Cidadeverde.com

'Sanatório é um resgate do carnaval de rua', diz Jorginho Medeiros

  • geral-10.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-09.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-08.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-07.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-06.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-05.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-04.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-03.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-02.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-01.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-25.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-24.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-23.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-22.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-21.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-20.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-19.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-18.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-17.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-16.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-15.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-14.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-13.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-12.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-11.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde

O Bloco Sanatório atraiu uma multidão para o lado da Igreja São Benedito, no Centro de Teresina, neste sábado (25) de carnaval. O público se diverte ao som de diversas marchinhas. 

O idealizador do bloco, Jorginho Medeiros, ressaltou que o sanatório é o resgate do carnaval de rua de Teresina. 

“Carnaval é brincadeira. É para quem quer se divertir. Não estamos preocupados com a quantidade, e sim com a qualidade”, declarou Jorginho.  

As ruas ao redor da igreja estão interditadas e, por volta das 21 horas, irá ocorrer um pequeno desfile até a Avenida Frei Serafim, nas proximidades do Pão de Açúcar. 

Vários artistas, atores e a população em geral marcam presença no local, com as mais diversas fantasias. 

Pela primeira vez na festa, a mãe da deputada federal Iracema Portela, Miriam Portela, conversou com o Cidadeverde.com. “É a primeira vez que venho ao Sanatório, estou gostando muito. Carnaval é rua. Eu adoro o carnaval”, disse.  

Diversão e protestos

O Sanatório também foi palco de protestos e algumas fantasias tiveram como base temas polêmicos, como a prisão do jovem Samuel Ali Silva Haroon, 20 anos, que usava o codinome Palestino em pichações pela Capital. 

Dois amigos estão amigos fazendo homenagem ao Palestino. O servidor público Guilherme Cerqueira simulou um muro de papelão com o nome Palestino, e o seu amigo, o estudante de história, Daniel Pessoal, segura uma faixa com a palavra “Depre” (durante a apresentação do Samuel na delegacia, ele teve que escrever com tinta spray a palavra Depre, que significa Delegacia de Entorpecentes, em uma faixa branca. Essa imagem circulou pelas redes sociais). 

“Foi um exagero que a policia fez, uma falta de respeito. Estamos aqui fazendo esse alerta sobre o caso ‘Palestino’”, disse o servidor. 

O sanatório também teve protesto contra o presidente do Brasil, Michel Temer (PMDB). Um grupo estava usando camisas contra o atual governo. A professora Ana Celia Santos disse “que o governo é homofobico e golpista”. 

“nesse carnaval nosso sentimento é de revolta”. Ele também informou que no dia 8 de março haverá uma grade manifestação pelo dia da mulher, na Praça da Fripisa. 

 

Flash Yala Sena
Da Redação Carlienne Carpaso
redacao@cidadeverde.com