Cidadeverde.com

Não alimente os pombos!

  • pombos5.jpg Imagens da Internet
  • pombos4.jpg Imagens da Internet
  • Pombos3.jpg Imagens da Internet
  • Pombos2.jpg Imagens da Internet
  • POmbos1.jpg Imagens da Internet
  • Hipnose_de_pombos.jpeg Imagens da Internet

Um dos grandes problemas de saúde pública no Brasil é a expansão e crescimento das populações de aves urbanas. Dentre elas a mais prejudicial à saúde do homem, sem dúvida alguma, é o pombo.

Os pombos (Columba livia) são aves aparentemente graciosas e indefesas. Pertencem a família das Columbídeas, que reúne outros representantes como as rolinhas Fogo-pagou, Sangue-de-boi e Avoante, bem comuns na nossa região. Entretanto, os pombos são depósitos críticos de doenças letais para os seres humanos.

Dentre as doenças transmitidas pelos pombos está a micose Criptococose. O pombo transmite esta doença através de suas fezes: os esporos do fungo são liberados nas fezes que quando ressecam favorecem a liberação para o ar que é inalado por humanos e animais domésticos, como cães e gatos. A micose pode se instalar em vários órgãos incluindo a pele e o cérebro (veja as fotos).

No Brasil e em outras partes do mundo existem inclusive campanhas para não alimentar pombos que vivem em praças públicas e até invadindo prédios como residenciais e até igrejas (recentemente a Igreja da Consolação em São Paulo até instalou um curioso sistema de hipnose para as aves não entrarem mais, incomodando os fiéis especialmente com sua movimentação e sujeira. Veja no link: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/09/1916850-igreja-instala-painel-colorido-para-tentar-espantar-pombos.shtml ).

O correto mesmo é não alimentar estas aves que, apesar de graciosas, podem causar problemas de saúde graves.