Cidadeverde.com

Promotor cobra funcionamento total do Hospital da Polícia Militar

 

O  promotor de justiça que coordena o Grupo Regional de Promotorias Integradas no Acompanhamento da Covid-19-Eixo Saúde (SUS), Eny Pontes, voltou a cobrar que o Hospital da Polícia Militar passe a funcionar com toda sua capacidade. Ele recorda que em reunião realizada ainda no dia 22 de abril, o Secretário de Saúde do Estado, Florentino Neto, assumiu o compromisso de colocar a UTI do Hospital para funcionar até o dia 15 de maio, estimado à época, como a data prevista para o pico da doença no Estado. De fato, o Piauí já soma  80 mortes causadas pela Covid-19.

O promotor diz que o HPM dispõe de centro cirúrgico, 99 leitos clínicos e espaço montado para UTI com capacidade para 10 leitos, mas faltam os gases necessários  a um leito de UTI e o pessoal para trabalhar no local, em razão do afastamento dos médicos e enfermeiros que tiveram de se ausentar por fazerem parte do grupo de risco. Hoje, o hospital está funcionando, segundo o promotor, com apenas 10 leitos de internação e 2 de estabilização.

O juiz da Primeira Vara da Fazenda  Pública de Teresina já concedeu liminar para que o Hospital da Polícia Militar venha a funcionar em sua plenitude imediatamente, atendendo a uma ação do Ministério Público do Estado.

Crédito: MP-PI

O Promotor Eny Pontes reforça a urgência da abertura do hospital e cita o exemplo da lotação dos leitos de UTI nos vizinhos Estados do Maranhão e do Ceará. Os pacientes de lá estão vindo em busca de atendimento aqui no Piauí porque já não encontram leitos nas suas cidades de origem.

A Secretaria de Saúde do Estado informou, por meio de nota, que já preparou toda  a estrutura física, assim como já concluiu a seleção e convocação do pessoal que irá trabalhar no hospital. Mas ressalta que a abertura dos dez leitos de UTI ainda pode ser feita por causa dos respiradores mecânicos. O Governo do Estado chegou a comprar os respiradores, mas eles foram retidos pelo Ministério da Saúde. A Procuradoria Geral do Estado garantiu por via judicial a entrega dos respiradores adquiridos pelo governo e aguarda a sua liberação para que o HPM venha a funcionar na sua plenitude.