Cidadeverde.com

6% dos pacientes com Covid-19 podem desenvolver AVC

Diferentemente do que leva a crer o senso comum, a Covid-19 não afeta apenas os pulmões. Os relatos médicos apontam que entre 5 e 6% dos pacientes infectados pelo novo coronavírus desenvolvem AVC  - Acidente Vascular Cerebral.  Foi o que aconteceu com uma médica piauiense residente em São Paulo que morreu no mês passado, vítima da Covid-19. Ela sofreu um AVC e não resistiu.

O que a medicina ainda não descobriu, até por tratar-se de uma doença muito recente, é qual o mecanismo que leva à formação do AVC, se a hipercoagulabilidade , ou seja, a formação excessiva de coágulos sanguíneos ou mesmo uma encefalite viral.

O neurocirurgião Benjamin Pessoa Vale relata que há indícios muito fortes de que o vírus pode afetar o cérebro de diferentes maneiras, provocando alterações sensoriais, derrames e confusão mental. Outra preocupação dos neurologistas é com as sequelas que podem ser adquiridas após um período mais prolongado da doença. De acordo com o Dr. Benjamin, há relatos de médicos em países onde a Covid-19 começou mais cedo sobre o  registro de polineuropatia periférica, com comprometimento dos reflexos e movimentos esqueléticos após a alta hospitalar.

Um estudo chinês já publicado no JAMA Neurology com 214 portadores da doença revelou que cerca de 36% deles apresentaram algum tipo de problema na massa cinzenta ( importante componente do sistema nervoso central). Por enquanto, explica o Dr. Benjamin, o que se pode deduzir é que a Covid-19 é uma doença sistêmica que atinge diferentes órgãos do corpo humano.  E que, portanto, até que surja uma vacina, o melhor a fazer é se prevenir, adotando o distanciamento social, lavando bem as mãos com água e sabão e usando as máscaras de proteção facial.