Cidadeverde.com

Em 10 anos, micro e pequenas empresas geraram 10,6 empregos no Brasil

  • mario2.jpg Rogerio Campelo
  • mario1.jpg Rogerio Campelo
  • IMG_2060.JPG Rogerio Campelo
  • IMG_2049.JPG Rogerio Campelo
  • IMG_2048.JPG Rogerio Campelo
  • IMG_2036.JPG Rogerio Campelo
  • IMG_2013.JPG Rogerio Campelo

Em palestra no Congresso das Cidades do Piauí, o superintendente do Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Piauí (Sebrae), Mário Lacerda, destacou que as pequenos e microempresas foram responsáveis, nos últimos dez anos, pela geração de 10,6 milhões de empregos no país.

“De 2006 a 2016 foi gerado mais de meio trilhão de reais através dos pequenos negócios, que teve um crescimento constante mesmo com a crise no país. Além disso, os pequenos negócios geraram 10,6 milhões de empregos. Já a média e a grande empresa, nesse mesmo período, foram responsável por 963 mil fechamentos de empregos enquanto que os pequenos negócios fizeram foi gerar mais de 10 milhões”, disse. 

Lacerda também destacou os obstáculos enfrentados pelas pequenas e microempresas e a necessidade de apoio dos órgãos parceiros para estimular o empreendedorismo nas cidades.  

Dentre os obstáculos citados pelo superintendente está o alto custo da formalização das empresas, a baixa competitividade, concorrência predatória, elevada índice de informalidade, empreendedorismo por necessidade e a alta mortalidade dos negócios. Para ele, é preciso reverter essa situação, principalmente, através do apoio às pequenas e microempresas, pois são responsáveis pela contratação de diversos trabalhadores, além de fomentar o desenvolvimento local.

“O Sebrae tem buscado apoiar os pequenos negócios no estado do Piauí e a gestão pública municipal é essencial para que isso aconteça. Exemplo importante disso é a implementação da Lei Geral da Pequena e Micro Empresa, que significa fazer as compras governamentais no município, pois a prefeitura é o maior comprador. Isso estimula a economia local”, disse Lacerda. 

Sala do Empreendedor 

A Sala do Empreendedor também foi destaque no Congresso. Esse serviço incentiva a legalização de negócios informais, aplicando a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, facilita a abertura de novas empresas, regulariza as atividades informais e oferece serviços aos Microempreendedores Individuais (MEI).  Atualmente, esse serviço já está disponível em 118 municípios piauienses, sendo que mais de 70% deles estão com representantes no evento, que segue até amanha (15). 

Os prefeitos que participam do evento buscam orientações e parcerias junto ao Sebrae no Congresso das Cidades.

“Esse espaço é essencial, pois o Piauí é muito grande e essa é a maneira encontrada para estar presente em todos os municípios. Ao mesmo tempo em que se disponibiliza esse espaço é necessário também que se disponha de um agente de desenvolvimento, que o Sebrae vai capacitá-lo para que possa fazer uma análise das necessidades locais e o elo com o Sebrae. Esse também é um espaço em que a Rede de Simplificação par Abertura e Movimentação de Empresa pode se instalar”, disse Lacerda. 

Sorteio e Assinatura de Convênio 

Ao final da palestra, o Sebrae-PI assinou um convênio com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi) para o Programa de Inovação e Competitividade do Estado do Piauí, que tem como objetivo fortalecer os polos tecnológicos do Estado. Amanhã, durante a programação do Congresso, será lançado o primeiro edital do programa.

Na oportunidade, o Sebrae fez o sorteio de dois combos: o Sebrae Mais Perto de Você e a Oficina Sebrae de Empreendedorismo. Os premiados foram os municípios de Boa Hora e Santa Rosa representado, respectivamente, pelos prefeitos de Francieudo Carvalho (PSD) e Veríssimo Antônio (PT). 

 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com