Cidadeverde.com

Cão é resgatado com larvas na cabeça e dona intimada a depor

Por Graciane Sousa

Uma mulher- que não teve a identidade revelada- será intimada a comparecer à delegacia pela acusação de maus tratos ao próprio cão. Sansão foi resgatado há cerca de duas semanas, na Zona Sul de Teresina, pela protetora de animais e gerente comercial, Jamille Vasconcelos. Os ferimentos no animal teriam sido causado por golpes de faca e pedradas, conforme relataram vizinhos. 

O laudo expedido pelo médico do Hospital Veterinário Universitário (HVU), Yago Gabriel da Silva Barbosa, atesta que o animal foi atendido em caráter emergencial, estava prostado e com parte da região do crânio exposta, com grande quantidade de larvas no ferimento. "Além disso, ele estava com infeccção local exacerbada, estado nutricional lamentável e infestado por carrapatos, comprovando que as condições em que o animal vivia anteriormente eram de total desprezo", diz o atestado médico veterinário.

O especialista conta que Sansão corria risco de vida devido a grande quantidade de larvas no ferimento.

Sansão quando chegou ao HVU bastante debilitado e com a cabeça infestada de larvas

"No HVU recebemos muitos casos como o dele, mas não com tanta agressividade. O animal só chega naquelas condições em que ele estava- com o ferimento cheio de larvas- por descuido do proprietário. Em casos assim é preciso higienar a ferida, pelo menos, duas vezes ao dia. O caso dele é típico do proprietário que deixa o animal do fundo do quintal ou jogado na rua e só olha para ele uma vez na semana. O cachorro corria risco de vida, pois a tendência era que as larvas se desenvolvessem ainda mais, necrosando o tecido", explica Yago Gabriel. 

A triste história de Sansão se espalhou rapidamente pelas redes sociais comovendo internautas até chegar à protetora de animais Jamiille Vasconcelos, a quem podemos chamar também de anjo da guarda. Ela foi responsável por salvar o animal que estava em uma casa na Vila São Francisco, próximo à Rodoviária dos Pobres, Zona Sul de Teresina. 

"Soube do Sansão por um casal que viu a situação dele e espalhou que o bichinho estava morrendo a míngua. Conversei com a dona da casa onde o cachorro morava e ela me disse que o animal estava bem cuidado. Me revoltei com a resposta e disse para essa mulher que ia recolher o animal e levá-lo ao hospital. Ela em nenhum momento ajudou...é uma pessoa muito fria", disse Mille, como prefere ser chamada a protetora. 

Ela disse ainda que Sansão demonstrava medo da dona e saía correndo quando a mulher tentava se aproximar dele. O resgate demorou cerca de quatro horas. 

"O Sansão estava vivendo em uma situação de total descaso. Não é questão finaceira; isso tem a ver com coração. Ela poderia ter comprado uma pomada para tratá-lo e com isso gastaria no máximo R$ 10. Eu estava desesperada com o estado dele e fiquei ainda pior quando os vizinhos me disseram que o comportamento arredio do bichinho era porque ele tinha sofrido pedradas e facadas e que isso era muito comum na região. Eu senti desespero diante da situação dele, pena, tristeza...minha pressão baixou. Me senti impotente. Me cortava o coração olhar pra ele daquele jeito, pois trato os meus cachorros com tanto amor, carinho e cuidados", conta emocionada Mille, que cuida de animais desde criança e já participou de resgates até em outros estados. "É uma luta por amor", reitera. 

O cão resgatado é SRD e tem três anos de idade. Ele, sequer tinha nome, sendo batizado como Sansão após o resgate. Após, literalmente, escapar da morte, o cão tem apresentado melhora siginficativa, até mesmo em relação ao comportamento. O médico veterinário acrescenta que o ferimento está em fase de cicatrização, o que deve demorar em média um mês. 

"Antes, ele tinha tanto medo que não levantava a cabeça. Quando a gente tocava nele, o bichinho começava a tremer. Agora eu o chamo; ele me olha. Já levanta a cabeça e o olhar. Estou muito tranquila. Deus é maravilhoso e grande...está sempre conosco. Ele enxerga nossa luta. Agora sinto meu coração em paz, mais tranquilo", alegra-se Mille. 

 

Sansão após ter alta no HVU 

Maus-tratos é crime

O delegado Antônio Madson, titular do 10º Distrito Policial, revela que a mulher apontada como proprietária do animal será intimada a prestar depoimento na próxima semana. Ele explica que a denúncia se enquadra na Lei de Crimes Ambientais, que prevê pena de reclusão de três meses a um ano e multa. 

"Provavelmente, ela vai responder a um TCO. Ela será ouvida e o caso encaminhado ao Juizado Especial Criminal da Zona Sul, localizado no bairro Bela Vista. Ela está sujeita a uma transação penal que deve ser proposta pelo Ministério Público. Se ela tiver feito aceito alguma proposta destas nos últimos cinco anos, não é possível se fazer essa transação penal e o caso deve ser denunciado à Justiça. No momento,  temos de concreto que vou intimá-la, para que ela se explique", destaca Madson. 

O delegado ressalta que casos de maus-tratos contra animais são comuns, mas ainda são subnotificados. Situações de violação dos direitos contra os bichos, devem ser registradas na delegacia da área. 

"A denúncia é muito chocante. Ninguem é obrigado a criar um animal, mas assim que a pessoa se compromete a criar, tem que saber que o bicho deve ser tratado com zelo. O animal não é um objeto que você adquire hoje e se desfaz dele. Ele é um ser vivo e precisa de atenção do proprietário, na saúde e na doença", alerta o delegado Antônio Madson.

 

#VamosAjudaroSansao


Sansão deve ter alta do HVU nesta sexta-feira (27) e ficará em um lar temporário até a cicatrização do ferimento, que deve durar um mês. Após se recuperar, o animal ficará disponível para a adoção responsável. 

No momento, o cão precisa de doações para quitar a dívida no hospital que está acima de R$ 800. Depósitos bancários podem ser realizados na conta bancária de Luna Karoline e Araceli Maria, que também são protetoras de animais.  (veja abaixo o número das contas). 

"Quem quiser ajudar o Sansão, precisa enviar uma foto do comprovante do depósito para o WhatsApp 86 9 9990 2874. Precisamos ter esse controle, porque as contas também são usadas para receber doações para outros animais que estão em tratamento", explica a protetora Luna Karoline. 

As doações para Sansão também serão usadas para a compra de medicamentos e alimentação, no período em que ele estiver no lar temporário. 

Caixa Econômica Federal (poupança) e Banco do Brasil (conta corrente)