Cidadeverde.com

Questão de gênero e de ética

No mesmo dia em que repercutiu a decisão do Tribunal Superior Eleitoral cassando o mandato de seis vereadores da cidade de Valença do Piauí por causa do uso de candidaturas laranjas de mulheres, apenas para cumprir a cota mínima de 30% de candidaturas do sexo feminino, a Câmara dos Deputados aprovou um item no projeto de reforma eleitoral que abre brecha para desvio de recursos, lançando mão da presença de mulheres no partido.

Dentro do projeto que já havia sido enxuto no Senado, mas teve que retornar à Câmara, os deputados aprovaram a destinação de recursos para qualquer entidade ou instituto que sejam dirigidos por mulheres do partido. Como, infelizmente, ficou provado nas últimas eleições, muitos pais e maridos usam o nome das filhas e esposas apenas para cumprir a legislação eleitoral, é preocupante esse ponto que passou ontem pelo crivo dos parlamentares.

Deixa-se, assim, uma porta aberta para que qualquer entidade, desde que presidida por uma mulher do partido, possa receber recursos que serão gastos, sabe-se lá de que maneira.  Uma chave de ouro para desvio de dinheiro e Caixa 2. A pressão popular só fez efeito no Senado. Na Câmara, os deputados viraram as costas para a população brasileira e afrouxaram, outra vez, as regras de controle e combate à corrupção com dinheiro de campanhas. Resta agora aguardar o veto ou sanção do presidente Jair Bolsonaro, o que deve acontecer antes do dia 4 de outubro. Vamos ver se a prática do presidente eleito acompanha o discurso do então candidato Bolsonaro.

 

Gasolina vai subir de preço

O preço dos combustíveis aumentou 3,5% nas refinarias da Petrobrás, em consequência do ataque à maior refinaria de petróleo na Arábia Saudita. O aumento do preço final nas bombas, que deve atingir diretamente os consumidores, ficará a cargo das distribuidoras e dos postos de combustíveis. Mas, ontem mesmo, só com a expectativa do anúnico do aumento pela Petrobrás, muuitos postos em todo o país já elevaram o preço final da gasolina. Resultado da globalização que faz com que um ato ou decisão do outro lado do mundo tenha reflexos diretos na vida de quem está do lado de cá.