Cidadeverde.com

Pintinhos são cuidados como bebês em projeto de prevenção à gravidez em Teresina

"Não estamos prontos para cuidar de um bebê". Essa é a lição que mais de 300 alunos do 1º ano do Centro Interescolar Prefeito João Mendes Olímpio de Melo (Premen Norte) aprenderam com a realização do projeto "Na adolescência não faça filhos, leia livros", no qual os estudantes foram divididos em casais e ficaram responsáveis por cuidar de um pintinho como se fosse um filho.

A iniciativa, segundo a professora Lessandra Ribeiro, idealizadora do projeto, nasceu da percepção do alto índice de gravidez na adolescência dentro da escola. 

"Em apenas um ano, tivemos cerca de 15 garotas grávidas, a maioria estudantes do 2º e 3º ano. Dessa forma, resolvemos trabalhar o projeto e as informações sobre prevenção com os alunos do 1º ano para mudar essa realidade e evitar novos casos no decorrer do ensino médio. A experiência foi muito positiva e eles sentiram na pele a dificuldade de ser responsável por outra vida", relatou a professora.

Os alunos Gabriela Moreno, de 15 anos, e Mateus dos Santos, de 16, formaram um dos casais que cuidaram do pintinho como se fosse um bebê. O filhote, que ganhou o nome de Fernanda, foi criado em guarda compartilhada e mudou a rotina dos adolescentes. 

"O período em que o pintinho estava comigo era muito difícil. Eu não podia sair, nem estudar direito. Tinha que alimentá-lo e, além disso, o barulho dele me incomodava muito. Não quero ser pai agora", disse Mateus.

Para Gabriela, também não foi fácil, mas apesar das dificuldades, a adolescente enalteceu a experiência. 
"Aprendemos muito durante esse período. Cuidar de outra vida requer muita responsabilidade. Mudou tudo na minha casa e eu tive que contar com a ajuda dos meus pais", explicou a estudante.

A experiência foi ainda mais inusitada para o estudante Silvio Gabriel, ele teve que cuidar do pintinho sozinho depois de ser abandonado pela colega de sala. 

"Foi muito difícil para mim porque, além de estudar, eu trabalho. Cuidar do pintinho sozinho foi um desespero", completou Gabriel.

O projeto "Na adolescência não faça filhos, leia livros" terá continuidade na escola. A partir de agora, os estudantes participam de uma nova etapa do projeto com trabalhos de incentivo à leitura. 

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) fará a doação de novos livros paradidáticos para auxiliar nas atividades.

 

bicharada@cidadeverde.com