Cidadeverde.com

Rússia anuncia vacina contra Covid-19 para agosto

A Rússia anuncia para agosto, mais precisamente daqui a duas semanas, a liberação da primeira vacina contra a Covid-19. O governo de Putin quer se lançar aos olhos do mundo como o país a liderar a corrida pela imunização. Ocorre que não se pode tratar esse assunto como uma disputa ufanista de quem cruza a linha de chegada primeiro, mas de qual país conseguirá entregar o produto mais seguro, testado cientificamente e aprovado com rigor pelos órgãos reguladores.

A vacina russa não divulgou informações técnicas sobre a pesquisa que está anunciando. A comunidade científica internacional não acompanhou os testes clínicos da vacina. Aliás, tudo na Rússia é cercado de muito mistério, a começar pelos números de infectados e mortos pela doença.

Os pesquisadores russos alegam que a vacina está sendo liberada em tempo recorde porque é uma versão adaptada de outra já existente para doenças diversas. O produto está sendo desenvolvido pelo Instituto Gamaleya, em Moscou, e os profissionais de saúde que atuam na linha de frente da Covid-19 serão os primeiros a serem imunizados.

Vacinas, como se sabe, não são desenvolvidas em tempo tão curto. Por questões de segurança, elas passam por diferentes fases e testes clínicos até serem aprovadas. A que está sendo desenvolvida em Oxford, na Inglaterra, é a que apresenta resultados mais promissores até o momento e não deve estar pronta antes do final do ano. A vacina inglesa vem sendo desenvolvida dentro de um processo absolutamente transparente, com a divulgação de cada etapa do processo.

Portanto, é preciso muita cautela com tanta pressa em lançar ao mundo um produto que vai ser injetado em milhões de pessoas. Pular etapas de avaliação clínica, nesse caso, pode ser um salto mortal.