Cidadeverde.com

Painel "Cidades Inteligentes" aposta nas PPPs para alavancar a economia

  • franze7.jpg Rogério Campelo
  • franze6.jpg Rogério Campelo
  • franze5.jpg Rogério Campelo
  • franze4.jpg Rogério Campelo
  • franze3.jpg Rogério Campelo
  • franze2.jpg Rogério Campelo
  • franze1.jpg Rogério Campelo

O painel “Cidades Inteligentes e Consórcios Multifinalitários” abriu a programação de palestras do auditório Fernando Bezerra no Congresso das Cidades. O debate oportunizou aos prefeitos e gestores presentes na tarde desta terça-feira (14), experiências e informações sobre as iniciativas que podem promover o desenvolvimento econômico dos municípios.

O consultor do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento, Alex Ribeiro, mestre em gestão e liderança pública  trouxe dados importantes sobre a distribuição econômica do Piauí como a concentração das vagas de emprego que atualmente é de 63% na capital e levantou os seguintes questionamentos: “O que precisamos fazer com nossas cidades? O que podemos fazer juntos? Como conseguimos fazer juntos? E como atrair os parceiros corretos?”.

Baseado neles, o especialista pontuou o mais importante elemento para um gestor atual que é promover o desenvolvimento regional e a diversificação de empregos e investimentos hoje concentrados na capital do Estado.Como fazer isso?

"Por meio de consórcios regionais e articulação entre os diversos entes federativos, poderes e órgãos de controle, viabilizar econômica, jurídica e tecnicamente a implantação de grandes projetos de infraestrutura por meio de parcerias público privadas", explicou Alex.

As PPPs deram o tom da discussão. A modalidade de administração visa responder aos questionamentos levantados no início da palestra.Entre as sugestões dadas para os gestores estão a criação de consórcios municipais multifinalitários e temas focais que devem ter maior relevância comoo Turismo Sustentável, Infraestrutura, Gestão Pública e conhecimento sistematizado, Saúde, Educação e Tecnologia da Informação.

"É importante frizar que o negócio deve ser bom para os dois lados, tanto o da gestão, quanto a empresa que assume a concessão e a llógica para isso funcionar deve partir da gestão destes temas”, pontuou.

O secretário de Administração Franzé Silva, propôs uma parceria com a Associação Piauiense de Municípios (APPM)para articular e gerir um melhor desenvolvimento destas parcerias.

O prefeito de São João do Piauí, e atual presidente da APPM começou sua fala em tom bem humorado, mas ressaltando a informação de que a Associação está “no vermelho”.  Gil Carlos falou sobre os bons exemplos do Piauí  e acrescentou que dentro da capacidade do Piauí, a energia é um problema que deve estar entre as maiores preocupações dos prefeitos. 

“O objetivo é mudar o mapa da economia especiamente no Estado do Piauí. Sem emprego e sem renda é difícil alcançar o desenvolvimento econômico do Estado”, pontuou o gestor.

Segundo ele, há uma resistência entre os gestores pelas transformações que a modalidade de PPS tem trazido, mas o gestor reforça que o iauí tem muitas áreas onde o consórcio pode ser aplicado. Entre elas a Saúde, que para Gil Carlos, tem na alta complexidade “gargalo para os gestores municipais”

Rayldo Pereira
raydopereira@cidadeverde.com