Cidadeverde.com

Pinto da Morada anima avenida Dom Severino neste sábado

O Pinto da Morada promete arrastar uma multidão neste sábado (10), na avenida Dom Severino, zona Leste de Teresina. O bloco fundado há dois anos ganha força e já entra na lista dos tradicionais da capital. Para 2018, a novidade é o percurso, que sai do restaurante Cajuína até o prédio da Maçonaria com retorno para a concentração. 

A festa começa às 14h com animação da banda Batucão. O percurso do bloco será ao som de uma orquestra de frevo, trazendo de volta o verdadeiro carnaval. Após o percurso, quem comanda a folia é a cantora Lene Alves. O pinto de 4 metros de altura já está pronto para o desfile, que contará ainda com bonecos gigantes.

"Nos afastamos da direção de um outro bloco e passamos dois anos parados. Numa conversa no bar do Valderi na Morada do Sol surgiu a ideia de voltar com um projeto para a Morada do Sol. O nome eu lancei e pegou", conta o idealizador Alexandre Sá.

Inspirado no Galo da Madrugada, de Recife, o bloco teve seu pré-lançamento em 2016. “Em 2017 fomos para a rua. Tivemos muita dificuldade para conseguir a liberação da praça, mas tudo deu certo e o bloco pegou. Este ano por conta da crise e a dificuldade que tínhamos no ano passado, recebemos o convite do Cajuína para fazer a concentração lá”, explica.

O lado social também é o forte do Pinto da Morada. Quem adquire a camisa ao valor de R$ 35 estará ajudando o abrigo de idosos Casa São José, da Morada do Sol. “Fizemos um lote de 250 camisas que estão sendo vendidas no Cajuína a 35 reais, mas quem não comprar usufrui do bloco da mesma forma”, garante Alexandre.

Foto: Roberta Aline


Bloco fez seu primeiro desfile em 2017

Nos preparativos finais, a direção do Pinto da Morada aguarda autorização da Strans para cruzar a avenida Presidente Kennedy. “Eles querem que a gente, ao invés de ir no sentido da Morada do Sol, vá para  o outro lado, por causa da necessidade de fechar a avenida Kennedy. Mas isso não vai atrapalhar, se não chegar ao acordo a gente cumpre”, declarou, ressaltando o apoio do poder público municipal.

“A Fundação Monsenhor Chaves nos abraçou e a tendência é cada bairro ter seu bloco”, finalizou.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com