Cidadeverde.com
Bicharada

Bombeiros salvam filhotes de cachorro de incêndio em Picos

Fotos: Corpo de Bombeiros de Picos


Por Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Os bombeiros de Picos salvaram quatro filhotes de cachorro de um incêndio no município. O tenente Hamylton Lemos, comandante do Corpo de Bombeiros de Picos, contou ao Cidadeverde.com que a ocorrência aconteceu na manhã de domingo (28), após receber uma ligação denunciando que havia fogo em um terreno baldio.

O comandante comentou que a guarnição só teve conhecimento dos cachorrinhos quando chegaram no local do incêndio, no bairro Ipueiras.  

"Fomos até o local e, chegando lá, a guarnição percebeu que no incêndio havia o barulho de animais, por dentro do muro, no local que estava tendo fogo. A guarnição se dividiu em duas: ficou uma combatendo o incêndio e a outra - com todo o equipamento de salvamento - ultrapassou as barreiras, muros, vegetações, e conseguiu chegar onde estavam esses cachorros", disse.

O tenente ressaltou que "eram quatro filhotes, que não tinham para onde correr, e o fogo já estava avançando no local. Mesmo próximo as chamas, os bombeiros conseguiram salvar essas vidas, que também são importantes para nós, e ao mesmo tempo combater o incêndio, evitando que ele se estendesse para as casas vizinhas".

Queimadas 

Na oportunidade, o comandante pediu que as pessoas não ateassem fogo em vegetações e terrenos baldios, como o que ocorreu na situação envolvendo os cachorrinhos.  

O tenente explicou que o terreno baldio citado nesta reportagem era próximo a casas e de um hospital. E, por isso, essa ocorrência teve prioridade para evitar o mais rápido possível que o fogo se alastrasse e atingisse outros locais, colocando a vida das pessoas em risco.

"Quero aproveitar e pedir para que as pessoas evitem colocar fogo na vegetação. Essa época do ano é seca e, na região de Picos, tem muito vento. E a probabilidade  do fogo perder o controle e atingir outros patrimônios, vidas, é muito grande. As pessoas quando virem outros colocando fogo, denunciem (aos órgãos competentes)".