Cidadeverde.com

Thanis Killian é homenageado no Corso e garante: "eu mereço"

A Fundação Cultural Monsenhor Chaves resolveu homenagear uma das figuras mais caricatas de Teresina no Corso 2020. O irreverente Thanis Killian deu nome ao Palco Axé, que tem apresentações das bandas Rosa Xote, Glauber Barão e Jhonny Fred.

O dono do bordão "I Crazy", afirma que está muito feliz com a homenagem. Em cima do palco ele dá seu show e dança com os artistas que se apresentam. 

"É uma enorme satisfação.  Sempre prestigiei todos os eventos culturais de Teresina e agora chegou minha vez se ser homenageado. Eu mereço ", garantiu.

Além de Thanis, a Fundação Cultural Monsenhor Chaves também homenageia Maria da Inglaterra, Dudu Batera, Fernando Monteiro, Marcus Peixoto e Stella Simpson.  

 


Izabella Pimentel
Com informações da TV Cidadeverde
[email protected] 

Designer se veste de Transformers para homenagear filho autista

Foto: Roberta Aline

Para homenagear o filho que foi detectado com o Transtorno do Espectro do Autismo, o designer gráfico Armando Barros, este ano, resolveu vir ao Corso fantasiado de Optimus Prime, um dos veículos do Trasnformers.

O designer todo os anos faz sua própria fantasia, usando materiais reciclados. Este ano, foi papelão, spray, cola e pedaços de EVA.

“Gastei entre R$ 80 e 90 e demorou um mês para ficar pronta. Eu já vim de bumblebee, espartano, Thor, entre outros. Mas, este ano quis fazer uma homenagem ao meu filho que gosta muito de carros. Ele tem seis anos e ficou em casa”, afirmou.

 

Caroline Oliveira
[email protected]

Família se fantasia de Batman para brincar o corso de Teresina

Foto: Yasmim Cunha

A médica Aylana Dutra e o vendedor Tom Serafim provaram que o Corso é, também, festa de família. 

Fantasiados de Batman vieram para a avenida os filhos do casal, Arthur, de 6 anos, e Guilherme de 4 anos. O pai, entrou na onda e veio de Batman ao lado da sua Batgirl. 

"Somos loucos por carnaval. Todo ano a gente participa junto. E resolvemos entrar na onda do Batman esse ano", diz a médica.

As quatro fantasias foram compradas em uma loja de departamento e custaram menos de R$ 200, tudo.

Jordana Cury
[email protected]

Guarda-chuva virou parte da fantasia do Corso

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

O guarda-chuva é um acessório a mais que os foliões do Corso deste ano estão usando. Tanto os foliões que vieram bricar, quanto os que vieram ganhar uma renda extra, não dispensaram o acessório. 

Marcilene Nunes, grávida de três meses, trouxe o seu porque não queria correr o risco de se molhar, numa fase crucial da gestação. “Eu vim acompanhando meu namorado que está vendendo bebidas. Na hora que a gente chegou não estava chovendo, mas eu trouxe para prevenir”, conta.

O cantor Osmir Pires trouxe din-din na esperança de vender, mesmo com a chuva. “Teresina é quente, mesmo com essa chuva. Acredito que vou conseguir vender. Mas, quero mesmo é divulgar meu trabalho como cantor do Youtuber”, afirmou. 

As amigas Liz Botelho, Denise, Lilia Fontenele, Lorena e Jaciele também trouxeram os guarda-chuvas para a folia e dizem que é a primeira vez que participam do Corso com chuva. “Trouxemos para prevenir, mas não queríamos usar. Ainda ficamos dentro do carro esperando passar um pouco, quando vimos que não ia passar, resolvemos descer e curtir a folia”, disse Liz.  

fFoto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

fotos: Caroline Oliveira

 

Caroline Oliveira
[email protected]

Acessibilidade marca presença no Corso 2020 e cadeirantes comemoram

Foto: Cidadeverde.com

O Corso 2020 veio com um espaço estruturado para atender as pessoas com deficiência. Um caminhão com uma grande rampa abriu alas para a folia inclusiva.

De acordo com Daniele Pamela, que é cadeirante, este ano foi a edição que apresentou melhor estrutura para as pessoas com deficiência.

"Precisamos de uma cidade mais inclusiva em todos os dias da nossa vida. No Carnaval também.  No Corso de se ano temos essa grande estrutura que possibilita que todos possam brincar  e sedivertie", afirmou.

 

 

Flash Lídia Brito
[email protected] 

Casal aproveita o Corso e celebra os 3 anos de namoro

Foto: Yasmim Cunha

O amor da Maria Clara e do Bruno não é só de carnaval. É de corso também! Há três anos juntos, eles não poupam beijos na avenida. É de deixar qualquer um sem fôlego. 

Bruno tem 25 anos e é um dos organizadores do caminhão Hospital, no qual todos os foliões estão caracterizados de integrantes de equipes de saúde ou acidentados. Tem de atropelado a cardiologista, com direito a fantasias de remédios emblemáticos como Rivotril e "paracetaloca". 

"A gente organiza caminhões para o corso há 7 anos. O tema do nosso primeiro foi Hospital e agora estamos fazendo a versão 2 porque foi bom demais", disse Bruno.

O Hospital do corso tem 130 pessoas a bordo.

Jordana Cury
[email protected]

Associação das Prostitutas resgata história da Rua Paissandu

Foto: Yasmim Cunha

A Associação das Prostitutas veio para a Avenida Raul Lopes com uma missão: resgatar a história da Rua Paissandú e do Corso. 

"Nós estamos resgatando a história do Corso. Fomos nós, as prostitutas que criamos o Corso. O Corso é nosso!", declara a presidente da associação, Célia Gomes.

Bastante animados, os foliões do caminhão Paisandú se divertem cantando e dançando na concentração do Corso, "e é só o aquecimento".

Flash Jordana Cury
[email protected]

"Chacrinha" vai ao Corso de Teresina com fantasia de R$ 400

Foto: Yasmim Cunha

O Chacrinha está presente no Corso 2020. Carlos Leandro não poupou esforços para vir idêntico ao apresentador que fez sucesso nos anos 80. 

Ele é um dos integrantes do caminhão Cassino do Fubica e promete muita alegria e descontração nesse sábado (15).

Para virar o Chacrinha, Carlos pagou R$ 400 na fantasia, que mandou fazer para concorrer ao concurso de melhor fantasia do Corso deste ano. 

Eles se reúnem há 9 anos na morada do Sol. 

Flash Jordana Cury
[email protected]

Foliões usam fantasias para ganhar renda extra no Corso

Fotos: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Foliões usam a criatividade para se divertir e também ganhar uma renda extra no corso. Com uma plaquinha "Não diga dessa água não beberei", o estudante de Enfermagem, Wellington Cruz, chama atenção para vender água e conseguir dinheiro para a formatura que acontece no fim do ano. 

"Eu vou me formar no fim desse ano e juntei mais dois amigos pra vir ao corso vender água e conseguir dinheiro para minha formatura", disse o estudante. 

Esta edição do corso muitos foliões optaram por fantasias mais simples. O professor universitário Waldeck Oliveira veio vestido de padre para "abençoar os brincantes".

A estudante de Pedagogia, Weslane Sousa, também aproveitou o corso para faturar uma grana para a formatura. Ela e um grupo de amigas vendem cerveja, tiaras e plaquinhas divertidas.

Flash Graciane Sousa
[email protected]

Posts anteriores