneficente acontece nesta sexta-feira (09), a partir das 21h.

Projeto proíbe fogos de artifícios em locais próximos a abrigos de animais

Por Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Um projeto de lei quer proibir a queima e soltura de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos em locais próximos a abrigos de animais. O autor da proposta, vereador Venâncio Cardoso, ressalta que a ideia é proteger a saúde dos animais domésticos, evitando o medo e estresse, que em alguns casos, podem levar o animal a óbito.

“A audição de cães e gatos é bem mais aguçada que a dos seres humanos, por isso, quando utilizamos fogos artifícios perto deles, podemos estar machucando nossos animais. A lei vem no sentido de proibir e, principalmente, educar a população sobre essa questão. A lei punirá quem soltar fogos em locais próximos a abrigos ou eventos que contem com a presença desses bichos", disse o vereador. 

Se aprovado no plenário da Câmara Municipal e sancionado pelo prefeito, quem descumprir pode ser multado em até três salários mínimos. Em caso de reincidência, a multa deve dobrar e terá limite de até R$ 10 mil. Caso persista o descumprimento, as atividades do local poderão ser interditadas.

"Acho que esta lei pode começar a formar uma nova visão sobre o respeito aos animais”, reitera o vereador. 

Pelo texto da lei só serão excluídos da proibição eventos realizados por empresas devidamente registradas no Exército Brasileiro, com o certificado de registro para a atividade de show pirotécnico, e aprovação da autoridade competente da Defesa Civil de Teresina. 

Além disso, os eventos têm de serem realizados com distância superior a 2 km dos lugares especificados na lei, com a devida autorização expedida por autoridade competente e a supervisão de empresas especializadas.

Bandido 'dopa' cãozinho para furtar loja de som em Teresina

Por Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

O cãozinho 'dopado' durante furto a uma loja de som automotivo em Teresina passa bem. O animal que se chama Rubinho ficou sonolento por mais de 10 horas após ingerir uma espécie de tranquilizante que foi dado para que o animal não alertasse sobre o crime.

O arrombamento e furto ocorreram na madrugada de terça-feira (06). Antes de executar o plano, os suspeitos 'rondaram' a loja durante a noite. 

"Na madrugada fui acordado duas vezes pelos latidos do Rubinho. Mas depois, ele se calou e os suspeitos aproveitaram", conta o empresário Ribamar Oliveira.

O dono da loja só percebeu que havia algo errado com Rubinho pela manhã. 

"Ele não queria se levantar e estava muito sonolento. Levamos ele ao veterinário que passou um remédio e está tudo bem. O médico falou que deram uma espécie de relaxante  ou tranquilizante. Não foi veneno, pois senão já estaria morto", disse Danilo Santos, dono da loja. 

Rubinho é um SRD e tem apenas sete meses. Danilo conta que as câmeras de segurança flagraram o momento em que um dos suspeitos dopa o animal.

O prejuízo a loja de som automotivo é estimado em R$ 8 mil. Foram levados amplificadores, celulares, dinheiro, uma TV e uma motocicleta. Os suspeitos já foram identificados, mas ninguém foi preso até o momento. 

A loja fica situada no bairro Morada Nova II, zona Sul de Teresina. 

Imagem de um dos suspeitos capturada pelas câmeras de segurança. Outro bandido teria dado apoio ao crime

 

Polícia resgata cãozinho furtado em casa no Sul do Piauí

Por Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Foto: PM/divulgação

A Polícia Militar fez uma apreensão inusitada em um terreno baldio na cidade de Floriano, a 244 km de Teresina. Entre os produtos furtados estavam eletroeletrônicos, gêneros alimentícios, materiais de higiene e um filhote de cachorro que também havia sido levado na ação criminosa.

O furto ocorreu no bairro Vila Leão. Os suspeitos de terem praticado o crime conseguiram empreender fuga. 

"Com a aproximação das viaturas, eles empreenderam fuga, tomando destino ignorado, não sendo possível realizar perseguição policial devido os mesmos terem adentrado em um matagal de difícil acesso", informou o comandante do 14º Batalhão da PM, em Floriano, coronel Rubens Lopes.

Na mesma abordagem, os policiais militares conseguiram recuperar uma motocicleta roubada há dez dias, no bairro São Borja. O veículo foi recuperado foi restituído na data do aniversário da proprietária. 

"Ela não se contia de alegria ao receber a motocicleta. Agradeceu à toda equipe de policiais e disse que foi melhor presente do dia, pois estava aniversariando na mesma data", informou o coronel. 

Após briga entre cães, vizinho atira em animal e quase atinge criança

Por Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Fotos: ONG 7 Vidas

Na cidade de Ilha Grande, a 326 km de Teresina, no litoral do Piauí, foi registrado um caso de extrema crueldade contra os animais. Nesta semana, um cãozinho levou um tiro de espingarda após brigar com um outro cachorro. O disparo teria sido efetuado por um vizinho, dono do outro animal envolvido na briga. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Parnaíba e está sendo acompanhado pela ONG  7 Vidas.

O cãozinho, que chama-se Bolinha e tem três anos de idade, foi encaminhado a uma clínica veterinária e pode ser submetido a cirurgia. 

"A dona do Bolinha nos procurou e relatou o caso. Ela disse que os cães brigaram e o dono do cão que apanhou não se conformou e atirou contra o Bolinha que estava no terraço da casa onde mora. Por pouco, o tiro não atingiu uma criança de oito anos de idade que estava perto do animal", conta Santina Brito, da ONG 7 Vidas. 

Fotos: ONG 7 Vidas

Bolinha foi encaminhado a uma clínica veterinária e já está em casa. A ONG conta com a ajuda de voluntários para ajudar no tratamento. 

"Foi muita maldade, mas ele está melhor. Vai ficar tomando medicações por 20 dias até desinflamar. Em seguida será avaliado novamente para saber se será necessário ou não ser submetido a cirurgia", completa Santino Brito. 

Doações para ajudar  animais resgatados pela ONG 7 Vidas podem ser realizadas através de transferência bancária. Atualmente, a entidade ajuda 13 cães e gatos. 

 

Lei de Crimes Ambientais

Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos é crime. O agressor está sujeito a pena de detenção de três meses a um ano, e multa.

§ 1º. Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.

§ 2º. “A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal”.

Posts anteriores