Cidadeverde.com

Em megaoperação contra crimes ambientais, PRF prende 44 pessoas e apreende 88 animais


Fotos: Reprodução/PRF.

Policiais Rodoviários Federais do Piauí e do Maranhão realizam desde o último dia 30, a OTECCA – Operação Temática de Combate a Crimes Ambientais. Ao todo, foram 44 pessoas presas, 88 animais apreendidos, 11 armas de fogo localizadas, 377 metros cúbidos de madeira apreendida e cinco pontos de exploração de minérios flagrados. A ação conta com a estrutura de 60 PRF´s, 20 viaturas e armamento de alto poder de fogo. 

Segundo a PRF, a megaoperação visa reprimir práticas criminosas contra o meio ambiente, além de prevenir, educar e sensibilizar pessoas no que concerne à necessidade de proteção à flora, fauna e reservas minerais da região. Como parceiros convidados, participam Polícia Militar, IBAMA e Polícia Federal.

A PRF estabeleceu como Missão “garantir segurança com cidadania nas rodovias federais e nas áreas de interesse da União”, e entre seus valores, a PRF adotou a “responsabilidade socioambiental”. É buscando atender a essas diretrizes que a PRF segue com diversas ações por todo o país no sentido de atuar na frente de proteção ao meio ambiente. 

De acordo com a PRF, a Constituição da República Federativa do Brasil, em seu artigo 225, define que “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”. 

A corporação destaca que os tribunais superiores têm afirmado o artigo 225 da CRFB como um direito fundamental de terceira geração, sendo não apenas direito, mas também dever de todos a preservação e proteção do meio ambiente, como meio de se garantir o benefício às gerações presentes e futuras.

As ações se estenderam de Norte a Sul do Piauí e até as cidades de Santa Inês e Imperatriz no Maranhão.

APREENSÃO DE MADEIRA

O deslocamento das equipes se iniciou no sábado, fiscalizando os arredores de Teresina, até Piripiri/PI, já sendo realizada a apreensão de 3 cargas irregulares de madeira, com volume total de 57,4 metros cúbicos. Foram presas 3 pessoas, retidos 3 caminhões e realizadas 45 autuações diversas. Já em Peritoró/MA, uma carreta foi apreendida transportando 44,64 metros cúbicos de madeira ilegalmente.

No domingo (01/05), na região de Açailândia/MA e Santa Inês/MA, a PRF apreendeu 4 caminhões transportando madeira ilegalmente, num total de 121,03 metros cúbicos de carga apreendida.

No município de Morro Cabeça no Tempo/PI, na segunda-feira (02/05), localizado no extremo sul piauiense, um homem foi preso com uma motosserra sem licença ou registro. O poder de devastação do equipamento é muito grande, motivo pelo qual a legislação traz uma série de exigências para o seu porte ou comercialização. O objetivo é proteger o meio ambiente contra excessos na exploração ilegal.

Na terça-feira (03/05), em Imperatriz/MA, mais 5 cargas ilegais de madeira foram apreendidas, em um total de 134,87 metros cúbicos e 5 prisões.

O crescente desmatamento é uma preocupação da PRF, que vê no transporte uma forma de combate a este crime, uma vez que impede que o material obtido ilicitamente chegue ao seu destino final, prendendo os responsáveis, reprimindo a prática e desestimulando a conduta.

PESCA ILEGAL

Na tarde do sábado (30/04), em Peritoró/MA, um homem foi preso transportando 243 Kg de peixe, pescados em período e local no qual havia proibição para atividade em razão da proteção ao período reprodutivo das espécies. O material foi apreendido e o homem detido por suposto cometimento do crime previsto nos artigos 34 e 35 da Lei 9.605/1998.

A proibição da pesca em determinados períodos visa proteger o período reprodutivo dos animais, garantindo que a manutenção da espécie e da capacidade de produção do ambiente para aqueles que os exploram dentro dos limites da Lei. 

APREENSÃO DE AVES

No domingo, as ações seguiram pelo Norte do Piauí, em Piripiri e Pedro II, bem como pelo Sul do Estado, em Floriano. Em Pedro II, foram apreendidas 72 aves silvestres, mantidas em cativeiro e com sinais de maus tratos, bem como diversas gaiolas e equipamentos de captura de pássaros. Elas foram encontradas em 3 casas, sendo que na primeira delas havia 27 aves e 2 espingardas.

Na segunda, foram encontradas 17 aves e na terceira 5, tendo sido presos os 3 responsáveis pelos animais. Um deles confessou que fazia comércio de aves silvestres em sua própria casa. Além disso, ao ver a fiscalização, populares decidiram colaborar e passaram a se dirigir às equipes de fiscalização, entregando espontaneamente 13 aves. No mesmo local, um indivíduo foi preso por conduzir uma motocicleta sob efeito de álcool.

Com a presença de uma equipe técnica do IBAMA, foi feita a avaliação da situação das aves, que aparentavam ter sido capturadas recentemente, motivo pelo qual elas foram libertadas na mata no mesmo dia, bem como os responsáveis foram autuados com multa no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais) por cada animal. Logo após, houve a destruição das gaiolas e equipamentos de captura apreendidos.

APREENSÃO DE TATUS

Durante toda a Operação, várias pessoas foram presas após terem sido flagradas transportando tatus abatidos. Infelizmente, nos Estado do PI e MA, ainda muitas pessoas consomem a carne do animal, cuja preservação recebeu apoio através de uma grande campanha pela proteção da espécie, realizada durante a Copa do Mundo de 2014 no Brasil. No entanto, atualmente a espécie tatu bola está presente na Lista Oficial da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, recebendo a classificação de “animal em perigo”, que representa um nível há apenas dois da extinção.

Na terça-feira (03/05), em Caxias/MA, a PRF flagrou dois homens vendendo tatus abatidos às margens da BR 316. Interrogados, eles disseram que tinham recebido os animais de um indivíduo que tinha um depósito ali próximo. Dirigindo-se ao local em diligências, os policiais rodoviários federais conseguiram fazer novas apreensões e prisões, com um total de 11 tatus vivos, 1 abatido, 4 espingardas, 3 pessoas presas e 1 adolescente apreendido, todos por participarem de um suposto esquema de venda de tatus abatidos. Na ocasião, o único animal encontrado vivo estava dentro de um saco, com as patas e cabeça amarradas. 

EXTRAÇÃO ILEGAL DE RECURSOS MINERAIS

Na segunda-feira, em Piracuruca/PI, a PRF abordou dois caminhões transportando piçarra sem nenhum documento que comprovasse a origem lícita do produto. Seguindo diligências na região, os policiais rodoviários federais chegaram a um ponto de extração ilegal, localizado em trecho rural do município.

Lá, encontraram uma máquina escavadeira realizando a exploração do material e vários caminhões aguardando o carregamento. Localizados os responsáveis, estes não apresentaram nenhuma autorização do DNMP (Departamento Nacional de Produção Mineral), nem sequer licença ambiental. Dois indivíduos foram detidos e conduzidos por crime contra a ordem econômica, previsto na Lei 8.176/1991, sem prejuízo da responsabilidade ambiental na forma da Lei 9.605/1998.

No dia anterior, em Santa Inês/MA, a PRF já havia apreendido 15 toneladas de calcário sendo transportado irregularmente, transportado sem licença de operação.

Na terça-feira (03/05), em Parnaíba/PI, após flagrar 4 caminhões com carregamento irregular de pedras, a PRF identificou mais pontos de extração de minerais na região norte do Estado, sendo mais 4 indivíduos presos e conduzidos à Delegacia – 4 pedreiras foram embargadas. No mesmo dia em Imperatriz/MA, 2 cargas de areia provenientes de extração ilegal foram apreendidas.

A PRF adverte sobre a gravidade das ocorrências, uma vez que a exploração/extração de recursos minerais sem a devida autorização ou licenças representa um sério risco ao meio ambiente, uma vez que não fora realizada avaliação técnica prévia. Isso representa riscos ao equilíbrio do ecossistema local, erosões, poluição por produtos químicos e desertificação.

ARMAS DE FOGO

Além das 2 espingardas encontradas em Pedro II, ainda no domingo em Imperatriz/MA, um indivíduo foi preso transportando 2 espingardas e 6 munições. Outro homem foi flagrado transportando em um Fiat Strada 3 espingardas e um tatu abatido.

No caso do suposto esquema de tatus abatidos em Caxias/MA, mais 4 espingardas foram apreendidas, com 4 pessoas presas.

RESULTADOS

A PRF destacou que o principal resultado diz respeito à proteção direta ao meio ambiente. Além disso, revelaram que foi notória a preocupação e participação de boa parte da sociedade por onde as equipes passavam. As pessoas chegaram a entregar espontaneamente animais e equipamentos de captura, também fizeram denúncias, potencializando o poder de repressão da ação.

Até a terça-feira, já foram contabilizadas 44 pessoas presas, apreensão de 11 armas de fogo, 88 animais silvestres e 377,94 metros cúbicos de madeira. Além disso, equipamentos de caça e captura de animais e motosserra foram apreendidos, bem como fiscalizados pontos de extração de recursos naturais e minerais.

No norte do Estado do Piauí, foram identificados 5 pontos de extração ilegal de minérios, sendo 1 em Piracuruca e 4 em Parnaíba, com 6 pessoas presas.

Destaca-se ainda a apreensão de 20 caminhões com cargas ilegais de madeira ou minérios, bem como até leite sendo transportado sem o mínimo de cuidado fora flagrado durante a operação.

A PRF segue a Operação até a quinta-feira (05/05) nos Estados do Piauí e Maranhão, reprimindo a prática de crimes ambientais, protegendo a fauna, flora e recursos minerais da região, levando segurança com cidadania a toda a sociedade.

 

Da redação com informações da PRF
bicharada@cidadeverde.com

Aeroporto internacional inaugura banheiro exclusivo para animais

                          Foto: Reprodução/Fox News

O Aeroporto Internacional John F. Kennedy, dos EUA, acaba de inaugurar um banheiro exclusivo para animais. O local conta com grama artificial para estimular os animais a fazerem suas necessidades e sacos coletores especiais para os tutores limparem. A regra é deixar tudo limpo e organizado para o próximo animal.

O banheiro, de 70m², permite que cães, gatos e outros animais se aliviem sem que os tutores precisem levá-los para fora do aeroporto, evitando o transtorno de passar novamente pela segurança.

“O número de animais domésticos acompanhando seus tutores em viagens cresceu muito, por isso tomamos essa iniciativa,” disse Susana Cunha, vice-presidente da empresa que controla o terminal, à Fox News.

A partir de agosto de 2016, uma regulamentação federal obrigará todos os aeroportos que atendem mais de 10 mil passageiros a instalar uma área sanitária para animais.

Com voos longos e escalas curtas, muitas vezes os passageiros não têm tempo de sair do aeroporto, e os animais não podem esperar. Foi o caso de Taylor Robbins, que já havia perdido um voo enquanto levava o Terrier John John para fazer suas necessidades.

“O banheiro é muito limpo, cumpre sua função e John John entendeu na hora que podia usá-lo,” disse Robbins. “Fico feliz que ele não tenha mais que se segurar.”

 

bicharada@cidadeverde.com
Com informações Anda

Exposição em Teresina elege os cães mais bonitos de cada raça

  • 13161921_1105871539479053_6861380762779183723_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13147674_1105873112812229_2348182744364595545_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13147417_1105871009479106_2008301059845847175_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13147339_1105873126145561_8540617219412191407_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13139335_1105870329479174_7010267664896751415_n.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13133122_1105869992812541_9159552742964838695_n.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13131737_1105871226145751_3480447393301900206_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13131654_1105870246145849_964452050444329515_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13131583_1105870176145856_6257162416150819627_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13131563_1105870032812537_3725402483703550696_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13131114_1105869906145883_290623279120899690_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13131076_1105872932812247_9151305983089147180_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13124710_1105873312812209_6490032312217902190_n.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13122969_1105870096145864_6838950921818394448_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13119847_1105870222812518_7440266163540172002_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13119811_1105872872812253_8758866854089828965_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13119789_1105875692811971_7364264038137263517_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13123224_1105870139479193_4695795409271998853_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13116367_1105874249478782_9160519101557449602_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13116305_1105872512812289_7437901704581934229_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13116099_1105877746145099_4019970527883148629_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13116023_1105878662811674_5982965464478095770_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13115985_1105871969479010_9099829785684219496_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13112835_1105870432812497_757026030935063456_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13087165_1105870712812469_6903998729316167243_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13112913_1105875782811962_6505334306907230611_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13086935_1105875586145315_2292643597765985774_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13086873_1105869832812557_6963307081267493290_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13082553_1105871239479083_5674365764464059775_n.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13082543_1105870669479140_6369394240747210651_n.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13082506_1105869862812554_5732960618622208069_n.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13076996_1105871169479090_2614663598302630574_n.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13086814_1105872939478913_6332455042478361280_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13072814_1105874349478772_2118533054388531590_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer
  • 13112823_1105871626145711_3259909694540971080_o.jpg Nilton Novaes/ NN Photographer

Por Graciane Sousa

Os cães foram o centro das atenções neste fim de semana em Teresina. Sabe o por quê? O Bicharada conta tudo pra vocês. No último sábado (30) ocorreu a primeira exposição do ano do Kennel Clube do Estado do Piauí. O evento reuniu quase cem cães de vários estados do país, principalmente da região Nordeste, que disputaram o título de melhor cão, o que implica em dizer também: os cachorros ou cadelas mais bonitos. Só para adiantar um pouco...vamos logo revelando que teve cão piauiense na final.

A exposição teve início pela manhã e só terminou no fim da tarde. Foram sete horas para então serem eleitos os cinco melhores cães. Antes de entrar na pista (local onde os bichinhos eram avaliados por quatro juízes, inclusive um da Guatemala), os animais ficavam nos bastidores, chamado de acampamento, o que na verdade mais parece um salão de beleza, pois o que não faltavam eram chapinhas e secadores de cabelo. Tudo para deixar os cachorros e cadelas mais lindos.

Luís Eduardo, um dos organizadores da exposição, explica que os vencedores são os cães mais próximos do ideal de sua raça.

“É avaliado a estrutura do cão. Toda raça tem um padrão definido desde a movimentação à cor dos olhos, tamanho da orelha, tamanho de pata, pelo textura do pelo. Os juízes analisam o tão próximo ele está do 'ideal'. Há uma discriminação de como o cão deve ser. Por exemplo, um da raça golden tem uma característica; Já um pastor tem outra e assim em cada raça”, disse Eduardo.

Primeiramente, os cães são avaliados de acordo com a raça. Na segunda etapa, encaram a fase de grupo de raças, para depois irem para grande final, quando cada um dos quatro juízes, escolhe os cinco melhores concorrentes, na opinião individual de cada um, independente da raça.

Na primeira exposição do ano do Kennel do Piauí foram inscritos 96 cães de 29 raças diferentes, sendo as mais comuns Fila Brasileiro, Bulldog Francês, e Rottweiler. Para concorrer, o animal precisa ter pedigree e o tutor paga uma taxa de inscrição.
 
Um dos competidores é o Mouriki, um Yorkshire que mora em Sobral-CE. O dono dele e também seu handler ( profissional que cinófilo que cuida e prepara cães para exposições) é o veterinário Diego Medeiros que viajou mais de 400 km de carro até Teresina só para cão participar da competição, cerca de 5 horas na estrada. Um esforço que vale a pena, segundo ele. Todo o cansaço é recompensado pelos trunfos conquistados pelo bichinho de apenas um ano e oito meses.

O antes e o depois de Mouriki

“É uma competição para ver quem é o melhor, mas na verdade é um hobby. A ideia do criador é selecionar animais que cheguem o mais próximo do padrão descrito na raça. É muito trabalho, mas a gente fica feliz em estar aqui. É uma recompensa quando a gente ganha alguma coisa”, disse o veterinário que revelou orgulhoso as conquistas de Mouriki que, em Teresina, disputou a competição, pela primeira vez como adulto, e ganhou como o melhor cão da raça, título que se somam a outros dois: o de melhor filhote de Yorkshire, conquistado na Espanha; e o Melhor Jovem da Raça Yorkshire, no Brasil.

Para ficar prontinho para a disputa, o Mouriki passou cerca e 3 horas se embelezando, entre o banho, pentear dos pelos, prancha e por fim o  penteado, uma espécie de topete (lembram quando a gente falou que o acampamento mais parece um salão de beleza). 

Os cuidados com os animais não estão relacionados só a estética. Era comum ver nos bastidores, handles com garrafas térmicas com gelo e água fazendo uma espécie de compressa fria no animal, para amenizar o calor. Outro objeto bastante comum eram ventiladores.

Outro competidor é o Bolt das Dunas Brancas que também veio do Ceará, da cidade de Camocim. O pastor branco suíço, de um ano e meio e quase 40 kg, chama a atenção pela beleza e tamanho, características que fizeram com que ele levasse o título de melhor cão da raça.

 Bolt das Dunas Brancas sendo avaliado pelos juízes

Na etapa final da Exposição, são eleitos os cinco ‘Best in Show’ nas categorias filhotes, jovens e adultos, ou seja, os cinco melhores para cada juiz. Os nossos dois personagens- o Mouriki e o Bolt- não foram selecionados como ‘bests’. O cão que foi unanimidade entre os competidores é da raça Basset Hound e veio de um canil do Ceará. O animal foi escolhido por três dos quatro jurados. Os vencedores ganharam troféus.

Cãozinho foi escolhido 1º lugar por três dos quatro juízes

Os cães de proprietários piauienses mais bem classificados foram das raças dachshund, que foi selecionado para a fase de grupos; e uma pincher miniatura que ficou em 5º lugas como Best in Show Filhote.

As lindas fotos expostas na galeria do blog são do fotógrado Nilton Novaes que fotografou a exposição do Kennel Clube do Estado do Piauí.

 
Loco Loco De La Parure

O bulldog francês Loco Loco tem três anos e meio de idade e é nada mais nada menos que o campeão do mundo. Um dos responsáveis pelo cão é o urologista Luís Martins, que é de Teresina, e ressalta que o Piauí é referência em enviar cães de exposição para a Europa. O médico é sócio do canil Bull Ranch, localizado na Estrada da Usina Santana, que conta atualmente, com 25 cães. O espaço dispõe de baias climatizadas e atendimento veterinário.

“A gente exporta sêmen para o mundo inteiro. O Loco Loco veio da belga,  mas é de propriedade de Teresina. Ele é campeão em 13 países e campeão do ranking 2014 do Brasil e campeão do mundo em 2015”, conta orgulhoso Martins.

Loco Loco, atualmente mora em São Paulo, e permanece como campeão do mundo até julho de 2016, quando será eleito um novo cão, em evento que acontecerá na Rússia.

 

bicharada@cidadeverde.com

Quênia queima toneladas de marfim em combate à caça de elefantes

O presidente do Quênia incendiou, neste sábado (30), 105 toneladas de marfim no parque nacional de Nairóbi, a maior quantidade de "ouro branco" incinerado de uma única vez. O ato foi simbólico para o fim da caça ilegal de elefantes.

Diante das câmeras do mundo inteiro, Uhuru Kenyatta e seu colega do Gabão, Bongo Ondimba, usaram tochas para acender o fogo de uma pirâmide formada por presas de elefante. Os dois países concentram metade dos elefantes da selva na África.

No total, dez pirâmides de marfim e uma pilha de chifres de rinocerontes pegaram fogo, o que representa cerca de 5% do marfim mundial. As 16 mil presas incineradas neste sábado representam quase toda a reserva de marfim queniano, constituída em 1989, quando foi proibido o comércio internacional do "ouro branco".

"Ninguém, repito, ninguém pode comercializar o marfim, porque este comércio é sinônimo de morte para nossos elefantes e de morte para nosso patrimônio natural", declarou Kenyatta.

Dirigindo-se aos caçadores furtivos, o presidente Bongo, por sua vez, advertiu: "Vamos por fim ao negócio de vocês e é melhor que se aposentem". Presente na cerimônia, a ministra francesa do Meio Ambiente, Ségolène Royal, anunciou que a França proibirá em breve o comércio de marfim.

Atualmente vivem 450 mil e 500 mil elefantes na África. A cada ano, 30 mil são abatidos por caçadores ilegais em busca de suas presas, segundo estimativas. Nesse ritmo, existe o risco de que no curto prazo estes mamíferos desapareçam do continente.

 

Fonte: G1.

Cadela abriga filhotes em tronco de árvore da Praça Saraiva e mobiliza protetores

Por Maria Romero

Uma cadela e seus cinco filhotinhos estão mobilizando a todos que frequentam a Praça Saraiva, no Centro de Teresina. Ela deu à luz cinco filhotes e está abrigada com os pequenos dentro do tronco de uma árvore no local. Teresinha Santos, que todos os dias passa pelo local, se comoveu com a história e busca um lar temporário para a mamãe e seus filhotes e, depois, adoção para os seis cães. Ela e um grupo de protetores estão mobilizados para ajudá-los.

"Eu fico com o coração partido, ela por enquanto está nessa árvore, mas tenho medo de algo acontecer com ela, com os filhotes, tem gente muito ruim nesse mundo. Precisamos primeiro de um lar temporário para ela e os cinco filhotes, porque eles são muito novos, sequer abriram os olhinhos, devem ter nascido há menos de 15 dias", conta ela. 

Teresinha explica que dois filhotes já têm adoção garantida e que os outros três logo devem encontrar um tutor, mas a mamãe talvez não tenha a mesma sorte.

"As pessoas têm muito preconceito com cão adulto, ninguém quer, só querem filhotes. Eu me disponibilizo a pagara a castração dela, se alguém adotar. Vou lá buscar, garanto também a ração para o lar temporário, só precisamos de um lugar para eles ficarem por enquanto", relata. 

Ela lamenta a situação, principalmente do abandono e da negligência quanto à castração dos animais.

"Não sei se o problema maior é da sociedade ou do poder público. As pessoas não castram seus animais e acontece todo esse abandono". 

Aos que puderem oferecer lar temporário ou quiserem adotar os filhores e a cadela, podem entrar em contato com Teresina pelo telefone (86) 9 9970-8650.

 

bicharada@cidadeverde.com

Festival no Nepal agradece aos cachorros por serem nossos amigos

  • nepal1-c.jpg Divulgação/Hypeness
  • nepal1.jpg Divulgação/Hypeness
  • nepal4.jpg Divulgação/Hypeness
  • nepal6.jpg Divulgação/Hypeness
  • nepal5.jpg Divulgação/Hypeness
  • nepal2.jpg Divulgação/Hypeness
  • nepal3.jpg Divulgação/Hypeness
  • nepal8.jpg Divulgação/Hypeness
  • nepal9.png Divulgação/Hypeness
  • nepal10.png Divulgação/Hypeness
  • nepal11.png Divulgação/Hypeness
  • nepal12.png Divulgação/Hypeness

Quem ama seus bichinhos certamente agradece todos os dias pelo amor e pela lealdade que recebe. Mas imagina uma festa toda dedicada a agradecer por todos os momentos bons que os nossos cães nos proporcionam? No Nepal, um festival dedica um dia inteiro a eles. As fotos são muito fofas. Dá uma olhadinha nas fotos postadas pelo Hypeness e na explicação sobre o ritual:

"Quando o outono chega, os nepaleses comemoram o Tihar, um festival que tem cinco dias de duração e que faz parte das celebrações religiosas hindus. Apesar de haver variações entre as comemorações, dependendo da região do país, o segundo dia do festival sempre é dedicado aos cachorros e sua lealdade.

Chamado de Kukur Tihar ou Khichã Pujã, o dia envolve comemorações voltadas aos melhores amigos do homem e à lealdade que eles nos têm. Os hindus acreditam que os cães são mensageiros de Yamaraj, o deus da morte, e celebram a existência desses animais com muitas flores e alimentos. Os cães são marcados com um pó avermelhado na testa como um sinal de sua santidade."

 

Com informações do Hypeness
bicharada@cidadeverde.com

Cão faz vigília há um mês por dono morto no Méier, Zona Norte do Rio

O blog Bicharada traz hoje mais uma notícia emocionante, publicada pelo G1 Rio de Janeiro. Há um mês, um cão faz uma triste vigília no bairro do Méier, Zona Norte da capital carioca, à espera de seu dono. O proprietário do cachorro Romerito morreu no início deste mês por conta de uma insuficiência renal, mas o animal segue no corredor da casa onde vivia com ele.

Na última terça-feira (27), quando a equipe do G1 foi ao local, a vigília continuava. O caso já começa a ficar famoso nas ruas do bairro e, claro, mobiliza os moradores da vila onde vive o cachorro. Informalmente, eles adotaram Romerito e cuidam do simpático cão. Os vizinhos têm dividido os gastos com ração e remédios, ainda que com dificuldade. Só um comprimido contra carrapatos custou mais de R$ 200.

“Agora estamos em busca de uma doação de uma casinha. O Romerito gosta de ficar no corredor e, como não tem cobertura, estamos preocupados com a temporada de chuvas”, diz Nilza Maria, uma das cuidadoras.

Cão alertou sobre mal-estar do dono

Os vizinhos contam que na manhã de um dia no mês de março o cachorro começou a uivar e latir ininterruptamente. No início da noite, já incomodados com a situação e estranhando a ausência do dono do animal, que cumprimentava os demais moradores ao retornar do trabalho, os vizinhos forçaram a porta da casa e entraram.

“O Guilherme estava caído no chão, com o Romerito ao seu lado. Quando me aproximei, ele tentou avançar em mim, como se quisesse proteger o dono. Os bombeiros tiveram que usar focinheira para fazer o socorro”, relembra Beto Jesus, outro vizinho que está cuidando do cão.

O dono do cachorro foi levado para um hospital e dias depois retornou. Para a tristeza de Romerito, horas depois, precisou ser internado novamente e nunca mais voltou. “Enquanto o Guilherme esteve internado, ele não parou de uivar e latir. Inacreditavelmente, só parou no dia que recebemos a notícia da morte”, conta Nilza.

'Ele late pra gente abrir o portão’

Como o dono era solteiro e sem filhos, os vizinhos procuraram sobrinhas dele – suas únicas parentes no Rio – para entregar Romerito, mas elas alegaram que não ter espaço no apartamento em que moram. Deram, então, o cachorro para um morador de um bairro vizinho, mas animal fugiu duas vezes, sempre voltando à vila.

“Agora vive aqui. É mansinho e vai à rua sem coleira porque foi acostumado assim pelo dono, com quem ficou por dez anos. De vez em quando vai ao bar em que o dono trabalhava, que fica aqui perto. Quando retorna e encontra o portão fechado, late para a gente abrir”, diz Nilza.

 

Com informações do G1 Rio de Janeiro
bicharada@cidadeverde.com

Ibama vai responsabilizar Latino por foto de macaco fumando

Mais um capítulo após a foto polêmica compartilhada por Latino, em que o macaco Twelves aparece fumando. O Ibama informou que o cantor Latino vai ser responsabilizado pela divulgação da imagem.

"A autorização de posse de animal silvestre não permite esse tipo de tratamento, portanto o cantor Latino responderá pelo fato. Há uma lista em discussão no Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), com participação de representantes da sociedade civil, que estabelecerá os critérios para a determinação de espécies silvestres a serem criadas e/ou comercializadas como animais de estimação."

Latino se defende da acusação e ainda rebate a decisão do órgão. "Eu quero ver o Ibama ter peito para tirar o macaco de mim. É ruim de me tirar. Eles querem é aparecer com isso. Não tem nada disso. Eu estava fumando o narguilé, ele parou para sentir o cheiro e a menina tirou a foto. Quando ela fez a foto eu pedi para postar, porque era um momento engraçado, uma foto ostentação. Só que as pessoas gostam de se aproveitar das situações. Tanta coisa para o Ibama procurar saber, tanta coisa errada no planeta, tanta injustiça", afirmou, indignado, Latino.

Em sua defesa, o cantor garante que na foto não há nada que indique que o Twelves tenha realmente fumado. "Aquilo dali não passa de uma fotomontagem, eu montei. Na hora que ele colocou a boquinha no negócio a menina tirou a foto. Como todo bicho, ele tem curiosidade. O Twelves não está fumando, foi só cheirar. Então quer dizer que se ele usar uma roupa de presidiário está induzindo ao crime? Eles estão preocupados com uma fotomontagem de um bichinho, que assim como uma criança, tem curiosidade. É o tipo de coisas que não deveriam dar atenção porque não procede. O macaco não sabe nem fumar. É muito bizarro esse questionamento", completa.


Críticas na web

Por meio de um longo texto em seu perfil nas redes sociais, a apresentadora Luisa Mell (que é forte defensora dos animais) repudiu a atitude do cantor. "Caro Latino, acho que não tem a menor ideia sobre a importância destes animais na natureza. Infelizmente não deve ter a menor a ideia que cada post seu centenas de animais são capturados das florestas, onde exercem um papel fundamental, para a preservação da mesma, para serem vendidos em feiras do rolo para seguidores seus que acham bacana estas barbaridades, devido a ignorância de nosso país, este sim um dos motivos que o nosso Brasil não vai para frente".


Presente de casamento

Twelves chegou à casa do cantor como um presente de casamento do empresário de Latino quando o cantor se casou com a modelo Rayanne Morais, em 2014. Ele só come papinhas de bebê e tem guarda-roupa de grife. Com o fim do casamento dele com a Miss, Twelves ficou vivendo com o pai, no caso, Latino. O macaquinho recebeu o nome Twelves em homenagem à já conhecida obsessão do cantor pelo número 12.

 

bicharada@cidadeverde.com
Com informações EGO

Cão morde bandido em tentativa de assalto e salva dono no interior do Piauí

 

Por Graciane Sousa

O cães não são só os melhores amigos dos homens, como também podem ser seus salvadores. Um caso assim ocorreu no município de José de Freitas, na madrugada desta quarta-feira (27). O jovem Josiel Costa, 22 anos, foi salvo pelo cão Spike e a cadela Xena, dois cães mestiços. Ele conta que foi abordado por um bandido perto de casa, no bairro São Sebastião, e além de não ter tido nenhum pertence roubado, saiu praticamente ileso, porque quando gritou, os animais o socorreram. 

"Era por volta de 1h30 e eu voltava para casa de bicicleta do ensaio da quadrilha. Um homem parou na minha frente e pediu o celular e eu falei que não tinha. Então, joguei a bicicleta em cima dele e ele reagiu e me atacou com uma faca de mesa, mas só pegou de raspão. Com isso, eu corri gritando e meus cães apareceram, correram atrás e o Spike mordeu o bandido", disse Josiel. 

O rapaz conta que Spike e Xena costumam ficar presos dentro de casa, mas por sorte, ontem os dois estavam soltos. Ele acredita que se não fosse a ação rápida de seus melhores amigos, a história teria tido um desfecho diferente. 

"Na hora que fui abordado, não consegui reagir. Se o Spike e a Xena não tivessem aparecido, eu teria corrido, mas podia ter sido esfaqueado. Eles me salvaram", conta o dono dos cães. 

Spike tem apenas oito meses e Xena um ano e seis meses. Ambos foram doados por um amigo de Josiel. 

Elefante morre após carregar turistas em meio a calor de 40 graus

Foto: Facebook/Reprodução - Yem Senok

Ontem (26), o Bicharada contou a história do golden retriever Dayko que morreu de exaustão após sofrer com altas temperaturas durante trabalho de resgate no Equador, devido ao terremoto. Infelizmente, o post é mais uma vez triste. Desta vez, vamos contar a trágica morte da elefante fêmea chamada Sambo, que morreu no Camboja depois de trabalhar 40 minutos sob uma temperatura de 40ºC. Sua função era transportar turistas para o tradicional templo de Angkor Wat, na cidade de Siem Reap.

Segundo o veterinário que a examinou, Sambo sofreu um ataque cardíaco depois de enfrentar "altas temperaturas, alto nível de exaustão e falta de vento e ar fresco que teriam auxiliado sua respiração". A elefante tinha cerca de 45 anos e trabalhava no Angkor Wat desde 2001. 

Depois de sua morte, uma petição começou a recolher assinaturas para colocar fim aos passeios de elefante na região do templo de Angkor Wat e já conseguiu mais de 14 mil adeptos em 48 horas. 

Oan Kiri, gerente da Angkor Elephant Company, empresa dona de Sambo há 15 anos, disse ao jornal local "Phnom Penh Post" que a companhia lamenta a perda – ele não comentou o abaixo-assinado nem as críticas das campanhas de conscientização contra o uso de animais em atividades turísticas. 

Segundo Jack Highwood, um dos líderes da Elephant Valley Project, instituição cambojana que protege elefantes em atividade exploratória, a Angkor Elephant Company ainda é proprietária de 13 elefantes, todos trabalhando em condições similares às de Sambo. 

 

bicharada@cidadeverde.com
Com informações IG

Posts anteriores