Cidadeverde.com
Bicharada

Estudante leva corpo de cão à delegacia após suspeita de envenenamento

Por Graciane Sousa
[email protected]

Corpo do animal com suspeita de envenenamento foi levado à delegacia (Foto: arquivo pessoal)

 

Atualizada às 14h

A estudante Thanandra Stefani teve o segundo cão morto com suspeita de envenenamento em menos de 12 horas . Ela havia acabado de registrar boletim de ocorrência pela morte de um animal na noite dessa quarta-feira (19) quando, ao chegar em casa, se deparou com a cadela de nome Chica também sem vida. 

A estudante mora em um sítio na zona rural Sudeste de Teresina. Chica é o terceiro cão sob os cuidados de Stefani que morre com sinais de envenenamento em um mês. 

O caso segue investigado pela DPMA. Em relação a um dos casos investigado pela Polícia Civil, laudo da Gerência de Zoonoses atestou que um dos animais morrei por "intoxicação exógena".

Piranhão e Chica foram mortos com suspeita de envenenamento (Foto: arquivo pessoal)

 

Matéria original

A estudante de Medicina Veterinária Thanandra Stefani perdeu o segundo cão em um mês com suspeita de envenenamento. Em protesto, ela levou o corpo do animal, que se chamava Piranhão, ao registrar boletim de ocorrência. A suspeita do crime recaem sobre uma vizinha que é investigada pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA). 

O segundo animal da estudante, que também é protetora de animais, morreu com suspeita de envenenamento em julho deste ano. Após a morte, tutores de várias cidades do país fizeram campanha #envenenaranimaisécrime nas redes sociais. 

O Bicharada conversou com a delegada Edenilza Viana, titular da DPMA, que informou que aguarda o resultado do laudo toxicógico que atesta se o animal encontrado morto em julho foi envenenado. 

"Sobre o caso de hoje também foi registrado boletim de ocorrência e será feito o exame cadavérico que elimina a morte natural. Encontrados vestígios de envenenamento, será necessário fazer o toxicológico", explica a delegada. 

Já em relação ao primeiro animal morto, a DPMA concluiu o caso e encaminhou para o juizado especial da zona Sudeste.