Cidadeverde.com

A desnecessária capacidade de criar crises

A agenda liberal do governo Bolsonaro está entregando exatamente o que prometeu durante a campanha. Com um programa de desburocratização para as empresas, flexibilização dos contratos de trabalho, redução de juros e reformas administrativa e previdenciária, vem conseguindo dar um gás para a economia, que já dá sinais de recuperação, como mostrou o crescimento no setor de serviços, ainda que discreto, assim como o aumento da produção de veículos automotivos. O desemprego, lentamente, também já começa a arrefecer.

Com isso, o governo deveria estar colocando a aeronave chamada Brasil em voo de cruzeiro, certo? Mas não é isso que se vê. Para cada boa notícia colhida pelo ministro Paulo Guedes, o famoso Posto Ipiranga, o presidente e seus filhos criam uma crise desnecessária, turvando a água que deveria permanecer tranquila para atrair quem quer navegar em novos investimentos no país.

Sem qualquer razão, o Presidente Jair Bolsonaro protagonizou mais uma declaração infeliz ao dizer que o deputado Luiz Philippe é que deveria ser seu vice, e não “esse Mourão aí”. Além da grosseria com o seu companheiro de chapa, Bolsonaro foi mais longe ao dizer que o deputado só não foi seu vice porque Gustavo Bebianno, seu aliado à época,  teria entregue um dossiê contra o príncipe de Orleans e Bragança contendo imagens de orgias gay e de agressões a um mendigo.

Ontem mesmo, à noite, Gustavo Bebianno gravou um vídeo que está circulando nas redes sociais, desafiando o presidente a provar o que disse. Segundo Bebianno afirma categoricamente, ele nunca entregou tal dossiê a Bolsonaro. Ele diz que o então candidato a presidente o ligou certo dia, às 4h da madrugada, para dizer que um militar teria colocado em suas mãos um documento com imagens comprometedoras do deputado Luiz Philippe. Fica a pergunta: por que o presidente insiste nesse comportamento autodestrutivo de espalhar brasa e criar crises à sua volta? Já não bastam os problemas naturais do Brasil que exigem serenidade, competência e maturidade para resolvê-los? Não dá para entender por que ele insiste em ser governo e oposição ao mesmo tempo.