Cidadeverde.com

Teresina Ontem e Hoje: população pode compartilhar memórias nas redes sociais

Uma campanha lançada com a hashtag #teresinaontemehoje está reunindo relatos de teresinenses e moradores da cidade que queiram interagir com a série enviando fotos e vídeos contando memórias vividas na Teresina de ontem e de hoje. 

Para participar basta gravar um vídeo de até 15 segundos e usar a hashtag #teresinaontemehoje. No registro, relembre fatos marcantes da sua história com a cidade de antigamente e a Teresina atual.

Os vídeos serão reunidos no hotsite do programa especial "Teresina Ontem e Hoje” que será veiculado até dia 16 de agosto na TV Cidade Verde. O projeto produziu uma série de reportagens especiais que rememoram a história das transformações na arquitetura e o cotidiano de Teresina, em alusão aos 167 anos da capital. 

Compartilhe sua memória com a TV Cidadeverde. Grave seu vídeo e use a hashtag #teresinaontemehoje ou envie seu vídeo pelo WhatsApp clicando aqui

Confira uma das reportagens já veiculadas:

A equipe do Grupo Cidade Verde já aderiu à campanha. Em seu vídeo, o repórter Tiago Melo relembra os seus passeios de juventude no Parque Zoobotânico. "Sou do tempo que eu me perdia no labirinto do zoobotânico, era uma aflição conseguir a saída dali, hoje ele bate na minha cintura e não representa mais nenhum risco”.

Amarelão

A repórter Mayra Monteiro também entrou na campanha e lembrou da época em que era estudante e usuária do transporte coletivo. “Eu sou do tempo que a gente rodava a cidade inteira ou no amarelão, ou no azulão, que era o rodoviária circular. Hoje em dia todos os ônibus são da mesma cor e não tem mais nem graça de ficar colocando apelido”. 

Começo de Teresina

No seu vídeo, o jornalista político Fenelon Rocha observou o crescimento da cidade. “Eu sou do tempo que Teresina começava no balão do São Cristóvão. Teresina hoje começa três, quatro quilômetros antes, como por exemplo no balão da Pedra Mole”, contou.

Coroa do Parnaíba

O lazer na capital no passado também foi lembrado no vídeo do jornalista Elivaldo Barbosa. “Eu sou do tempo em que lazer em Teresina aos domingos era a coroa do Rio Parnaíba, o melhor acesso era pela Prainha, na zona sul da cidade. Hoje a Prainha não existe mais, virou uma densa mata ciliar que faz é proteger as margens do nosso Velho Monge”, disse.

Frei Serafim

Uma das principais avenidas de Teresina também marcou a memória do repórter Christian Sousa. “Eu sou do tempo que tinha na Frei Serafim aquelas fontes que a água jorrava, achava muito interessante. Hoje o canteiro central não tem mais as fontes mas a frei serafim continua linda para quem vem por aqui e pra todo teresinense”.

Garrafa por algodão

A jornalista do Cidadeverde.com, Carliene Carpaso, relembrou de algo que marcou a juventude de muitos teresinenses. “Eu sou do tempo que a gente trocava uma garrafa por algodão doce e hoje a gente pede comida pelo aplicativo do celular, Carliene.

 

Da Redação
redacao@cidadeverde.com