Cidadeverde.com

Ursa Marsha é transferida para rancho no interior de São Paulo

  • f9cad163-2615-4c73-8d7a-37b590777a01.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • c458ec31-a225-4117-ad5a-02933e61c01f.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • fb9a9456-216c-4a48-9aca-fdb011883061.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • e0b6b109-e5cd-4c22-89b4-8be5f6696f3d.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • c80ea76b-f1bb-4080-98db-e2b0be4e9f8a.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • c12e3ac4-9cd1-4583-9f60-0944c5040ffe.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • a340af3a-49d6-4205-b57f-89a4d6ebe6ab.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • 66701e56-d6dd-4126-9491-5d411a58dc83.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • 935e8a86-4c53-4477-86ef-9395986154ce.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • 6f107a3d-16d3-4be6-99c7-618745359f24.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • 4c69e7b1-d11e-4d5b-9440-84ecbe9a0813.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • 2c38be2f-6736-4710-8a26-fee1c330ee3f.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2018-09-21_at_12.09_.20_(1)_.jpeg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2018-09-21_at_12.09_.13_(1)_.jpeg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2018-09-21_at_12.09_.08_(1)_.jpeg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2018-09-21_at_12.09_.00_.jpeg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2018-09-21_at_12.08_.57_(1)_.jpeg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2018-09-21_at_12.08_.53_(1)_.jpeg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • recinto1.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • recinto.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursatrite.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa10.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa9.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa8.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa7.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa6.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa5.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa4.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa3.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa2.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa1.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com
  • ursa.jpg Luccas Araújo/Cidadeverde.com

Atualizada às 14h35

A operação de resgate da Ursa Marsha durou cerca de 3 horas. Por volta de 14h20, o animal entrou na jaula que o levará para Joanópolis, onde fica o Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos, localizado entre as cidades de São Paulo e Minas Gerais.

A saída da Ursa até a jaula durou cerca de 3 minutos e foi um momento de muita expectativa. A equipe responsável pelo resgate orientou que todos fizessem silêncio. Para entrar na caixa de transporte, Marsha foi atraída por cenouras e mel. No local também borrifado floral para acalmá-la. 

Do parque Zoobotânico, a Ursa vai direto para o aeroporto de Teresina e será levada em um avião da FAB até o aeroporto de Garulhos, em São Paulo. De lá, segue por via terrestre até o seu novo recinto.

O mantenedor do Rancho do Gnomos, Marcos Pompeu, veio ao Piauí acompanhar e executar todo o processo de transferência. Ele explicou que a equipe preparou minuciosamente todo o procedimento, trouxe a carreta de transporte com os compartimentos preparados para a ursa, como climatizador e outros aparatos necessários. Ele falou sobre o trabalho para promover a adaptação da Marsha no novo lar.

“Primeiro a nossa equipe de veterinários vai estar em contato com a equipe de veterinários daqui do parque para pegar o prontuário dela e a partir daí elaborar um plano de alimentação e adaptação no novo espaço, lembrando que em uma temperatura bem mais amena, então acreditamos que ela vai se adaptar bem e vai ter o restinho de vida dela em uma condição mais confortável”, explicou Marcos.

Também veio para o resgate do animal Silvia Pompeu, que é mantenedora e administradora do Rancho. Ela lembrou que o principal motivo para a transferência da Marsha era a inadequação da temperatura muito quente de Teresina para uma ursa. “Quando fomos solicitados, acho que o principal foi a temperatura. Porque lá fica oscilando entre 14 até no máximo 22 graus, então é mais apropriado para ela em termos de clima, para ela ficar mais tranquila, menos estressada. Aqui é um estado incrível, mas muito quente para um animal da espécie dela”. 

Silvia Pompeu contou que assessoria do governo do Piauí procurou o Santuário. “A partir daí foi realizado todo o operacional. Na verdade esse aparato é com o que já trabalhamos há 27 anos, então o que muda é só o animal que vai ser resgatado, porque o procedimento é o mesmo. A equipe está toda preparada, cada um com a sua função, uma equipe extremamente determinada”.

A administradora contou como foi feito o procedimento de retirada da ursa da jaula. “A carreta vai ser encostada na jaula para que a ursa entre nela sem o uso de anestesia, respeitando a idade avançada dela e considerando o clima extremamente quente para ela e a movimentação toda. Então vamos fazer esse embarque como a gente sempre faz sem precisar usar anestesia. Apesar que o anestesista veio com essa finalidade, se precisar em uma emergência ele está aí para atuar”

 

Atualiazada às 13h44

A atriz Alexia De Champs também chorou ao encontrar Marsha e disse que a ursa é símbolo de uma nova era para os animais. 

"Eu já chorei tanto antes de chegar aqui. Foram muitos obstáculos e não entendemos por que? Não tinha motivo. Foi uma missão. A Marsha é símbolo de uma nova era", disse Champs. 

A atriz frisa que a transferência da ursa é um momento de conscientização para todo o país. 

"A Marsha, a  partir de jhoje, abre os olhos de todo o Brasil. Ela conscientiza porque vai fazer todo mundo pensar que alguma coisa tava errada. Um urso do Canadá em um lugar muito quente. Queremos resgatar outros e a Marsha vai trazer novos tempos para esses animais ",  disse Champs. 


A atriz relembrou o sofrimento da ursa durante o período que trabalhou no circo. Estou muito emocionada e agradecida. Ver uma vitória dessas não tem preço. 

"A bichinha foi escrava por muito tempo e precisa de uma qualidade de vida, pois não é mais uma menina.  Torcemos para que tudo dê certo", disse a atriz.

Atualizada às 12h46

As grades do recinto onde a ursa Marsha aguarda a transferência precisaram ser serradas para que a carreta, com a caixa de transporte, possa chegar mais próxima do animal. Uma rampa de madeira será improvisada na tentativa de que a ursa entre sem que seja necessário dopá-la. 

Caso isso não aconteça, um especialista em resgate de animais vai agir para anestesiá-la. Todo o processo é acompanhado de perto por curiosos e ativistas.

Atualizada às 12h10

a operação de resgate da ursa Marsha teve inicio por volta de 11h50, no Parque Zoobotânico, zona Leste de Teresina. Ativistas nacionais e profissionais do santuário acompanham a preparação para colocá-la na caixa de transporte, que tem 4, 5 metros de comprimento, 1, 4 metros de altura e 2 metros de largura.

A ativista Luisa Mell chorou ao encontrar a ursa. Neste momento, a equipe responsável pelo resgate articula a entrada do animal na jaula.

"Eu estou muito emocionada. É um momento histórico para proteção animal no Brasil. A gente espera que com isso as pessoas entendam que animal não é entretenimento. A gente fica nervosa, na torcida que tudo dê certo. O animal não é jovem e a viagem é longa. A gente conta com orações para que haja um final feliz", disse Mell.

A jaula chegou em um caminhão reboque e estão tentando reduzir o máximo possível o local onde a ursa está para que ela possa entrar no local sem precisar ser dopado. 

Além de Luisa Mell, a atriz Alexia de Champs também se emocionou com o animal. Ativistas piauienses também acompanham a remoção.

Imagens: Graciane Sousa/Cidadeverde.com
 

Atualizada às 11h40

O resgate da ursa Marsha está atrasado em quase 17 horas devido a uma pane no avião da FAB que a levará para o novo recinto situado entre São Paulo e Minas Gerais. O animal não será dopado e para facilitar a entrada na jaula, a alimentação foi reduzida e ela está em um corredor de 15 metros. O resgate era pra ter iniciado ontem às 18h.

"Ela foi tirada ontem da área de exposição e foi colocada na área de manejo. Orientamos que ela não fosse dopada por conta da idade. Então, desde às 16h de  ontem sem comer", explica o veterinário Alexandre Clark, do Parque Estadual Zoobotânico. 

Marsha está sem comer há 19 horas e já apresenta estresse. No corredor, ela faz movimentos de vai e vem. 

"Vamos tentar atraí-la pela comida, pois dopar um animal nessa idade é um risco", acrescenta o veterinário. 

Em Teresina, a ursa morava há sete anos e era bem cuidada. O recinto construído para o animal no zoológico tem cerca de 500 metros e tem aproximadamente o dobro do tamanho do recomendado pela legislação ambiental. Um sistema de aspersores e piscinas foi instalado para diminuir a temperatura ambiente. 

Marsha tem aproximadamente 32 anos e é considerada idosa. Marsha come 15kg de comida por dia entre frutas e legumes, além de carne, uma vez por semana.

O tratador que cuida dela há cinco anos, Marcos César, conhecido como Piu Piu, está emocionado e lamenta muito a transferência do animal. "Eu não gostei não, que tão querendo levar ela pra outro lugar. Eu amo ela, minha nega véa que cuido dela há cinco anos (sic)", diz emocionado. 

 

Flash Graciane Sousa
Da Redação, Lyza Freitas
gracianesousa@cidadeverde.com