Cidadeverde.com

Após problemas, Teresina terá postos extras de vacinação contra raiva

Por Graciane Sousa

Problemas no dia da campanha de vacinação antirrábica, ocorrida no último sábado (03), levaram a Fundação Municipal de Saúde (FMS)  a disponibilizar posto extras para imunização dos animais. Tutores deixaram de vacinar seus animais porque não havia profissionais para a aplicação das doses. O posto de vacina do bairro Santo Antônio, na zona Sul de Teresina, foi um dos locais afetados.

"Eu levei minha cadela ao posto pela manhã, no horário entre 11h e meio dia, e não tinha ninguém para aplicar. Fui para casa, retornei às 16h30 e o local já estava fechado. O outro posto na minha região ficava no bairro Santa Fé e não tinha como ir caminhando. Assim como aconteceu comigo, vários vizinhos voltaram para casa sem vacinar os bichinhos", conta o assistente financeiro, Marcílio Lima.

A gerente da Zoonoses da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Oriana Bezerra, admitiu o problema e atribuiu a situação à mudança de data da campanha e também à realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). 

"A vacina contra raiva a dinâmica e diferente de vacinação de crianças e idosos, onde as pessoas vão as UBS e são imunizadas. Os animais são vacinados em praças, escolas e outros postos. Todos os anos, fazemos a distribuição nos postos e lotação de profissionais, mas acreditamos que com a mudança de data da campanha e a coincidência com o Enem- alguns profissionais escalados para trabalhar fizeram provas- ocorreu esse problema", explica Bezerra. 

Das 132 mil doses disponibilizadas, 94 mil foram aplicadas. A falta de profissionais nos postos de aplicação atingiu, pelo menos, as zonas Sul e Sudeste de Teresina. Com a disponibilização de postos extras, a campanha de vacinação na zona rural que deveria acontecer no próximo sábado (10) foi adiada, sem data definida. 

Nesta terça-feira (06), seis postos extras de vacinação serão instalados no bairro Porto Alegre (confira lista abaixo).

Teresina não registra casos de raiva em seres humanos desde o ano de 1986. Já o último caso em animais aconteceu em 2011, com um cão que foi infectado no interior do estado. "Diante de casos como o falecimento de uma pessoa por raiva no Ceará, e outros episódios pontuais de raiva animal no interior do estado, podemos dizer que o vírus está circulando e por isso precisamos nos proteger", diz a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba.

A gerente de Zoonoses acrescenta que a vacina contra a raiva animal é segura. Ela é constituída por vírus atenuado, 2% de tecido nervoso e conservantes a base de fenol e timerosol.

“Antes de sua aplicação, elas são submetidas a testes de potência, inocuidade (que verifica se a vacina causa algum efeito adverso não esperado) e esterilidade (que detecta se há contaminação por bactéria ou fungo)”, diz a gerente.

A raiva é uma zoonose viral, que se caracteriza como uma encefalite progressiva aguda e letal. Todos os mamíferos são suscetíveis ao vírus da raiva e, portanto, podem transmiti-la. A doença apresenta dois principais ciclos de transmissão: urbano e silvestre, sendo o urbano passível de eliminação, por se dispor de medidas eficientes de prevenção, tanto em relação ao ser humano, quanto à fonte de infecção.


POSTOS DE VACINAÇÃO ANTIRRÁBICA 

 

Sítio do IPMT
Endereço: Residencial Teresa Cristina - Angelim III

Sede Prov. do Cons. Com. Portal da Alegria III e IV
Endereço: Próximo ao Terminal de Ônibus - Vila Palitolândia

Escola M. Ofélia Leitão
Endereço: Av. Principal - Porto Alegre

Escola Municipal Velho Monge
Av. Principal Loteamento - Porto Alegre II

CEU Centro de Artes e Esportes Unificados
Endereço: Quadra L Casa 6 - Portal da Alegria

Creche de N. Srª Aparecida
Endereço: Rua Agricolândia - Vila da Glória - Porto Alegre