Cidadeverde.com
Bicharada

Cachorros são queimados vivos em terreno no centro de Itaueira

 

A população do município de Itaueira, distante 346km de Teresina, está usando as redes sociais para denunciar um ato de maus tratos contra animais. Filhotes de cachorro teriam sido queimados vivos no quintal de um estabelecimento comercial no centro da cidade. O episódio aconteceu na ultima terça-feira (11). 

Populares que passavam pelo local ouviram o choro dos filhotes e conseguiram adentrar no terreno para salvar os animais. O momento foi registrado em vídeos, que ganharam repercussão na cidade.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.O delegado Cayo Cezar Batista, titular da delegacia de Itaueira, informou que testemunhas já estão sendo ouvidas, assim como os populares que resgataram os animais que sobreviveram. A polícia ainda não tem informações se todos os animais foram resgatados em tempo hábil pelos populares. 

"O vídeo denota que os animais estão sendo queimados. Contudo, quando a gente diligenciou no local do fato, não foi vista nenhuma carcaça ou resto de animal, o que leva a crer que eles foram socorridos, felizmente. O fato ainda está em apuração", explica o delegado. 

De acordo com informações preliminares apuradas pela Polícia Civil, os animais seriam de um empresário que é proprietário de estabelecimentos comerciais que tem em comum uma espécie de quintal onde os animais estavam no momento em que o fogo começou. O autor teria supostamente escolhido alguns filhotes para criar e praticado o ato criminoso contra os demais. 

O homem apontado como autor do crime ainda não foi ouvido pela Polícia Civil. 

Além do crime de maus tratos contra animais, o suspeito também pode responder por crimes patrimoniais, uma vez que o local queimado fica próximo à lojas e residências. Ele também poderá responder por crime ambiental, pela poluição causada pela queima irregular. 

Os animais resgatados foram adotados por moradores da região, que também serão ouvidos pela Polícia Civil. 

 

 

Natanael Souza e Marina Sérvio 
[email protected]