Cidadeverde.com
Bicharada

Morte de peixe-boi pode ser decorrência de atropelamento

Maceió sendo retirado do Rio Portinho, em Luís Correia, no último dia 22 (Foto: Antônio Carlos Amâncio)

Exames feitos no peixe-boi encontrado morto no Rio Portinho, em Luís Correia, no litoral do Piauí, indicam que o animal teria morrido por afogamento devido a ferimentos, possivelmente, causados por atropelamento acidental de alguma embarcação. O bicho, que se chamava Maceió, era monitorado desde filhotinho por profissinais da ONG Aquasis e estava desaparecido há quase dois meses após perder o equipamento de rastreamento. 

Maceió ainda tinha parte do equipamento de rastreamento na cauda (Foto: Antônio Carlos Amâncio)

"Acredita-se que Maceió foi atropelado acidentalmente por alguma embarcação. O acidente aconteceu há pelo menos 15 dias, porém não é possível afirmar em qual localidade ocorreu, considerando as correntes de deriva litorânea no Ceará que podem deslocar um animal como este por centenas de quilômetros em poucos dia", informou a Aquasis por meio de nota. 

Análise no corpo do peixe-boi constatou diversas cicatrizes e cortes na pele, alguns sugestivos de terem sido provocados por hélices de embarcação. A escápula, osso da região equivalente ao ombro nos peixes-bois, estava fraturada e havia hemorragia nos músculos do local. 

"Em função da dor, estresse e limitação nos movimentos, o animal passou a apresentar dificuldades para se alimentar, perdeu peso e desenvolveu inflamações graves no estômago e intestino. O quadro clínico do peixe-boi evoluiu de forma negativa, ficou bastante debilitado e acabou morrendo por afogamento. Exames para diagnósticos complementares serão realizados para auxiliar na melhor compreensão do caso", informou a Aquasis. 

Maceió no cativeiro de aclimatação na Praia de Peroba-Icapuí-CE (Foto: Antônio Carlos Amâncio)

Maceió levava esse nome em alusão ao local em que foi resgatado após encalhar ainda quando era filhote no Pontal do Maceió, em Fortim/CE. Ele foi monitorado por sete anos e solto no fim de maio na Praia de Peroba, em Icapuí/CE. Logo depois, ele perdeu o equipamento de rastreamento e só foi encontrado no último dia 22 de julho após encalhar novamente e não resistir aos ferimentos de um possível acidente. 

A morte de Maceió abalou toda a equipe de profissionais da ONG que atua no Ceará no resgate e reabilitação de peixes-bois, golfinhos e baleias no litoral do Ceará. 

"Apesar da perda difícil, seguiremos firmes com o nosso compromisso de atuar pela conservação desta espécie ameaçada de extinção. Agradecemos ao apoio e solidariedade de todos os amigos, parceiros, colaboradores e voluntários que se juntam a nós nessa causa nobre", encerrou a nota.