Cidadeverde.com

Carnaval de rua cresce em Teresina e blocos fortalecem identidade cultural da cidade

Foto: Izabella Pimentel/Cidadeverde.com 

Bloco Tensão, Tesão & Criação abriu o Carnaval de rua em Teresina e reuniu multidão

Nos últimos anos o carnaval de Teresina tem passado por um processo de reestruturação e se tornado uma festa cada vez  mais participativa. Atualmente mais de 20 blocos de rua fazem o período carnavalesco da capital ser o mais democrático possível e fortalecem a identidade cultural da cidade.

Neste ano, novos blocos surgiram e se uniram aos tradicionais. Surgiram os blocos Bendita Geni, que é realizado na prévia do carnaval, o Bloco Tensão, Tesão & Criação e  Bloco Stouradas, que junto com o tradicional Sanatório Geral preenchem a programação gratuita dos dias de folia no Centro de Teresina. 

O Bloco Tensão, Tesão & Criação abriu o carnaval no Centro, na sexta-feira (21). A proposta do produtor cultural João Henrique Vieira foi de recolocar a praça Pedro II no circuito da programação carnavalesca de Teresina. 

“O bloco é uma ação do projeto Tensão, Tesão & Criação em consonância com a questão da valorização e revitalização do Centro Histórico de Teresina. Sexta-feira de carnaval era um dia sem programação no Centro e viemos ocupar essa data e esse local. O bloco abre o carnaval de Teresina”, comenta o produtor cultural e jornalista João Henrique Vieira.

João Henrique analisa o crescimento no número de blocos de rua em Teresina como um fenômeno importante para o acesso democrático ao carnaval. "Carnaval é uma festa de rua, feita pelo povo e para o povo e cada diz mais Teresina tem mais identidade cultural", observa. 

Bloco LGBTQ+
Neste ano, também estreia em Teresina o primeiro bloco LGBTQI +, o carnaval Stouradas Rá-Tim-Bum. A festa será realizada na Praça do Liceu, Centro de Teresina, no domingo de carnaval, a partir das 15h30.  

"O bloco vem com uma história revolucionária na cidade de Teresina, que é o primeiro bloco LGBTQI +. Claro que, apesar de ser um bloco LGBTQI +,  nós aceitamos todos os tipos de público, mas as nossas atrações todas são todas LGBTs e o bloco também é feito por um LGBT, que no caso sou eu", conta o produtor cultural e publicitário Richard Henrique. 

O bloco Stouradas Rá-Tim-Bum terá 14 atrações, performances, batalha de voguing e concurso de fantasia com R$ 700 em prêmios. "É interessante que a gente em 2020 consiga trazer essa conquista não só para movimento Stouradas, mas também para a história da cidade. A proposta é ocupar o centro da cidade, resgatar e até mesmo viver novas memórias do centro da cidade. Por isso escolhemos a praça do Liceu, uma praça linda, arborizada, acessível, que traz toda uma estrutura linda que merece se vivida mais vezes ou revivida pelas pessoas que já passaram por lá", observa o produtor.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Essa história não é a mesma mas já foi contada para outras gerações. Nessa história os protagonistas somos nós. Quem somos nós? Todas as LGBTQIAP+, corpos políticos, que vivemos em busca de mais espaço, alegria e liberdade. E são desses três elementos que iremos reerguer e resplandecer nosso castelo no primeiro Bloco Oficial das Stouradas que esse ano ocupa, com as nossas e para as nossas, a histórica Praça do Liceu, no centrão-ão da cidade. Estamos vivas e prontas para gritar por nós mesmas. Stouradas Rá-Tim-Bum, podem ocupar, esse castelo é nosso! Domingo de Carnaval (23/02) a partir das 15h30. . ---- . Realização: Prefeitura de Teresina (@prefeitura_teresina) e Fundação Monsenhor Chaves (@fundacaomonsenhorchaves, @cultura_the) . Patrocínio: @louvretattoo @crochetrancendental @malusando @skullshopbr @kigordice @_deadcrush_store @ilovebrusinha_ . --- . Bicha técnica: Produção: Carnaval Stouradas Rá-Tim-Bum Ocupação: Praça do Liceu Inspiração & cenas: Castelo Rá-Tim-Bum (1994) Direção criativa: @hiperbolar Roteiro: @hiperbolar Produção de Vídeo: @oukedouke Produção de trilha: @ginobatidao . __ . Agradecimentos: @themisramos @abielbomfim.

Uma publicação compartilhada por [b]InStaLoG DaS sToUrAdAs[/b] (@stouradas) em

Richard também analisa o crescimento dos blocos de rua em Teresina como algo positivo para a economia e cultura da cidade. O produtor destaca que hoje o teresinense e turistas possuem muitas opção de festas para curtir todos os dias do carnaval. 

"Até certo tempo atrás as pessoas viajavam para curtir o carnaval em outras cidades, alegando que não tinha carnaval em Teresina. Hoje elas viajam para curtir outros carnavais, mas não porque aqui não tem carnaval, mas sim porque esses outros carnavais são cultuais de outras cidades", analisa. 

O tradicional
No sábado de carnaval, o bloco Sanatório Geral atrai foliões para a Praça da Liberdade, também no Centro de Teresina. Neste ano o bloco completa 16 anos e promete, mais uma vez, fazer uma festa animada, organizada, para quem opta por ficar na capital durante a folia de momo. 

"Hoje, no décimo sexto ano, o bloco Sanatório Geral é uma realidade para quem fica e gosta de viver essa folia, que é brincar o carnaval. O  bloco começou em 2003, na primeira edição, quando não tinha carnaval de rua em Teresina, a gente começou convidando os amigos, escolhemos um lugar onde tinha uma energia de carnaval, que era dispersão na praça da Liberdade", relembra Jorginho Medeiros, produtor do bloco junto com Arimatan Martins.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Além da folia com Samba do Crioulo Doido, Raça Brasileira, DJ Marceleleco, Banda Eletrochoque , Bia e os Becks,  no Sanatório Geral desta edição também terá solidariedade. A organização vai arrecadar doações de alimentos para o Lar da Esperança.  

O pioneiro Jorginho Medeiros afirma que é "fantástico" ver a expansão do carnaval de rua em Teresina.

"Com o passar do tempo a cidade  foi compreendendo que também poderia  ter seus blocos espalhados pela cidade. Acho isso fantástico porque descentraliza o carnaval  e dá oportunidade para todo mundo brincar o carnaval. A gente tem ações agora todos os dias. Coisa que a gente não tinha antes. Eu gosto dessa ideia da gente pode escolher, ter opções todos os dias", diz Jorginho.

Bendita Geni
O pré-carnaval de Teresina também ganhou um novo bloco neste ano. O Bloco Bendita Geni , inspirado na música "Geni e o Zepelim", de Chico Buarque de Hollanda, animou foliões teresinense com clássicos da MPB em ritmo de carnaval na praça Ocílio Lago, zona Leste.

"O Bendita Geni veio para de alguma maneira sensibilizar  para esse novo despertar, que a gente possa entender que a cultura é importante sim, e que a  arte, a cidadania podem ser e  são promovidas através da inclusão e da arte.  A inclusão é necessária,  o apoio à diversidade é essencial, que é nosso dever ter tolerância, empatia. É um momento de sororidade. Esse ano a gente queria promover ações que pudesse imprimir de manteria mais forte tudo que a gente pensa", explica Mariana Paz, produtora do bloco.

Foto: Divulgação/BlocoBenditaGeni

O bloco reuniu músicos consagrados de Teresina para apresentação na festa, que deve ser realizada também nos próximos anos. Mariana Paz diz que a expansão dos blocos de rua permite acesso de toda população ao carnaval.  "É extremamente importante. É um momento de retomada. Depois que descentralizou o carnaval  a tendência é crescer mais ainda.  Acho extremamente válido o surgimento de novos blocos. É o carnaval vivenciado por toda comunidade", disse.

Modelo cresce em todo Brasil 

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com


O  superintendente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves (FCMC), Abiel Bonfim, destaca que o crescimento dos blocos de ruas tem acontecido em todo Brasil. O povo, cada vez mais, é protagonista da festa.  Hoje a prefeitura de Teresina dá incentivo financeiro a 25 blocos de carnaval, que somado aos blocos independentes, são responsáveis por festas carnavalescas em todas as zonas da cidade. Abiel lembra que foi em 2017 a transição do modelo do carnaval da capital, que deixou de ser realizado apenas na Avenida Marechal Castelo Branco com os desfiles das escolas de samba.

"No ano de 2017 a  gente fez uma  transição de modelo com relação ao carnaval de Teresina por muito fatores relacionados, mas principalmente naquele ano, foi pela crise econômica que a gente vinha passando. A gente mudou o modelo e é algo que não é só em Teresina, no Brasil todo vem crescendo,  que é esse modelo de um carnaval mais participativo, mais próximo das pessoas, que é esse carnaval feito pelos blocos de rua", analisa Abiel.

Abiel ressalta que a maioria dos blocos de Teresina já são tradicionais e o surgimentos de novos fortalece a identidade cultural da capital.

"Os blocos de rua de Teresina já são tradicionais também. Você tem blocos com mais  de 30 anos, com 17 anos, como o caso da Vaca Atolada e Capote da Madrugada, Sanatório Geral. eles já tem a sua tradição. O que houve foi que nessa mudança de modelo eles vieram para o primeiro plano. A prefeitura apoiou, criou editais e firmou parcerias com esses blocos. Os blocos já possuem uma identidade cultural muito forte, alguns já muito grandes e houve esse fortalecimento tanto dos blocos como dessas parcerias da prefeitura. O teresinense aprovou. É um carnaval que a gente sai de um único local e um único dia como era feito para um carnaval  durante todos os dias do carnaval para uma festa próxima  às zonas, residências da pessoas e tornou o carnaval mais acessível e mais democrático", finaliza Abiel.

 


Izabella Pimentel
[email protected]