Caravana 25 anos
  • “A paixão por Campo Maior me fez ser historiador”, afirma João Alves

    10 livros lançados e mais de 50 mil cópias vendidas não fizerem a curiosidade do piauiense acabar; 9 livros ainda serão lançados.

    Raros são os piauienses que podem se gabar de terem vendido 50 mil cópias de livros no mercado brasileiro. O campomariorense João Alves está nessa lista seleta. Apaixonado pela história do seu povo, o escritor revela os motivos que fizeram escolher essa profissão.



    “A paixão por essa terra me fez ser historiador. Sou nascido, registrado e criado em Campo Maior. A batalha do Jenipapo sempre me chamou atenção. Eram dois mil piauienses armados com pedras e paus contra 900 militares armados”, disse João Alves.

    Autor de 10 livros já publicados e editando mais 9 títulos para lançamento, o piauiense conta com mais detalhes a história que lhe consagrou como profissional.

    “A batalha foi iniciada às 9h e concluída por volta das 14h. O dado mais preciso sobre baixa, em minha opinião, é do Monsenhor Chaves que diz que 400 brasileiros morrem na Batalha do Jenipapo. Vencemos, porque nossos homens conseguiram desarmar as tropas de Fidié. Foi o patriotismo dos piauienses que nos fez vencer”, analisa o escritor.

    Curiosidade

    Para João Alves o que mais chama atenção na história de Campo Maior é o fato da influência da cultura portuguesa na cidade. “Tínhamos o nome de Vila de Santo Antônio do Surubim. Nos tornamos Campo Maior em referência a cidade portuguesa homônima”, conta.   


    Lívio Galeno (Enviado a Campo Maior)
    liviogaleno@cidadeverde.com

     

    Em 14/03/11, 13:27
busca
recentes
| © CidadeVerde.com 2019 | Todos do Direitos Reservados - Site by Masvio |