Cidadeverde.com

Tolerância zero contra vandalismo

A falta de cidadania causa prejuízos  tanto à comunidade quanto ao poder público. Em Teresina, um exemplo emblemático é a constante depredação dos terminais de integração dos ônibus. Por muito tempo, ouviu-se a queixa, justificada, do desconforto nas paradas, expostas ao sol e à chuva. Com a implantação dos corredores exclusivos de ônibus, a Prefeitura construiu os terminais climatizados, com assentos disponíveis para os passageiros e espaço suficiente para esperar o ônibus bem acomodado.

No entanto, vez por outra, esse terminais ( que não pertencem à Prefeitura, mas aos usuários) são alvo de vandalismo. Roubam fios, quebram os vidros, destroem os bancos, enfim, detonam um patrimônio que foi construído com o nosso dinheiro para oferecer um serviço de qualidade a quem depende do sistema de transporte coletivo.

Em apenas dois meses, de julho a setembro, a Strans já gastou R$ 35 mil na recuperação de estações com a reposição de lâmpadas e cabos de energia roubados. Isso só acontece pela falta de segurança e a certeza da impunidade gerada pela ausência do policiamento. Sem segurança, a população é duplamente penalizada. Além de tornar-se vítima da violência urbana, perdendo objetos pessoais e até a própria vida em alguns casos, ainda fica sem o mínimo conforto dos equipamentos urbanos à sua disposição.

Não é a toa que, em Nova York ( cidade que já foi bastante violenta), o restabelecimento da ordem se deu após a implantação da política de "tolerância zero" pelo então prefeito da cidade, Rudolph  Giuliani. O sistema baseou-se no princípio da repressão inflexível a crimes menores para promover o respeito à legalidade e a redução de crimes. É exatamente disso que estamos precisando por aqui também.