Cidadeverde.com
Bicharada

Cinco dicas de saúde para viajar com seu pet nas férias

Foto: Arquivo Pessoal

Moana em dia de sol e mar na Praia de Barra Grande

Por Marina Sérvio

Falta muito para acabar o mês das férias, e ainda dá tempo de tirar seu pet da rotina, pegar a estrada e viver momentos muito especiais juntos. Porém, não é tão simples assim! Uma viagem tranquila e segura, principalmente em relação à saúde do animal, requer atenção e planejamento. Para dar uma forcinha, o Bicharada conversou com o médico veterinário Ykro Duarte para pegar dicas importantes.  

Mas antes de começar, o veterinário ressaltou que o ponto de partida para esta organização é estudar com cuidado o destino da aventura. “Litoral, campo, cidades metropolitanas, são vários os destinos e é necessário entender que cada local tem uma incidência de doenças específicas das quais o animal precisa estar protegido” afirma Ykro.

Prevenção contra doenças do local de destino 

Depois de buscar informações sobre a cidade, você precisa vacinar ou tomar outras medidas preventivas contra doenças com muita proliferação. Se o destino é o litoral, por exemplo, é importante pensar na dirofilariose, popularmente conhecida como a doença do coração, pois apesar de já estar adentrando o país, justamente pelo aumento de translado de animais, essa é uma doença com maior proliferação na costa brasileira. Já em lugares como Rio de Janeiro e Recife, a esporotricose, doença do jardineironou ou doença da roseira  que pode causar graves úlceras de pele é uma das grandes preocupações. Ou seja, independente do local, é importante buscar conhecimento e prevenção para evitar que seu pet volte pra casa doente e ainda sendo agente de disseminação. 

Vacinas em dia

“Vacina é uma das ferramentas mais eficazes para prevenir doenças, então é importante saber se o pet está protegido” afirma o veterinário Ykro Duarte. Segundo o profissional, as principais vacinas são as múltiplas contra virose e bactéria, por estarem diretamente relacionadas a doenças de fácil contaminação e com graves conseqüências como cinomose e parvovirose.  Além disso, o grande número de animais quem moram nas ruas ajuda na proliferação dessas viroses. 
Vai viajar de avião? Nesse caso, há uma peculiaridade, companhias aéreas exigem a atualização da vacina antirrábica e um laudo assinado por médico veterinário, sem isso seu pet não embarca. 

Foto: Arquivo Pessoal

Veterinário, Ykro Durte ressalta a importância de levar o animal a um especialista antes da viagem

Farmacinha pet

Não saia de casa sem alguns itens de cuidado com a saúde do pet, assim, você não será pego de surpresa e poderá dar a assistência que seu animalzinho merece, principalmente se o destino não tiver clínicas e lojas especializadas. Esses são os itens: antipirético (ministrar em caso de dor e febre), carvão ativado (ação imediata em caso de envenenamento ou intoxicação), probiótico (reposição de microbiótico intestinal, em caso de diarréia ou amolecimento das fezes), repositor de eletrólitos (soro próprio para pet), além de spray antisséptico e pomada cicatrizante (agir em cortes ou feridas).
Ykro ressalva neste tópico que é necessário montar um kit emergencial segundo a orientação de um veterinário que conheça o histórico do seu animal. 

Espante os mosquitos e carrapatos 

Doenças como a verme do coração, a leishmaniose e a erliquiose são transmitidas por insetos e carrapatos e podem trazer problemas graves para a saúde do seu pet. Então fazer uso de um protetor de ectoparasitas e de repelentes em formato de coleiras, sprays e pipetas podem trazer ainda mais segurança. “Esse item é tão importante ou mais que o caderno de vacina atualizado, porque o carrapato, por exemplo, é uma praga que transmite muitas doenças”  afirma Ykro. 

Mantenha a rotina de alimentação 

Evite oferecer comidas que não fazem parte da rotina do animal e leve a alimentação dele na mesma quantidade utilizada em casa, opte por recipientes fechados que garantam a conservação. Mantenha também os horários e ofereça uma suplementação que contenha prebiótico. Além do estresse da viagem, oferecer aquela carninha ou pãozinho fora da dieta pode desregularizar o trato intestinal e causar vômitos e diarréia. “Manter o animal saudável é importante, porque barreiras naturais desequilibradas podem favorecer a entrada de muitas doenças, é uma porta de entrada” reforça Ykro Duarte.