Cidadeverde.com

Sem escolas de samba, Teresina terá 25 blocos de carnaval, diz presidente de Fundação

O presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves, Luís Carlos Martins, oficializou nesta segunda-feira (09) que não haverá patrocínio às escolas de samba da capital. Após reuniões com o prefeito Firmino Filho, onde foram apresentadas planilhas de custos incluindo as escolas, foi decidido o corte do repasse este ano por conta da crise financeira.

"A crise econômica tem feito as receitas caírem a cada instante e procuramos como fazer. Colocamos a planilha para o prefeito ele analisou, tentamos fazer várias variáveis para ver se comportava a despesa das escolas e infelizmente tivemos que tomar essa decisão", pontuou o gestor.

Teresina terá pelo menos 25 blocos de rua espalhados pela cidade além do Corso, um dos maiores pré-carnavais do país que acontece na capital uma semana antes do Carnaval. O gestor alega ainda que as escolas de samba poderiam permanecer desde que usassem recursos próprios para realizar os desfiles.

"A cidade terá um ótimo Carnaval com quase 25 blocos espalhados pelas ruas.  A escolha do rei e rainha do Carnaval e só não teremos a estrutura muito cara para os desfiles. Seria o ideal que as escolas se mantivessem. Que elas possam se viabilizarem por si só essa participação, mas o que tem acontecido é que elas são financiadas em quase 100% pela prefeitura como acontece anualmente", completou.

Gestão

Luís Carlos Martins afirma em sua entrevista que não sofre dificuldades na pasta por conta de sua indicação polític para a gestão cultural. Para ele a fundação tem providenciado meios de ser uma base para os artistas e nenhuma dificuldade é relatada pela categoria ao seu trabalho.

"Eu sou um consumidor de cultura antigo. Nasci em uma família que consome cultura, fui criado no meio de professores, pessoas que gostam de ler. Não precisa ser artista para ser um gestor de arte", pontuou.

Corso

Mesmo com o corte de quase R$ 1 milhão para as escolas de samba o gestor afirma que a preparação para o Corso continua. A expectativa é de 300 mil foliões no evento e um planejamento está sendo feito para reforçar a segudança do local. 

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com