Cidadeverde.com

Sesi e Senai demonstram o poder da robótica aplicada à indústria

Foto: Gabriel Paulino/Cidadeverde.com

O futuro já chegou e isso pode ser provado no estande do Serviço Social da Indústria (Sesi) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Projetos de robótica aplicados em sala de aula por alunos de 12 a 16 anos, do 6º ano ao 3º ano do Ensino Médio, mostram experimentos que se aplicam à realidade da Indústria 4.0.

Para o professor de física, Rubens Batista, que trabalha há quatro anos no Sesi Teresina, o contato com a robótica é essencial para a educação atual e prepara os jovens para lidar com a realidade em tecnologia. 

O especialista em robótica ainda destaca que os municípios do interior podem investir na tecnologia para fortalecimento da educação municipal. “Existem plataformas de robóticas com preços bem acessíveis. O município pode adquirir um kit e um professor trabalhar esse material como uma aula prática. Uma ferramenta boa e grandiosa em termo de contexto, de visualização de conteúdo”, explica.


Professor Rubens ao lado dos alunos do Sesi.

Se engana quem acha que só a matemática e a física têm relação com a tecnologia. Um microscópio simples desenvolvido pelos alunos beneficia a matéria de botânica em Biologia. O desenvolvimento de sistema de irrigação trabalha com conhecimentos de solo, da geografia, e com estudos históricos das ferramentas usadas no passado. O professor Rubens ainda avalia um melhor rendimento dos alunos nas disciplinas relacionadas após a introdução dos conceitos de robótica.

Aluno do 7º ano do Sesi Teresina, o adolescente João Sotero, de 12 anos, apresenta seu projeto de janela inteligente. Em uma maquete moldada em peças de lego, o aluno demonstra como uma janela pode abrir e fechar automaticamente por meio de um sensor de luz. “Ela pode fechar no caso de uma chuva, por exemplo, e pode ajudar na segurança da casa, caso a pessoa esqueça de fechar a janela a noite”, explicou.

Sensor de gás

Os alunos 2º ano do Ensino Médio, Rebeka Matos, 16, e Marcos Eduardo Mesquita, 15, expõem um sensor para botijão de gás que alerta o usuário sobre o nível do produto e se há risco de vazamento. Tudo lançando mão de tecnologia de baixo custo. A bateria usada no sensor pode durar até seis meses. Utilizando um aplicativo desenvolvido pela dupla, os consumidores domésticos e industriais ainda podem ter acesso às empresas fornecedoras e ferramentas de assistência técnica para consumo de gás.

Transporte de cargas

Um robô de transporte de carga também foi desenvolvido por alunos do Sesi/Senai de Teresina. O projeto partiu de uma necessidade real de uma empresa local. Movido a energia elétrica sem emissão de poluentes, a tecnologia funciona por meio de três motores e sensores de luz, som e toque, que ainda é programado para evitar acidentes no trabalho.

No estande, uma impressora 3D mostra ao público as inúmeras possibilidades de uso prático da tecnologia. Alunos do Senai de Parnaíba demonstram o que pode ser feito a partir da impressora, como chaveiros, placas e moldes para o desenho de maquetes utilizadas no laboratório de Técnico em Edificações.

Valmir Macêdo
redacao@cidadeverde.com