Cidadeverde.com

Criança no Piauí troca presentes por ração e dá lição de bondade

  • 14446068_317166838656114_4110191892490613177_n.jpg arquivo pessoal
  • fe9c60ea-e643-4063-986b-7705f1d59fb6.jpg arquivo pessoal
  • 14446235_315564465483018_8533800786098536311_n.jpg arquivo pessoal
  • 14457492_315564132149718_3038899017910899120_n.jpg arquivo pessoal
  • 14625617_324373797935418_1282606862_o.jpg arquivo pessoal

Por Graciane Sousa


Ele é pequeno e tem apenas nove anos de idade, mas o coração... é gigante. Nele cabem palavrinhas que Antônio Ribeiro talvez nem conheça, como altruísmo e empatia, mas que pratica muito bem. Como toda criança, ele adora brinquedos. Mas sabe o que ele quis ganhar de presente no dia do seu aniversário? Ração para cães. 

A festa de Antônio até teve bolo, doces, brinquedos e muitas outras coisas de criança, mas a imagem que não sai da cabeça dele é a da Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa), uma ONG protetora dos animais sediada em Teresina e que foi escolhida pelo garoto para receber as doações. 

"Eu fiquei com pena deles... porque, coitadinhos! Muitos deles estavam doentes, com sarna,  eu senti uma pena deles e tive vontade de doar mais e mais ração. Tinha um todo feridinho, sangrando, machucado, sem pelo. Eu quis tanto ajudar eles. Eu só pensei em ajudar e salvar, só", disse Antônio.

As palavras ingênuas do garoto- que se diz um bom aluno na escola, onde cursa o 3º ano do Ensino Fundamental- são carregadas de amor. Interrogado sobre a boa ação ele acrescenta:

"Foi muito bom. Quando eu doei aquela ração para os cachorros, deu um alívio em meu coração. Me senti muito feliz. Poder ajudar foi uma das melhores sensações da minha vida", disse. 

Pelas palavras do menino, dá para imaginar que a decisão de trocar presentes por quilos de ração foi fácil, mas não foi bem assim. Na verdade, a ideia foi da mãe dele, a empresária Lizieux Ribeiro. Antônio disse que não aceitou de imediato, mas conta que algo falou mais alto. 

"Minha mãe que disse para eu pedir ração ao invés de brinquedos. No começo, fiquei muito magoado, eu quis tanto, mas tanto os brinquedos... depois, comecei a pensar melhor nos cachorrinhos morrendo, nos cachorrinhos doentes, nos cachorrinhos sofrendo. Aí quando eu vi os bichinhos, bateu a vontade. Não tinha como aguentar. Ainda mais eu que tenho um quarto cheio de brinquedos. Para que vou precisar de mais? Melhor ganhar ração para doar", ensina a criança. 

Antônio mora no município de Bom Jesus com a família e mais três cães: Natascha, Bob e o Ossinho. Todos os animais são adotados e se dependesse do garoto, a casa teria mais bichos: ele é do tipo que todo animalzinho que vê na rua quer cuidar. 

“Eu sinto muita vontade de adotar. O problema é que meus cães são bravos. Então, prefiro pegar o cachorro na rua, cuidar dele e depois dar para outra pessoa. Todos os meus cães moravam na rua, estavam muito feridos e a minha mãe adotou eles. O Ossinho estava muito doente e veio aqui para casa. Eles chegaram ainda pequenininhos. Mas minha mãe cuidou deles, alimentou, até todos ficarem grandões”. 

A mãe lembra que o pequeno participou de resgate até de pássaros. Para Antônio, os cães não são apenas animais, mas amiguinhos.“Eles são muito bonzinhos. Eu acabei de dar um abraço no Bob que é gigante. Às vezes, ao invés de ficar na internet ou na TV, eu faço carinho e dou uns beijos neles e ainda brinco", disse o garoto. 

Foto: Arquivo pessoal

No próximo ano, Antônio completará 10 anos de idade e parece que a escolha dos presentes não será difícil. Conversar com o garoto é aprender várias lições e enxergar a bondade. 

“No meu próximo aniversário, vou doar ração para gato. Já decidi. Eu tenho muitos brinquedos. Se der, eu dou até para as crianças carentes, pois alguns eu nem uso. Se pudesse, eu daria um brinquedo para as crianças que não têm e quero que elas ajudem os animais, pois se elas ajudarem os animais junto comigo, eles vão ficar fortes e saudáveis e vão demorar muito a morrer...

Eu quero que os animais vivam. Pode ser até um leão, eu quero que ele viva, que ele seja feliz, que aproveite a vida”, sonha o pequeno. 

Como toda mãe coruja, Lizieux confirma que o menino é um bom filho e que ao falar sobre o futuro diz apenas: “Mãe, eu terei um futuro brilhante”.

Dia das Crianças

Antônio Ribeiro não para de dar lições de bondade. Neste Dia da Crianças, comemorado em 12 de outubro, ele participa de uma ação solidária para crianças carentes em sua cidade. Quem conta o que ele fez é a própria mãe. 

"Aqui em Bom Jesus ocorre há 8 anos uma campanha de arrecadação de brinquedos para doar a crianças carentes. A organizadora da ação social também faz um grande lanche coletivo. Todos os anos, nós contribuímos com alguma quantia em dinheiro para ajudar nas despesas. Este ano, Antônio doou o valor do presente como um reforço de caixa, nem chegou a pedir presente. Acho que ainda estava no espírito do aniversário", disse Lizieux Ribeiro. 

 

bicharada@cidadeverde.com