Cidadeverde.com
Blog da Clara

Dica da Clara : Uma semana santa bem vivida

Nunca vivi uma semana santa, embora tenha passado por várias. Até pouco tempo atrás eu nem sabia o que realmente significava uma semana santa, e acho que ainda estou longe de saber. Mas tenho agora vontade de viver e aproveitar ao máximo esse período tão especial.
Meu pai queria ir para Oeiras, e eu para Piripiri. Resolvemos que iríamos para Oeiras assistir a procissão e passar uma noite, e no dia seguinte para Piripiri, agradando a mim e à minha vó que está me esperando. 
Eu nunca tinha visto uma cidade que realmente vive a semana santa, e me encantei por Oeiras. Pelo charme, pelas pessoas, pelas igrejas, pela procissão, por tudo! Não me arrependi da decisão de Piripiri, embora tenha ficado com uma certa curiosidade e vontade de ficar por lá.
Vou viver a semana santa em família, o que nunca fiz. Aproveitar minha avó, minhas tias, meus primos, rezar, pensar, refletir e enfim, ter uma feliz páscoa. 
Eu recomendo e desafio com simpatia e carinho : Vivam a semana santa!
Independente de religião ou crença, aproveitem esse período para fazer o bem, para amar, para estar perto de quem se gosta e renascer. Porque em ressurreição acho que todo mundo acredita!

Um beijo para vocês, feliz páscoa. 

 

( A procissão do fogaréu em Oeiras)

Acerca de mim

Quando recebi o convite para começar o blog, fiquei muito feliz e mal pude esperar para começar. Apesar de ser tímida, sou uma grande tagarela e um espaço só para mim, para eu falar à vontade sobre o que quiser, é tudo que eu podia querer. Mas quando chegou finalmente a hora de começar, não soube o que dizer. O que eles querem saber? Pensei atônita. Perguntei à minha amiga Fran Carvalho, e ela me respondeu “não fale só coisas sérias”. Fiquei um tanto lisonjeada por ela me imaginar falando coisas sérias, mas advirto aos meus futuros leitores que falo muita bobagem, minhas bobagens.  E foi então que a Fran me sugeriu “comece falando de você”. Já que vão ler minhas bobagens, testemunhar minha tagarelice, vocês tem direito de saber um pouquinho sobre quem está do outro lado da tela do computador. Nem eu sei muita coisa a meu respeito, mas vou expor e confessar um pouquinho do que sei, e o resto vocês vão desvendando por tudo que eu escrever e contar por aqui.

Vamos começar do começo: Meu nome é Clara, tenho 17 anos muito felizes e confusos, sou virginiana e digna de toda a chatice do meu signo. Sou piauiense com muito orgulho, mas moro no Rio de Janeiro. Então sou assim, metade Rio de janeiro, metade Rio Parnaíba. Tenho uma família maravilhosa de ambos os lados. Tenho duas irmãs do coração e minha pequena Nina, que é de coração, barriga e pé. Adoro carnaval, festa junina, cajuína e café. Sou pequenininha do tamanho de um botão e não vivo sem salto alto e maquiagem. 

Tenho muitas faces, que se ocultam e se mostram, me confundindo, fazendo de mim esse mosaico incompreensível e incompleto. Sou paradoxal e contraditória na minha essência, e tento sustentar tanta confusão com leveza e bom humor. Dou a cara tapa, quase sempre levo mesmo a porrada, e minha atitude é simplesmente virar o rosto para mais uma. Não consigo ser diferente. Se faz bem ou mal? Não sei, faz parte de mim, e aceito a condição de ser assim mesmo, de corpo e alma para tudo. Sou intensa e me entrego com prazer para minhas aventuras emocionais e psicológicas. Sou romântica (no sentido mais amplo da palavra), sensível até demais, e uso flor e laço de fita no cabelo.

Não faço previsões, me arrisco. Nem sempre petisco, é verdade, mas ainda assim acho que vale a pena. O corpo que pague o preço do tamanho da alma!


Me considero divertida, apesar do mau humor matinal. Gosto de tomar banho ouvindo música, cantar bem alto com os amigos, dar gargalhadas de dar dor de barriga e tirar fotos fazendo careta ( misteriosamente, acho que saio melhor). Adoro girassóis, perfumes, pôr do sol, pipoca com sazon, chocolate e outros doces calóricos e dormir até tarde. Sou mais de praia do que montanha, mais de doce do que salgado e levaria para uma ilha deserta o Rodrigo Santoro e meu diário.


Escuto de tudo, mas meus preferidos são: Los Hermanos, Validuaté, Vavá Ribeiro, Novos Baianos, Rooney, Marisa Monte, Patrícia Mellodi e a minha querida e maravilhosa Sandy. Leio muitos blogs(que vou indicar futuramente para vocês), tenho sempre poesia por perto (Mário Quintana, Fernando Pessoa, Affonso Romano de Sant´anna) e claro, minha Clarice Lispector. Meus filmes favoritos são Cantando na chuva, Diário da princesa, Orgulho e preconceito, sociedade dos poetas mortos, e recentemente, vi e adorei Tropa de elite 2, Cisne Negro e o Discurso do rei. Sou louca por comida japonesa, caranguejo, macarrão ao sugo ou all arrabbiata, pizza de alho ou marguerita, cachorro quente, risotos da mamãe, paçoca e todas as receitas que incluem chocolate. Não vivo sem mate (o leão ou aquele da praia de Ipanema, bem gostoso e gelado) e chocolate (chocolate foi a palavra que eu mais escrevi aqui, né?).


Sou metida à cozinheira, estudo teatro e tenho uma companhia com minhas amigas Júlia Borges e Luíza Oak, chamada Triz.  Futura estudante de letras na universidade federal do Rio de Janeiro, famoso “fundão”. E escritora? Não sou nem serei, eu nasci escritora.


Sou introspectiva, tenho um mundo inteiro dentro de mim, adoro astrologia, gastronomia e claro, literatura. Carrego uma certa melancolia, mas sou muito alegre no fim das contas. Minha cor favorita é rosa, o nome da minha filha vai ser Ana terra (por causa do Érico Veríssimo), lancei meu segundo livro “A casa de Isabel” ano passado e tenho orgulho desse projeto como se tem de um filho. Continuar a escrever é a meta. Aliás, a única.


Isso sou eu. Esse ser humoso teimoso em constante estado de mudança, esse coração aberto e entregue, essa constante intensidade e essa mão insistente em escrever. Fui Clara?

 

Ah! Já falei que gosto de chocolate?

 



@claramelo_

Posts anteriores