Cidadeverde.com

Alternativas para qualificação superior

Para quem não sabe, o VEDUCA é uma empresa brasileira de tecnologia cujo propósito é levar o ensino superior de qualidade a qualquer pessoa que queira qualificar-se. São mais de 300 cursos on-line gratuitos das melhores universidades (UnB, Unicamp, Unesp, Unisinos, Harvard, MIT, Berkeley, Princeton, Oxford, UCLA, entre outras) em 21 áreas do conhecimento (Administração e Negócios, Direito, Economia, Matemática e Estatística, Meio Ambiente, Medicina, Política, Biologia, etc.). Recentemente a Universidade de São Paulo firmou parceria com o VEDUCA para oferecer o primeiro MOOC ( cursos virtuais, gratuitos e de nível superior) da América Latina.

Uma outra alternativa é a Fundação Getúlio Vargas, que é membro do OpenCourseWare Consortium – OCWC –, um consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo, pela internet. Cursos na área de Finanças Pessoais; Sustentabilidade; Inovação, Venture Capital e Empreendedorismo.

Como dizia KANT, o homem não é nada além daquilo que a educação faz dele. Então, vamos estudar! 

Pólo logístico de Teresina já!

Cia das Empresas - Qual a principal prioridade do SINDICAPI (Sindicato dos Transportadores de Cargas e Logística do Piauí) no ano de 2015?

Humberto Lopes de Sousa (Presidente) – Nossa principal bandeira para o ano que se inicia é a implantação do Polo Logístico de Teresina. Toda a legislação já fora aprovada na Câmara Municipal e estamos agora conversando com a Prefeitura de Teresina visando ultimar a execução das obras e serviços de engenharia necessários à instalação das empresas naquele local. A situação é insustentável no Centro de Teresina e na Zona Sul, não existem mais espaços para carga e descarga de mercadorias e para piorar, convivemos com sérios problemas de mobilidade urbana. Uma das missões do SINDICAPI é cooperar com os poderes públicos na adoção de medidas que resolvam estes problemas. Vamos conversar novamente com o Secretário Fábio Nery da SEMDEC e também com o Prefeito Firmino Filho. 

 

Saúde no Piauí: os gringos estão chegando

 

Com a entrada em vigor da Lei Federal n. 13.097, de 20 de janeiro de 2015, empresas estrangeiras poderão adquirir hospitais, clinicas no Piauí. Até então os investimentos estrangeiros restringiam-se na área farmacêutica e planos de saúde. 

 

Expectativa de incremento de aquisições e fusões de empresa de saúde, pois mesmo antes da edição da lei já existia um interesse do mercado externo. 

 

A inovação permite a participação e controle de empresas ou de capital estrangeiro em algumas atividades da assistência à saúde, como hospitais, e em atividades de apoio à assistência à saúde — laboratórios de genética humana e de análises clínicas, e produção e fornecimento de medicamentos e produtos para saúde.

 

Em que pese as críticas de um eventual monopólio estrangeiro de hospitais e clinicas, com certeza a referida permissão irá desencadear uma maior profissionalização e competitividade, o que é bom para os usuários no que diz respeito a atendimento de qualidade e preços.

 

Com o aumento do interesse nestas aquisições e fusões locais, estima-se que os preços a serem pagos nas operações que hoje variam de oito a dez vezes o lucro operacional de um hospital, pode aumentar para doze vezes. Mês passado duas grandes transações do setor aconteceram capitaneadas pela Rede D´Or, que já refletem esta tendência.

Posts anteriores