Cidadeverde.com

Congresso afronta a moralidade

É impressionante a desfaçatez com que o Congresso tenta empurrar goela abaixo da população um Projeto de Lei que fere a decência e a moral no país. A flexibilização do Fundo Eleitoral é, nada menos, que um salvo conduto para prestações de contas fraudulentas e desvio de recursos. Tudo isso quando o Brasil ainda vive a ressaca da Lava Jato e de tudo que ela acarretou. Parece que os parlamentares nada aprenderam sobre o novo tempo vivido pela população, que pede mais transparência nos atos públicos.

Pelo projeto já aprovado, apressadamente, na Câmara Federal deverá haver, entre outras coisas, um aumento do Fundo Partidário e a volta do famigerado horário eleitoral diário no rádio e na televisão. Como se o país não estivesse quebrado financeiramente, sem recursos sequer para o necessário e inadiável investimento em infraestrutura.

Na contramão da realidade que estamos vivendo, os maus políticos ( é preciso registrar que uns poucos se rebelaram contra o projeto) insistem em torrar dinheiro público com suas campanhas, como se isso fosse a coisa mais importante do país. E o que é pior, sem uma prestação de contas rigorosa.

O projeto estava previsto para ser votado ainda hoje no Senado, embora não tenha passado pela análise da Comissão de Constituição e Justiça. Bom seria se houvesse a mesma pressa e interesse para votar matérias que realmente sirvam para melhorar a vida da população. Que tal se debruçarem sobre a Reforma Tributária, por exemplo?