Cidadeverde.com

Égua é eutanasiada em Teresina após fratura exposta nas patas

Por Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com


Uma égua foi eutaniasada após fratura exposta nas quatro patas. O caso ocorreu na Rua Gonçalves Dias, bairro Lourival Parente, zona Sul de Teresina. O animal ficou mais de 6 horas em sofrimento e comoveu quem presenciou a cena. 

"Não sabemos se foi acidente ou se ela caiu numa vala e quebrou as patas tentando sair. Isso aconteceu por volta de 3h da madrugada. O Corpo de Bombeiros veio às 8h e o Centro de Zoonoses depois das 9h. Foi muito tempo de espera. Todos ficamos tristes e comovidos com o sofrimento do animal", disse o morador Alyson Jhones. 

Segundo ele, antes de ser sacrificado, o animal foi "enforcado" com uma corda no pescoço. 

"Não precisava disso. Ela já estava sofrendo por horas. Para quê passar aquela corda no pescoço do animal que não tinha mais força. Foi muito triste. Muitas pessoas se comoveram, choraram com aquela cena", questiona o Jhones. O dono da égua não foi identificado. 

O Bicharada conversou com o médico veterinário Marlon de Araújo Castelo Branco, do Centro de Centro de Controle de Zoonoses de Teresina. Ele explica que o animal foi sacrificado para aliviar o sofrimento.

"O animal estava em sofrimento. Em casos como o dela, com fratura exposta nas patas, a recomendação do Conselho de Medicina Veterinária é a eutanásia. Não é como um animal pequeno em que podemos fazer uma cirurgia. Não existe tratamento, por isso a eutanásia. A corda foi colocada para evitar que o animal se debatesse, pois estava sentindo muita dor. Foi aplicada uma pré-anestesia, anestesia geral  e quando o animal já estava dormindo foi dada uma injeção letal de cloreto de potássio", explica o veterinário. 

Sobre a demora na atendimento, o médico diz que o Centro de Controle de Zoonoses só funciona de 8h às 12h e de 14h às 17h30. 

"Não tem equipe de plantão. Se acontece algo de madrugada ou à noite, só podemos ir no horário de funcionamento", reitera o veterinário. 

Casos envolvendo animais de grande porte devem ser comunicados ao Centro de Controle de Zoonoses por meio do 86 3 215 9143.