Cidadeverde.com

Casal encontra lagarto de quase 1m em quarto andar de prédio em Teresina

Por Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Um casal levou um tremendo susto ao chegar em seu apartamento na região da Santa Maria da Codipi, zona Norte de Teresina. A família mora no 4º andar e se deparou com um lagarto de aproximadamente 1 metro de comprimento preso à porta. 

"Minha esposa subiu na frente e de repente começou a gritar... quando ela colocou a chave na porta, o bicho levantou a cabeça e ela pensou que fosse uma cobra e saiu correndo", conta Rafael Meneses, auxiliar administrativo. 

Após susto, os moradores acionaram o Batalhão da Polícia Ambiental que fez o resgate. A captura do bicho durou aproximadamente 30 minutos. 

"Eles tiveram um pouco de dificuldade porque o lagarto estava bem preso à porta. Mas, em nenhum momento, ele atacou", acrescenta o auxiliar administrativo. 

O lagarto é um teju e se alimenta de ovos e pequenos animais (aves, roedores). O biológo Francisco Soares explica que o réptil não oferece perigo. 

"Não existe na fauna brasileira lagarto venenoso. Ele se alimenta de ovos, animais pequenos e é comum aparecer na cidade devido ao desmatamento. À medida que o homem vai avançando no habitat dos animais, eles vão aparecendo. Os lagartos não atacam e a reação deles é fugir", explica o biólogo. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Frio mata e congela tubarões nos Estados Unidos

A onda de frio extremo que atingiu os Estados Unidos e o Canadá nos últimos dias está matando tubarões na região de Massachusetts. Três animais da espécie alopias foram retirados de uma praia de Brewster pela ONG Atlantic White Shark Conservancy, que postou nas redes sociais imagens dos animais congelados.

Segundo a organização, os animais eram três machos de tamanho similar e morreram encalhados devido "ao choque pelo frio", que pode levar a paradas cardio-respiratórias.

Dois dos animais tiveram amostras de tecidos e órgãos coletadas para análises, mas o terceiro estava congelado demais para coleta. Os dois primeiros foram retirados da praia no dia 27 de dezembro e o último no dia 29.

Frio recorde

A onda de frio recorde no leste dos Estados Unidos deixou quatro mortos durante o final de semana prolongado do Ano Novo e permanece nesta terça-feira (2).

O Serviço Nacional do Clima emitiu alertas para a sensação térmica, já que estão previstas temperaturas perigosamente baixas no leste de Montana e por todo o Meio-Oeste até o litoral do Atlântico e o Nordeste, seguindo ao sul.

Escolas de Iowa, Massachusetts, Indiana, Ohio e Carolina do Norte cancelaram ou adiaram o início das aulas, já que se espera que os termômetros atinjam entre -11ºC e -17 ºC, algo muito abaixo do normal, em toda a metade leste dos EUA.

Cataratas cercadas de gelo

O frio ainda não congelou as Cataratas do Niágara, no Canadá, mas moradores da região acreditam que as quedas d'água podem virar gelo se as baixas temperaturas continuarem.

Os dias de neve transformaram a área das cataratas em uma espécie de "palácio de neve", mas água corrente ainda era vista na sexta-feira, 29.

Fonte: G1

Jovens dedicam a vida para salvar animais de rua em Teresina

Por Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Foto: aquivo pessoal

Shayana Camelo e Luna Karoline se dedicam a salvar animais de rua

Dedicar 365 dias do ano à causa animal. Isso ainda é pouco para os protetores de animais, pessoas que abdicam dos raros momentos de folga e até mesmo do tempo e dinheiro que não têm, para cuidar de bichinhos de rua. Em Teresina há um verdadeira corrente do bem formada por gente que tem em comum o amor incondicional pelos bichos. Muitas destas pessoas são anônimas que de alguma forma querem ajudar e contribuem na medida do possível; outras são voluntárias que se dedicam dia e noite em prol da causa.

Luna Karoline é protetora independente e tem nove animais em casa, todos adotados e castrados. Ao longo de três anos dedicados a ajudar os animais de rua, ela já perdeu a conta da quantidade de resgates, mas diz que facilmente ultrapassa 50 cães e gatos. 

"Não sei nem precisar quantos animais já resgatei. Se contar com os que, mesmo tendo a sorte de serem resgatados não resistiram ao tratamento, as ninhadas de filhotes e com os que, graças a Deus, foram resgatados, tratados, adotados e estão hoje saudáveis e em ótimas famílias, esse número passa fácil dos 50 animais", disse Luna, mãe dos gatos Melisso, Kadinho, Galego, Laurinha e Felicia, e dos cães Lady, Luck e Brigitte (filhos da Lady) e Julieta. 

Em geral, os protetores de animais em Teresina só resgatam animais de pequeno porte. Um dos empecilhos para ajudar equinos e asininos, por exemplo, é a falta de Lar Temporário (LT), uma dificuldade também em casos com cães e gatos. 

"Só tenho como resgatar cães e gatos porque animais do porte dos cavalos, por exemplo, demandam lares temporários ou definitivos bem maiores e, muitas vezes, não consigo nem para os bichinhos de pequeno porte. Acabo tendo que  pagar um valor mensal para que o animal possa ficar em determinada casa aos cuidados de alguém até ele ser adotado", destaca Luna.

A vontade de ajudar mais fez com que a auxiliar administrativa e estudante de Fisioterapia, Shayana Camelo, fundasse a ONG Protetores de Patinhas em 2014. Ela também perdeu a noção do número de cães e gatos resgatados, mas estima que ultrapassa de 100 bichos. 

"Gosto de animais desde a infância e percebia que poucas pessoas se importavam com o bem-estar deles. Não foi nada planejado. Eu queria ajudar um aqui; outro ali e assim foi indo. Eu os alimentava na rua, levava para a clínica e isso se tornou um trabalho voluntário", disse Shayana Camelo.

A ONG Protetores de Patinhas frequentemente faz campanha para ajudar voluntários que dão LT aos animais de rua. No momento há 15 animais nessa situação e que precisam de ração, materiais de limpeza e também medicamentos. 

Castração para evitar novos abandono

Se não bastasse o sofrimento de serem abandonados, muitos dos cães e gatos resgatados na rua ainda são de difícil adoção. Em outras palavras, Luna Karoline diz que as pessoas só querem um cão ou gato 'perfeitos'.

Foto: Luna Karoline/arquivo pessoal

Antes e depois da Aparecida, cadelinha resgatada pela protetora Luna Karoline

"Existe muito preconceito. No geral, as pessoas só querem animais de raça, de porte pequeno, peludinhos e saudáveis. Infelizmente, a maioria dos animais que resgatamos em situação de abandono ou de maus-tratos não têm essas características; os que têm, normalmente, estão com algum problema de saúde e precisam de tratamento", disse a protetora independente. 

Já a presidente da ONG Protetores de Patinhas acrescenta que cadelas adultas também são de díficil adoção. 

"As fêmeas adultas são de difícil adoção. Para a gente melhorar a aceitação só entregamos os animais castrados. Já os filhotes a gente tem um termo de adoção responsável que o adotante assina e a gente sabe o período de tempo que o filhote vai poder ser castrado. Daí fazemos esse acompanhamento e arcamos com a castração desse filhote também. É uma forma de previnir novos abandonos e melhorar a qualidade de vida desses animais", explica a presidente da ONG.

Já a protetora independente cita o caso das cadelas  Vitória e da Mel que estão há mais de um ano em Lar Temporário e não conseguem adoção.  As duas cadelas são saudáveis e estão à espera de um lar. Quem quiser adotá-las deve entrar em contato através do 86 9986-6200.

 

Mel e Vitória estão à espera de um lar


Adoção responsável 

Para minimizar o futuro abandono, as protetoras têm um cuidado especial na hora de doarem os animais resgatados. Luna Karoline diz que é bastante criteriosa e explica o motivo de tanta preocupação. 

"A adoção é algo cada dia mais difícil, principalmente, para os animais que resgato. Sou muito cautelosa para entregá-los. Faço entrevistas com os interessados, visito a casa antes de levar o animal para saber se as informações dadas são verídicas e se o local é adequado pra recebê-lo. Só depois levo o animal com o termo de adoção para que o adotante assine junto comigo se comprometendo a ser responsável por ele a partir daquele momento", frisa Luna Karoline. 

Custos

Foto: Shayana Camelo/arquivo pessoal

Shayana cuida de um cãozinho resgatado 

As despesas com o resgate é outra batalha que os protetores de animais enfrentam. Por menores que sejam os custos, as duas protetoras não contam com apoio do poder público e conseguem fazer os resgates com ajuda de quem se solidariza com a causa. Bingos, rifas e eventos também são realizados para arrecadar dinheiro e pagar despesas em clínicas veterinárias, entre outras. 

"Graças a Deus tenho muitos amigos na causa que se tornaram parceiros nesse sentido da ajuda financeira. Sempre faço prestação de contas de cada centavo recebido e pago. Dessa forma, já tenho algumas pessoas que confiam no que faço e sempre me ajudam. Nunca tive medo do valor da conta porque sei que posso contar com ajuda de quem também ama os animais", contou Luna Karoline.

Já Shayana cita que a ONG só consegue ajudar animais de ruas em situação de risco.

"Infelizmente, não temos como resgatar todos os animais de rua porque não temos abrigo, não temos ajuda do Governo. A gente busca resgatar os mais debilitados, levamos para a clínica onde é feito o tratamento e colocamos pra adoção". 

 

Convivendo com as perdas 

Os resgates de animais de rua se confundem com histórias de sofrimento, sentimento que se estende aos protetores quando não conseguem salvar vidas. 

"A história do Castanha me comoveu muito. Ele estava com metade da cabeça devorada por larvas, muito debilitado. O quadro de infecção era alta e passou quase dois meses internado, mas morreu  ao tomar uma anestesia que era necessária para que ele passasse uma cirurgia em que seria retirado o tecido de uma outra  parte do corpo para colocar na cabeça. A perda é sempre difícil. Alguns casos tocam bastante a gente, pois existem animais que nos conquistam só com o olhar, eles passam aquela vontade de viver, de se recuperar", relembra a presidente da ONG Protetores de Patinhas que conta atualmente com 21 voluntários. 

Foto: Shayana Camelo/arquivo pessoal

Castanha morreu na mesa de cirurgia após dois meses de internação

 

Pequenos gestos fazem a diferença

Se dedicar à causa animal é também ouvir: "Ah...devia está cuidando de gente". Shayana relata que, de tanto escutar isso, já não se importa.  

"Existem milhares de instituições que cuidam de pessoas, mas quantas cuidam de animais? Há tantas pessoas comprometidas com a causa? Os animais merecem o mesmo cuidado e atenção e não tem metade das pessoas preocupadas com isso. Então eu faço o meu. Geralmente digo que cada um cuida daquilo que lhe toca o coração", desabafa  Shayana que diz que pequenos gestos fazem a diferença.

"Ser protetor ou protetora de animais, acho que todo mundo pode. Não tem isso de não ter dinheiro...é preciso ter boa vontade, amor e solidariedade . Até mesmo o ato de você sair de casa levando ração já é um ato de amor, de carinho, de proteger e cuidar, pois você pode ajudar algum animalzinho que está há muitos dias sem comer. Cada pessoa tem que fazer sua parte, seja tirar foto, buscar carona, tentar ajudar nos custos, ligar para o socorro e acompanhar. Todo mundo pode ser um pouquinho de protetor. Para quem gosta, não há limitações", disse Shayana Camelo.

Sobre ser protetora, Luna Karoline diz que basta ter atitude. 

"Não posso nem definir o que é ser protetor (a), pois para mim não é como uma profissão que você pode escolher. É algo que nasce no momento em que nos deparamos com um animal, independente de que espécie seja, mas que está precisando de socorro, de um pouco de comida ou ração, de um pouco de água, de um remédio pra dor. Qualquer um de nós pode ser protetor, basta ter atitude de fazer o bem pra salvar aquela vida que Deus colocou diante de você", ensina Luna Karoline.

Animais do Zoobotânico ganham "presentes e ceia" de Natal

  • preguim.jpg Parque Estadual Zoobotânico
  • tup.jpg Parque Estadual Zoobotânico
  • pegui.jpg Parque Estadual Zoobotânico
  • equipezo.jpg Parque Estadual Zoobotânico
  • arazo.jpg Parque Estadual Zoobotânico
  • araranat1.jpg Parque Estadual Zoobotânico
  • tupanatal.jpg Parque Estadual Zoobotânico

Natal é tempo de ganhar presentes. Não é mesmo? E quem também fez a festa foram os animais do Parque Estadual Zoobotânico, em Teresina. Para entrar no clima natalino, eles ganharam a refeição diária em pacotes decorados. O resultado foi curioso. (veja vídeo abaixo)

O diretor do Zoobotânico, José Renato Uchôa, conta que cada animal teve uma reação diferente. As araras, por exemplo, demoraram mais de 1 hora para abrir as embalagens. Já o Tupan, uma jovem onça pintada, demorou apenas alguns segundos. 

"A intenção é dificultar a alimentação dos animais e, lógico, entrar no clima de Natal. A reação de cada bicho é interessante...eles têm um grau de observação muito grande. Uns cercam as embalagens, outros ficam desconfiados e vão ganhando confiança; outros já avançam e destroem o pacote em segundos", disse José Renato. 

A ursa Marsha, por exemplo, teve leite condensado em sua "ceia" de Natal. Já o babuíno ganhou sua bebida preferida em uma garrafa similar a de champanhe. 

Atualmente, o Parque tem 400 animais de variadas espécies. Neste fim de ano, mesmo com o recesso do período, o zoológico funciona normalmente das 8h às 17h. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Polícia prende pintor e fecha rinha de galos; aves custavam até R$6 mil

  • galo_(5).jpg Divulgação
  • galo_(4).jpg Divulgação
  • galo_(3).jpg Divulgação
  • galo_(2).jpg Divulgação
  • galo_(1).jpg Divulgação

A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente apreendeu, na manhã desta quinta-feira (21), 49 galináceos destinados a rinhas e reprodução. Entre os galos apreendidos, existem animais que custam até R$6 mil. 

A apreensão foi feita em uma residência localizada no bairro Vila Bandeirante II, zona Leste de Teresina. A delegada Bruna Verena, titular de especializada, disse ao Cidadeverde.com que o dono da propriedade, que não teve a identificação revelada, afirma que trabalha como pintor. Ele foi preso em flagrante pelo crime de maus- tratos. 

 No local foram apreendidos também viveiros, gaiolas, produtos veterinários para tratar infecções e outras lesões nos animais, que saem machucados e até mortos da rinha. A apreensão foi realizada com o apoio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco).

“Nestas rinham os galos são colocados pelos apostadores para brigar em uma arena. Dentre os galos apreendidos, tem uns que custam de R$5mil a R$6 mil. É uma prática que movimenta o comércio de maus tratos”, disse a delegada Bruna. A titular da delegacia do Meio Ambiente também ressalta que esta apreensão de galináceos foi a maior feita pela Polícia Civil em 2017.

Um veterinário da Secretaria de Meio Ambiente do Estado foi chamado ao local para avaliar a gravidade os maus tratos e providenciar o manejo correto dos animais.

O proprietário da residência também foi preso por furto de energia elétrica, constatado após análise do local pelos técnicos da Eletrobrás. 

O pintor deve ser indiciado pelo crime de maus-tratos. A pena é de prisão por até dois anos. 

 

Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Presépio de Natal com cãezinhos viraliza na web

Crédito: Wags To Riches Pet Services/Reprodução

Provavelmente, você recebeu essa imagem hoje. Trata-se de uma brincadeira de groomers da Inglaterra, que são os profissionais conhecidos como cabeleireiros de cães. Usando toalhas de banho e, claro, cachorros fofos, eles recriaram um presépio, cena que representa o nascimento de Jesus e a visita do anjo Gabriel, dos pastores e dos reis magos.

Postada no Facebook do banho e tosa, a imagem saiu da cidadezinha de 8,4 mil habitantes e ganhou o mundo. O interessante é que os groomers postaram a foto em 7 de dezembro, mas só depois que ela foi republicada por outro site é que viralizou. 

Nas redes sociais, os comentários são os melhores possíveis: 

“Todos os cães parecem muito sérios, exceto o golden retriever, que está vivendo o melhor momento de sua vida”, comentou um usuário.“Tudo que fiz hoje foi chorar, mas ver essa foto de um presépio canino me fez me sentir muito melhor”, disse outro. 

No Facebook, os autores da foto comemoraram: “Parece que viralizamos”.


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com
Com informações Blog Mais Bichos

Onça dá a luz e Zoobotânico faz campanha para "batizar" filhotes

Fotos: Parque Estadual Zoobotânico

O Parque Estadual Zoobotânico tem novos habitantes. Há pouco mais de um mês a onça suçuarana Tica deu à luz a três filhotinhos. Os bichinhos ainda não foram 'batizados' e agora o zoológico faz campanha para dar nomes aos animais. 

A mãe dos filhotes tem três anos e chegou ao Piauí ainda filhote. O diretor do Zoobotânico, José Renato Uchôa, explica que ainda não é possível saber o sexo dos felinos que serão levados para outros zoológicos ou criatórios do país. 

"Com o nascimento dos filhotes, o Zoobotânico passou a ter sete suçuaranas. É um número excedente por isso depois eles serão levados para outros lugares", explica Renato Uchôa. 

O zoo vai disponibilizar um contato via Whatsapp para que sejam enviadas sugestões de nomes dos filhotes. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Cãozinho atropelado é resgatado e precisa de doação de sangue

A Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa) faz campanha para custear o tratamento de um cãozinho atropelado em Teresina. O animal, batizado de Natalino,  foi resgatado há dois dias e  levado para uma clínica particular. O filhote será submetido a cirugia e necessita de transfusão de sangue. 

"O filhote tem no máximo cinco meses e foi encontrado agonizando após ser atropelado por uma Hilux. Ele sofreu fratura na pata, será submetido a cirurgia e vai precisar de transfusão de sangue. O caso dele é grave", disse Jane Haddad, uma das administradoras da Apipa.

Para doar sangue, o cão tem que estar saudável, pesar mais de 20kg e que não pode ter doado sangue nos últimos três meses.

"Além de estar sofrendo por causa da fratura, o Natalino tinha o corpo inteiro infestado por parasitas. Vamos fazer essa ação solidária em prol do bem-estar deste inocente. Quem tem um cão doador, entre em contato. Pedimos a ajuda também para custear as despesas do tratamento do bichinho, junto à clínica, pois estamos impossibilitados de arcar com o pagamento, visto que a Apipa não dispõe de recursos financeiros", disse Jane Haddad. 

Quem puder ajudar deve entrar em contato com a Apipa através dos contatos (86) 9 9924-1818 - Jane/ (86) 99951-0201- Isabel. 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

PI: Cão ataca bandidos para defender donos e é morto

Um cão foi morto a tiros ao atacar bandidos para defender os donos. O caso ocorreu na noite desta segunda-feira (11), na cidade de União, a 59 km de Teresina. De acordo com informações da Polícia Civil da cidade, as vítimas são irmãos e estavam na porta de casa quando foram surpreendidos por dois criminosos a pé. 

"As vítimas estavam na porta de casa com o celular. Os dois bandidos anunciaram o assalto e levaram dois aparelhos. No momento em que estavam indo embora, o cachorro da família correu atrás dos ladrões que revidaram com dois tiros", informou um agente da Polícia Civil. 

O animal foi alvejado com um tiro. O outro disparo foi direcionado para os irmãos que conseguiram escapar. 

O caso foi registrado no 20º Distrito Policial. Os suspeitos- que já foram identificados- devem responder por roubo e maus-tratos. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Cão se assusta com fogos de artifício e se joga do 11º andar

Assustado com o barulho de fogos de artifício, um cão se jogou do 11º andar de um prédio na cidade colombiana de Armenia e caiu sobre uma mulher, que ficou ferida, informou nesta segunda-feira (11) a imprensa local. O animal morreu.

O animal, de nome Sultão, estava sozinho num apartamento e entrou em desespero com o barulho dos fogos tradicionais na época de Natal na região, segundo relataram os seus donos.

O animal, de cerca de 40 quilos que morreu por causa do impacto, caiu sobre uma mulher que estava na área comum do conjunto residencial. Ela foi levada para um hospital e, segundo o canal "Caracol", se recupera dos ferimentos.

John Rodríguez, proprietário do cão, explicou à "Caracol" que a mulher sofreu "uma lesão na omoplata". Luisa Fernanda Salazar, também dona do cachorro, relatou que seu animal deve ter sentido um susto muito "grande", uma vez que derrubou pratos e causou danos na cozinha.

 

Fonte: G1

Posts anteriores